Tarefa 6 – Curso EDH – Sordia Manzela dos Santos

Data

4 de agosto de 2020

Cursista

Sordia Manzela dos Santos

Função

Profesdora de Ed.Infan.Ens. Fund I/ Professora do Ens.Fund II e Médio de Inglês

DRE / Unidade Educacional

Pirituba / Jaraguá

Escola

EMEF JAIRO RAMOS

TAREFA

CURSO EDH -DESAFIOS DO CONTEXTO ATUAL

 

Cursista: Soraia Manzela dos Santos

 

ROTEIRO DE AÇÃO PEDAGÓGICA INCLUSIVA NA BASEADA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

 

 

  1. Título: Combatendo o bullying e a discriminação e valorizando a diversidade e identidade cultural.
  2. Localização
    EMEF Jairo Ramos

DRE: DIRETORIA REGIONAL DE EDUCACAO PIRITUBA

A escola atende uma média de 900 alunos, distribuídos em:

Ensino Fundamental de 9 anos

 

Público alvo: e anos e um EPAEE (Estudante Público Alvo da Educação Especial) com deficiência visual.

 

  1. Tema
    O bullying e a diversidade.

 

  1. Objetivos

 

Objetivo geral:

Prevenir práticas de bullying na escola. Ainda espera-se que esta ação resgate a autoestima e valorize a construção de identidade de cada um.

 

Objetivos específicos:

 

  • Conhecer as formas e práticas do bullying no universo escolar.
  • Buscar soluções para combater as práticas do bullying;
  • Estimular os princípios éticos: disciplina, respeito, honestidade e cooperação;
  • Aceitar e respeitar as diferenças existentes na escola;
  • Promover a autoestima e o resgate da identidade de cada um.

 

  1. Justificativa

A principal justificativa para a elaboração deste plano é identificar, prevenir e combater qualquer tipo de violência e discriminação, principalmente o bullying entre o grupo discente da escola e também, por entender que se podem encontrar meios para dar verdadeiro sentido às relações humanas, seja no ambiente escolar, seja na sociedade como um todo.

Respeitar e aceitar a diversidade é condição essencial para uma escola democrática, que entende os direitos humanos como parte da sua rotina diária.

 

  1. Metodologia

Promover rodas de conversa com os alunos fazendo com que os mesmos vejam o bullying e a discriminação como uma prática negativa, promovendo uma convivência com dignidade no ambiente escolar; com atividades dinâmicas, lúdicas, exemplificações pessoais, pesquisas, leituras, filmes relacionados ao tema, tendo como destaque a interdisciplinaridade.

  1. Recursos
  • Livro: Apelido não tem cola;
  • Fotografias dos alunos;
  • Micro System, CD Canção dos Direitos da Criança;
  • Música: http://www.letras.com.br/#!toquinho/errar-e-humano – Toquinho: Errar É Humano (Toquinho – Elifas Andreato);
  • Computadores com acesso à Internet;
  • Vídeo: Turma da Mônica, “Chico Bento no Shopping” – https://www.youtube.com/watch?v=Gj4q0zAIw3I.
  • Programa objeto O.A.: Scrapbook ou Word.
  • Materiais didáticos em geral: lousa, giz, papel kraft, papel sulfite, papel crepom, papel de seda, papel cartão, lápis de cor, canetas hidrocor, tesoura, cola, fita adesiva, cartolina, objetos diversos.

 

Atividade Recursos pedagógicos e materiais:
1 Livro: Apelido não cola;

Lousa, giz, papel kraft, papel sulfite, papel crepom, papel de seda, papel cartão, lápis de cor, lápis, borracha, canetas hidrocor, tesoura, cola, fita adesiva, cartolina, objetos diversos.

Lupa;

Micro System, CD Canção dos Direitos da Criança;

Fotografias dos alunos;

2 Imagens sobre bullying, OA pesquisado: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=2147

Computadores com acesso à Internet;

Vídeo: Turma da Mônica, “Chico Bento no Shopping” – https://www.youtube.com/watch?v=Gj4q0zAIw3I

 

3 Cartolina com palavras relacionadas ao bullying;

Lápis, borracha, caneta esferográfica;

Folhas de papel almaço;

Canetas hidrocor, lápis de cor;

Micro System, CD Canção dos Direitos da Criança.

