Tarefa 6 – Curso EDH – Simone Ferreira de Oliveira

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Simone Ferreira de Oliveira

Função

Professor de Educacao Infantil e Ensino Fundamental I

DRE / Unidade Educacional

Itaquera

Escola

Emei Jarsim Marilia

Simone Ferreira de Oliveira – [email protected]

TEMA: Ninguém é igual a ninguém, mas todos merecem respeito!!

 

PÚBLICO ALVO:

Educação Infantil – 4 e 5 anos

DURAÇÃO: 

Durante o ano letivo

 JUSTIFICATIVA:

É de suma importância o desenvolvimento de projetos que estimulam o agir e pensar sobre: a luta contra o racismo, o direito à cidadania e à vida de todas as crianças.

A Lei 11.645/2008 altera a Lei 9.394/1996, modificada pela Lei 10.639/2003, a qual estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e cultura afro-brasileira e indígena”.

A inserção da temática étnico-racial na educação infantil visa garantir uma educação que supere o racismo e as desigualdades geradas por ele. A importância de trabalhar questões étnico-raciais com crianças, é, sobretudo pela intensificação da construção da identidade delas, é o momento em que as crianças começam a se perceber no mundo e a perceber o outro”. Acreditamos que a Educação é parte determinante na (re)construção de valores.

Segundo Abramovicz et al., a partir da análise de diversas pesquisas, crianças aos 4 anos de idade “[…] já passaram por processos de subjetivação que as levaram a concepções já tão arraigadas no nosso imaginário social sobre o branco e o negro e consequentemente sobre as positividades e negatividades atribuídas a um e outro grupo racial” (2010, p. 85). Torna-se evidente a importância da escola e das concepções e visão dos profissionais envolvidos com essas crianças para o reforço ou combate aos estigmas e estereótipos negativos atribuídos aos negros.

 

OBJETIVOS:

Este projeto tem como objetivo principal, trabalhar as relações étnico-raciais na Educação Infantil, e despertar na criança que a diferença racial é um fator positivo, valorizando a importância das etnias, e suas contribuições para nossa sociedade, além da consciência que todos somos iguais e intensificando a construção da identidade delas. Sendo assim, romper com as formas de preconceito racial no ambiente escolar garantindo uma educação que supere o racismo e as desigualdades geradas por ele. Construindo assim uma sociedade mais justa, menos racista, onde a cor da pele passa a ser apenas uma característica valorizada  e não motivo para a “marginalização” do sujeito, negando-o como pessoa e lhe negando os seus direitos de cidadão conquistado ao longo de séculos de muita luta.

 

METODOLOGIA/AÇÕES:

Para fazer parte do Projeto, estaremos desenvolvendo: Rodas de leituras e conversa; Brincadeiras; Culinária; Confecção de painéis e exposição; Dramatização/ Faz de conta; Músicas.

1º Momento:

Roda de conversa abordando algumas perguntas:

-Com quem a gente se parece?

-Todas as pessoas são iguais?

-Se todos aqui nesta sala fossem iguais, seria legal?

Em seguida, faremos uma Roda de Leitura com a História: O CABELO DE LELÊ de Valéria Belém, por meio de palitoches. Após a contação de história, faremos alguns questionamentos com as crianças sobre a mesma.

Dinâmica: Sentar uma criança em frente a outra com olhos fechados, irão tocar o rosto e cabelo, notando as diferenças e assim respeitando as características de cada um, respeitando as diferenças.

 

Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=DoQh63AWrNQ

O Cabelo de Lelê, de Valéria Belém

 

Vídeo: QUINTAL DA CULTURA: PRECONCEITO NÃO É LEGAL! Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=7zuCDG6fA2s A Ofélia sofreu preconceito por causa do seu cabelo e, então, decidiu contar a história “O Cabelo de Lelê”, da autora Valéria Belém e ilustrações de Adriana Mendonça, para seus amigos e lançou a campanha “Ofélia quer conhecer.

 

 

2º MOMENTO: Será trabalhado oralmente as características físicas da menina, associando às comparações do texto. Em seguida, realizaremos a interpretação do livro:-Como é o cabelo de Lelê?-Quais são as características principais de Lelê?-Por que Lelê apresenta tais características?-Qual será a razão de Lelê apresentar tais características?  -Na sala de aula existe algum colega que apresente tais características?-Você se identifica com as características de Lelê?-Você gosta do que vê?Neste momento o educador enfatizará que cada um de nós tem suas características, provenientes de sua família. Sendo assim, somos únicos, diferentes, e isso torna cada um de nós especial.Iremos construir um gráfico para identificar a cor e o tipo de cabelo das crianças: enrolado, liso, trançado, entre outros. Ainda enfatizaremos a importância que: Se todo mundo fosse igualzinho, o mundo não teria graça, mas só reconhecer que as pessoas são diferentes não basta. É preciso respeitar as diferenças.

