Tarefa 6 – Curso EDH – Sônia Pereira da Cruz

Data

1 de agosto de 2020

Cursista

Sônia Pereira da Cruz

Função

Professor de Educação Infantil/ Assistente de Diretor de Escola

DRE / Unidade Educacional

São Miguel Paulista

Escola

CEI Jardim Eva

Sequencia de Atividades de Educação de Direitos Humanos

Tema Proposto: Diversidade

Justificativa: A escola em que trabalho está inserida em uma comunidade no extremo leste da cidade de São Paulo, em uma região muito vulnerável em vários aspectos: social, cultural e econômico. Recebemos alunos de diferentes nacionalidades.

Público alvo: Crianças de 4 e 5 anos.

Finalidade: Valorizar as diferenças.

Objetivo: Neste contexto precisamos reforçar as ações que buscam ampliar e valorizar as diferentes nacionalidades e contribuir para que as crianças se reconheçam no diferentes espaços, pensando o aluno em sua integralidade.

Duração: Durante todo ano letivo.

Atividades: Inicialmente iremos fazer um levantamento com todos as crianças  de brincadeiras que gostam e que brincam com seus familiares. Após o levantamento vamos, duas vezes por semana, reservar um período da aula para contextualizar a brincadeira escolhida por cada criança, intercalando com brincadeiras propostas pela professora. Nestes momentos iremos contextualizar a origem das brincadeiras, em quais culturas ela é conhecida e utilizada e todos irão brincar.

Avaliação: A avaliação acontecerá durante toda sequencia de atividades, por meio da observação e reflexão das ações e das interações das crianças.

 

Reflexão: A partir do estudado no curso “Desafios Contemporâneos” foi possível perceber a importância de ações na escola que discutam sobre a diversidade em todos os seus aspectos.

Por muitos anos, a diferença, seja ela de gênero, sexualidade, cor ou de classe social, foi tida como algo negativo e apesar de ainda termos um longo caminho a percorrer as discussões em torno das diferenças estão cada vez mais presentes, buscando desmistificar estereótipos historicamente construídos.

Assim a escola tem um papel fundamental na desmistificação destes estereótipos, por meio do trabalho de conscientização dos alunos, comunidade escolar e funcionários da importância do “diferente” nas nossas relações.

A partir desta reflexão, acredito que a atividade apresentada pode ser ampliada para o trabalho não só com as brincadeiras, mas também com as diferentes cores de pele. Trazendo para as crianças as origens das diferentes cores de pele por meio de um projeto.