4  

Lápis preto, borracha, caderno, caneta esferográfica sulfite, lousa, giz, barbante e pregadores de roupa;

 

5 Computadores;

Programa objeto O.A.: Scrapbook ou o Word;

Impressora;

Caderno de desenho, lápis preto, lápis de cor, régua, giz de cera.

Micro System, CD Canção dos Direitos da Criança.

 

7.1. Infra-estrutura de informática

Computadores com acesso à internet: 15

Impressora: 2

7.2. Ferramentas computacionais
Software Scrapbook ou o programa Word e Vídeo no Youtube.

  1. Cronograma

Este plano será desenvolvido em 5 aulas (dias).

 

1ª aula: Quem eu sou, como eu sou e as coisas que eu gosto.

Roda de conversa: O professor iniciará o projeto conversando com os alunos sobre como eles se imaginam/ se veem? Seus gostos pessoais, suas características, as pessoas que gostam, e também o que não gostam. Leitura do livro Apelido não tem cola.

Na aula seguinte (que pode ser a aula de artes) a proposta é montar um boneco coletivo. O professor traz várias partes de um boneco, vários acessórios (óculos, chapéu, relógio) e roupas tudo de papel. O boneco pode ser feito em tamanho natural (corta-se o papel kraft na medida de um dos alunos da sala e faz-se seu contorno na parede) e os próprios alunos podem ajudar a confeccionar os acessórios. E a música Errar É Humano, de Toquinho – Elifas Andreato (CD Canção dos Direitos da Criança) pode ser tocada durante a aula reforçando as discussões da roda de conversa.

Explicar aos alunos que vão construir um boneco coletivo e que cada aluno irá até a lousa, escolherá uma parte, acessório ou roupa, de acordo com a sua vontade, gosto e necessidade. Cada aluno vai até a lousa, escolhe a peça que colocará no boneco (as peças possuem fita crepe atrás) até que todos os alunos participem.

Ao final o professor conversa com os alunos sobre o que eles acharam do boneco, se gostaram, etc.

A partir desta atividade o professor introduz o assunto sobre diversidade e identidade. Dizendo que todos nós temos gostos e escolhas diferentes. Que tudo isso faz parte da nossa identidade. E que ser diferente não é um problema, já que somos pessoas diferentes. É importante debater sobre a questão da diversidade, chamando atenção dos alunos para o boneco que foi construído coletivamente, por isso ele é especial. Carrega um pouco de cada um da sala e que as pessoas são assim, com suas diferenças e diversidade.

No caso do EPAEE o professor pode ajuda-lo, perguntando qual parte ele quer colocar e ajuda-lo a escolher. É importante a cada peça colocada dizer que parte o aluno colocou, para ajuda-lo na identificação do processo.

Este boneco ficará na sala, como símbolo da diversidade da turma e representando a identidade de cada um.

 

 

2ªaula: Roda de conversa e resposta aos questionamentos propostos: O que é o bullying? Por que as pessoas praticam bullying?

Nesta primeira semana será trabalhado o significado da palavra bullying. O professor estimulará os alunos a expressarem suas opiniões sobre o que é o bullying. Se alguém já sofreu bullying? Se os alunos acham bom ou mau sofrer bullying? Por quê? Lembrando e comentando sobre os personagens do livro…

Sempre estimulando os alunos a falarem sobre suas emoções, o que pensam e o que sentem, se sofrem quando presenciam alguém sofrendo bullying.

Na sala de informática, o professor forma duplas e mostra aos alunos algumas imagens no computador sobre bullying e também o vídeo da Turma da Mônica, “Chico Bento no Shopping”, que trata sobre as diferenças regionais, de linguagem, de costumes, entre as pessoas do campo e da cidade.