 

4°MOMENTO: Confecção do painel da diversidade: não basta reconhecê-las é preciso respeitá-las.Cada criança irá escolher uma cor de tinta e iremos fazer carimbos das mãos. Simbolizando as diferenças, o respeito e amizade, retratados no painel.  5°MOMENTO: Conhecer um pouco sobre a Cultura Africana.Roda de Conversa Explorando as possibilidades de expressão criativa dos alunos. Mostrando suas influências e contribuições no Brasil. Conversando também sobre as heranças africanas. Para enriquecer, temos como apoio o vídeo: Quintal da Cultura: África. Com uma História AfricanaDisponível em: https://www.youtube.com/watch?v=2L0mpKrnPlc HISTÓRIAS QUE VOAM – UMA HISTÓRIA AFRICANA DA COLEÇÃO DE RAQUEL DURÃES.Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=WPtRBYBa4XA 6º MOMENTO:Iremos trabalhar: Corpo, gestos e movimentos, com a Música Africana.Roda Africana- DVD As melhores Brincadeiras da Palavra Cantada.Disponível em: https://youtu.be/QjlmRDk9ktI 7º e 8º MOMENTO:Continuação da Roda de Conversa sobre Cultura Africana: Cantiga Popular: Escravo de Jó

É uma brincadeira de roda guiada por uma cantiga bem conhecida, cuja letra pode mudar de região para região. Para brincar, é preciso no mínimo duas pessoas. Todos têm suas pedrinhas e no começo elas são transferidas entre os participantes, seguindo a sequência da roda. Depois, quando os versos dizem Tira, põe, deixa ficar!, todas seguem a orientação da música. No verso Guerreiros com guerreiro, a transferência das pedrinhas é retomada, até chegar ao trecho zigue, zigue, zá!, quando os participantes movimentam as pedras que estão em mãos para um lado e para o outro, sem entregá-las a ninguém. O jogador que erra os movimentos é eliminado da brincadeira, até que surja um único vencedor.

 

Brincadeiras: Batata Quente e Barra – manteiga.Sempre retornando a nossa Roda de Conversa sobre as contribuições da Cultura Africana, valorizando o respeito as diferenças.  9º MOMENTO:

Convidar as crianças para nos encaminharmos ao refeitório para prepararmos uma receita que integra a culinária africana, o bolo de mandioca.

Separar os ingredientes necessários e contar com a participação das crianças em todos os momentos do preparo. Relembrar todos os momentos da receita, ingredientes e medidas. O professor será escriba para registro da receita em um cartaz coletivo.

 

A Lenda da mandioca: Quintal da Cultura

Disponível em : https://www.youtube.com/watch?v=R5_lzIiN8mI

 

10º MOMENTO:Promover na escola para finalização do Projeto com oficinas sobre a influência africana no Brasil, realizando com a comunidade as brincadeiras, cantigas, exposição do painel da Diversidade, Cartaz coletivo da receita da mandioca, Dramatização da História: O cabelo de Lelê, Culinária da influência Africana- Bolo de mandioca, Desfile de roupas e penteados africanos.

Avaliação

Avaliação através de uma Escuta ativa e observação atenta e frequente, possibilitando registros descritivos, para organizar, analisar, reavaliar e replanejar as ações e práticas, a partir do interesse e contribuições das crianças.

 

 

 

Acesso em 06/08/2020: https://revistaeducacao.com.br/2017/11/22/educacao-infantil-observacao-essencial-para-realizacao-do-projeto-pedagogico/

Acesso em 05/08/2020: https://www.geledes.org.br/contrucao-identitario-e-importancia-da-educacao-das-relacoes-etnico-raciais-na-infancia/?gclid=EAIaIQobChMIzuTAoe6H6wIVgwmRCh25aAhmEAAYAyAAEgK02fD_BwE

Acesso em 07/08/2020: https://www.passeidireto.com/arquivo/68277099/projeto-o-cabelo-de-lele/2

  

Trabalho curso : Educação em Direitos Humanos – Desafio do Contexto Atual

Professora: Simone Ferreira de Oliveira RF 8455881

EMEI Jardim Marilia

DRE – Itaquera

2020