Pede que escolham uma situação de bullying e escrevam sobre ela, que sensações ela causa, por que despertam essas sensações.

 

3ª aula – Na sala de aula o professor coloca um quadro com várias palavras como (ofender, xingar, falar mal, humilhar, atacar, bater, empurrar, isolar, perseguir, apelidar) e outros quadradinhos em branco e pede para os alunos sugerirem outras palavras que podem estar presentes numa prática de bullying.

Em seguida, pede para que os alunos escolham palavras com significado diferente, como por exemplo: bater à abraçar; isolar à fazer amigos; ofender à elogiar e vai escrevendo as palavras em outro quadro em branco. Formando cartazes para decorar a sala e sempre “lembrar” e “visualizar” as ações sugeridas/escolhidas pelos próprios alunos.

 

4ª Aula: Roda de conversa conversar com os alunos sobre o que fariam se alguém não gostasse do boneco da sala (feito na primeira aula), quisessem mudá-lo ou então zombassem dele por ele ser tão diferente?

A intenção é que os alunos reflitam sobre a importância de se respeitar o outro, suas diferenças, suas características, etc. e que expressem suas posições em forma de textos livres, ou seja, de diversos gêneros: poemas, redações, protestos contra o bullying, músicas, etc. Depois dos textos prontos, fazer varais com barbantes no pátio da escola e prender com pregadores os textos produzidos para que toda a comunidade escolar tenha acesso à leitura dos textos produzidos e se sensibilize com o tema, abrindo caminhos para a extensão do plano de ação.

 

5ª Aula: Confecção do Portfólio – na sala de informática (Durante a confecção do álbum o professor pode colocar música ambiente: Errar É Humano (Toquinho – Elifas Andreato).

Utilizando o Scrapbook ou o programa Word, o professor pede que cada aluno faça um álbum colocando fotos pessoais que os represente.

Depois dessa etapa, o professor imprime cada álbum e monta um livro portfólio da sala, ressaltando que a diversidade reflete a identidade de cada um e que a prática do bullying deve ser combatida, pois não respeitar as diferenças e nem colaborar para boa convivência na escola e em todas as relações pessoais que temos em nossa vida.

 

Descrição da Atividade Objetivo da atividade: Duração:
Atividade 1    
Leitura do Livro “Apelido não tem cola”;

Roda de conversa sobre o livro e o tema de modo geral;

Exposição das fotos dos alunos da turma de quando eram bebês ou crianças bem pequenas; (para o aluno D.V. será oferecido uma lupa a fim de facilitar a visualização das fotos);

Confecção do Boneco com música ambiente (em tamanho natural para facilitar o acesso do aluno D.V. assim também os acessórios serão maiores e feitos de materiais de relevo, facilitando sua participação).

 

 

Conhecer uma das muitas histórias sobre o tema proposto;

Debater e expor as opiniões da cada um com relação às diferenças;

Reconhecer características de quando eram menores e comparar com o que mudou, levando em consideração sua aparência atual.

 

Incentivar a criatividade, o senso de organização e socialização da construção em comum, apreciação dos valores pontuados na letra da música e, principalmente valorizar as habilidades artísticas do aluno D.V.

 

 

1 aula

Atividade 2    
Roda de conversa;

Responder a um questionário sobre o tema de modo mais completo possível, com a orientação devida. (Ao aluno D.V. será oferecido o questionário em letra ampliada, fonte 24).

Na Sala de informática, em duplas, os alunos são orientados a pesquisar imagens sobre bullying e assistir ao vídeo da Turma da Mônica, Chico Bento no shopping; (Também na opção ampliada para o aluno D.V.).

De volta à sala de aula, escrever sobre as sensações causadas pelo bullying.

 

Responder às questões propostas de maneira completa.

Pesquisar sobre o tema sob orientação.

 

Apreender e discorrer as informações pesquisadas.

 

 

 

Produzir um texto a partir das pesquisas realizadas.

 

 

1 aula
Atividade 3    
Confecção de cartazes.

 

Fazer uma autobiografia, texto orientado, a partir das respostas do questionário da primeira aula.

 

Revisão dos textos apresentados pelo professor, anotando as observações apropriadas.

Decorar a sala de aula corroborando com a fixação e apropriação das atividades realizadas durante as aulas.

Compor uma produção textual de acordo com a proposta (autobiografia).

Realizar a reescrita do texto, atendendo as observações realizadas, durante a revisão do texto.

 

1 aula
Atividade 4    
Roda de conversa;

Produção livre de textos;

Apresentação das produções na sala,

Exposição dos trabalhos realizados no pátio da escola.

 

Despertar senso crítico, posicionamentos, discernimento e respeito sobre os diálogos realizados no decorrer do tema.

Socializar as experiências adquiridas.

Valorizar a descrição, expressões, pensamentos expostos nos textos e, principalmente o respeito e viabilizar a extensão do projeto.

1 aula
Atividade 5    
Confecção do álbum Scrapbook ou Word (Também na opção ampliada para o aluno D.V.);

Montagem do Portfólio da turma;

Composição artística (desenho) representando as concepções pessoais sobre o tema da semana.

Ressaltar as diferenças e destacar suas importâncias.

 

Enfatizar que a identidade como um todo é formada pelas diversidades.

Incentivar e valorizar a criatividade, a comunicação e expressão artística das concepções pessoais.

1 aula

 

  1. Acompanhamento dos Resultados

Instrumentos e Critérios de Avaliação:

 

Objetivos Critérios de avaliação Instrumentos utilizados
Conhecer uma das muitas histórias sobre o tema proposto;

Debater e expor as opiniões da cada um com relação às diferenças;

Reconhecer características de quando eram menores e comparar com o que mudou, levando em consideração sua aparência atual.

 

Incentivar a criatividade, o senso de organização e socialização da construção em comum, apreciação dos valores pontuados na letra da música e, principalmente valorizar as habilidades artísticas do aluno D.V.

– Os estudantes participaram efetivamente das rodas de conversa, expôs claramente suas ideias, interagiram com todos envolvidos, fizeram sugestões pertinentes?

 

Observação da participação oral.
– Conseguiram perceber as mudanças ocorridas nas suas características físicas e as diferenças existentes entre si e os demais colegas de turma?

 

Observação da produção icônica do aluno.
 

 

– Conseguiram se expressar de modo criativo, organizado; interagiram de forma espontânea e colaborativa com os colegas; fizeram as correlações entre o contexto expositivo e a letra da música apreciada?

 

 

 

 

 

 

 

 

Responder às questões propostas de maneira completa.

 

Pesquisar sobre o tema sob orientação e assistir ao vídeo proposto.

Apreender e discorrer as informações pesquisadas.

Produzir um texto a partir das pesquisas realizadas.

 

 

 

– Responderam ao questionário coerentemente de modo a explicitar seu entendimento com relação ao tema?

 

– Realizaram a pesquisa de forma objetiva e colaborativa com sua dupla?

 

 

– Assimilaram o conteúdo do vídeo, fazendo correlações entre o tema?

 

– Pontuaram em seus textos escritos as considerações esperadas?

 

 

 

 

 

 

 

Observação da produção icônica do aluno.

 

 

 

 

 

 

 

 

Análise da produção textual do aluno.

 

Decorar a sala de aula corroborando com a fixação e apropriação das atividades realizadas durante as aulas.

Compor uma produção textual de acordo com a proposta (autobiografia).

Realizar a reescrita do texto, atendendo as observações realizadas, durante a revisão do texto.

 

-Participaram efetivamente da decoração da sala; conseguiram atribuir significado à decoração da sala com a escrita dos antônimos das palavras trabalhadas?

 

– Pontuaram em seus textos autobiográficos as informações previamente citadas nos questionários respondidos?

 

– Atenderam às observações a serem revisadas no texto?

 

 

Observação da produção icônica do aluno.

 

 

 

 

 

Análise da produção textual do aluno.

 

Despertar senso crítico, posicionamentos, discernimento e respeito sobre os diálogos realizados no decorrer do tema.

Socializar as experiências adquiridas.

Valorizar a descrição, expressões, pensamentos expostos nos textos e, principalmente o respeito e viabilizar a extensão do projeto.

 

 

– Conseguiram absorver, apreender, perceber a importância do tema e das suas atitudes perante os colegas e no convívio geral?

 

– Conseguiram manifestar suas opiniões, emoções efetivamente; demonstraram interesse em socializar e compartilhar as experiências vivenciadas com os demais colegas da escola?

 

 

 

Observação da produção icônica do aluno.

 

 

 

 

 

 

Análise da produção textual do aluno.

 

Ressaltar as diferenças e destacar suas importâncias.

Enfatizar que a identidade como um todo é formada pelas diversidades.

Incentivar e valorizar a criatividade, a comunicação e expressão artística das concepções pessoais.

 

 

– Conseguiram perceber que as diferenças existem e devem ser respeitadas?

 

– Compreenderam que nossa identidade está relacionada principalmente ao fato de sermos diferentes e únicos?

 

– Conseguiram se comunicar através de sua arte?

 

Observação da produção icônica do aluno.

 

 

 

Resultados:

 

Espera-se que o projeto valorize a construção e o desenvolvimento da identidade de cada um, resgatando a autoestima. Ainda, que o projeto também conscientize os alunos sobre os males causados pelas práticas do bullying e da discriminação e, principalmente, tentar combatê-lo no ambiente escolar e incentivar o aprendizado além dos muros e portões da escola.

 

Considerações Finais:

 

Este projeto é destinado a todos os alunos.

Escolhi um exemplo que contemple a inclusão de um deficiente visual (grande desafio na nossa escola, pensando na inclusão), mas acredito que diante de qualquer adaptação, o roteiro pode ser flexibilizado a todos os públicos e deficiências.

A equipe pedagógica está preparada para trabalhar este roteiro e com qualquer tipo de inclusão, pois a escola tem a SRM (Sala de Recursos Multifuncionais), uma professora especializada em SRM que trabalha nos dois períodos e atende os alunos no contraturno. Além disso, os professores estão sempre debatendo problemas e situações de inclusão na escola em nossas reuniões coletivas com a coordenação pedagógica.

Este projeto é fruto de um ideal de escola no qual as diferenças são valorizadas e as boas práticas de convivência são estimuladas e ensinadas no ambiente escolar, baseada na educação em direitos humanos como princípio essencial nas praticas escolares.

Sabemos que o trabalho é uma semente que plantamos, regamos e esperamos colher os frutos. Frutos que são o reflexo de um ambiente harmônico e pacífico, onde o preconceito e a discriminação não criam raízes.

Os benefícios são muitos, a começar pela autoconsciência e a autoestima que, além de possibilitar a valorização da identidade de cada um, promove a tolerância entre todos.

Esses frutos semeados em nosso projeto, certamente vão ganhar espaço além dos muros das escolas, tornando possível uma sociedade mais justa e mais inclusiva como um direito adquirido por todos.

 

OBSERVAÇÕES

O Curso EDH me permitiu pensar nos alunos de inclusão com outro olhar, pensando na forma como estes alunos serão acolhidos na volta às aulas presenciais, já que é um público muitas vezes esquecido nas aulas virtuais. Mas eu queria pensar num plano de ação que envolvesse todos os alunos.

Esta proposta é pequena se pensarmos na complexidade do trabalho de inclusão escolar, mas que me despertou reflexão, pois incluir é uma forma de pensar numa escola para todos, sem distinção.

Os conteúdos e as lives me permitiram pensar neste público alvo também envolvendo a questão dos direitos humanos, pois eles também são alvo de discriminação e, muitas vezes, do “apagamento” de suas vozes no dia a dia da prática pedagógica.

Apesar da proposta ser voltada para a sala de aula, eu acredito que a escola deverá sempre pensar em ações e estratégias junto à comunidade escolar.