Tarefa 6 – Curso EDH – Silvana Soares

Data

31 de julho de 2020

Cursista

Silvana Soares

Função

Professor de Educação Infantil e Ens. Fund. I

DRE / Unidade Educacional

Freguesia do Ó / Brasilândia

Escola

EMEF José Hermínio Rodrigues

Tarefa do curso: Educação em Direitos Humanos no contexto atual

 

TEMA: Desenvolvendo o olhar de igualdade para todo ser humano sobre a beleza das diferenças raciais.

 

JUSTIFICATIVA: Como professora nascida de cor parda, de uma filiação com a mistura de raças, trago traços físicos que não são 100% negros e nem 100% brancos. Também nascida na periferia e de escola pública. Sempre percebi as diferenças nos tratamentos das crianças negras e pardas. Como nunca sermos os primeiros da fila, sentarmos nas primeiras carteiras, não erámos a Miss Caipirinha e nem a rainha da primavera. Também não tinha histórias com príncipes negros. Sim mudanças ocorreram e constato uma melhora na relação com esse perfil de alunos nas escolas públicas que leciono e já lecionei ao longo de minha carreira no magistério. Sobre todos os temas propostos nas aulas dessa formação, a aula da professora Luciana Alves que abordou o temas: desigualdades educacionais e relações raciais me fizeram relembrar de minha própria experiência como aluna de escola pública localizada na periferia de São Paulo. Também os últimos acontecimentos como o aumento da intolerância com relação à todas as diferenças do ser humano, principalmente, com o corpo e suas diferenças feminino x masculino e negro x branco. E refletindo na educação em direitos humanos, direito que todos devemos ter, pensei na escola em que trabalho, nas crianças que atendo, nas famílias delas e como esse tema em questão foi escolhido para ser trabalhado com crianças saídas da Educação Infantil e chegando ao início da etapa do Ensino Fundamental I com todas as mudanças no olhar/pensar as diferenças de si e dos outros corpos.

 

PÚBLICO ALVO: O trabalho se destina as crianças do Ensino Fundamental I, em que, também, atuo (faixa etária de 6 e 7 anos)

 

INTENÇÃO: Promover com esta sequência de atividades uma reflexão sobre as diferenças para a partir do debate por meio das rodas de conversas desenvolver um (re)olhar que seja de amorosidade, respeito e carinho por si e pelo outro. Possibilitar experiências de visualizar a diversidade, ampliando o repertório cultural, além de promover o reconhecimento sobre os territórios em que vivem e convivem.

 

 

 

 

 

 

OBJETIVOS: Os objetivos, caminham de acordo com a Educação em Direitos Humanos e ao Currículo da Cidade de São Paulo que sintetiza na Matriz de Saberes uma formação que visa cidadãos éticos, responsáveis e solidários que fortaleçam uma sociedade mais inclusiva, democrática, próspera e sustentável. Buscaremos reforçar nas séries iniciais a boa prática dessas ações, propiciando o desenvolvimento e aprimoramento dessas ações para:

 

✓ Refletir sobre a convivência social de respeito aos direitos humanos;

✓ Desconstrução de papeis sociais;

✓ Desnaturalizar ações de discriminação, preconceito e violência envolvendo questões de gênero e raça;

✓ Problematizar discussões acerca da desigualdade de raça e gênero no contexto escolar;

✓ Possibilitar a abertura à diversidade;

✓ Desenvolver a empatia;

✓ Ampliar o repertório cultural;

✓ Difundir práticas pedagógicas de respeito, empatia, solidariedade e cultura da paz.

 

RESULTADOS ESPERADOS: Espera-se com essa proposta de trabalho um grande envolvimento não somente dos alunos, mas de toda a comunidade escolar e dos familiares. Que essa proposta pedagógica busque colocar em prática a Educação para os Direitos Humanos de todos e que, de fato, seja vivenciada por todos os educadores que fazem parte da educação formal. Além de se estender e avançar para os territórios em que vivemos e convivemos. A importância do ouvir o outro, do dar espaço e vozes a todos para assim se sentirem parte integrante da comunidade escolar. Está proposta se dará cotidianamente ao longo do ano letivo como por exemplo nas mediações de conflitos dentro da escola onde sempre relembramos a importância do respeito para si próprio e para o outro. Acreditamos contribuir para a construção de um mundo melhor para todos os seres humanos.

 

 

 

 

DURAÇÃO: Um semestre. Lembrando que esse trabalho a ser desenvolvido com crianças iniciará nos anos iniciais do Ensino Fundamental I podendo continuar no ciclo de alfabetização. As atividades serão propostas em toda semana, em uma dia especifico e com o tempo de uma hora aula.

 

SEQUÊNCIA DE ATIVIDADES:

  1. Gênero:

1ª Etapa – Roda de Conversa – Tema: O que é ser menina e o que é ser menino? Conhecer o que a turma pensa sobre gênero masculino e feminino.

Após propor uma pesquisa para entregar com propostas para a construção de novas formas de fila de alunos que não seja só de meninos e outra só de meninas.

2ª Etapa – Listar as propostas de novas formas de fila de alunos. Após deixá-los decidir ou votarem na nova forma de fila estabelecida pela sala.

3ª Etapa – Criar o dia do “Mesmo brinquedo ou brincadeira”. Estabelecer uma hora aula em um mesmo dia da semana para o brincar, por um período de tempo, todos com bonecas, na próxima aula todos com carrinho. Depois de Cozinhar, de Bola e outras.

4ª Etapa – Pesquisar vídeos/filmes/desenhos infantis que tratem da questão de gênero em consonância com os documentos que legitimam e apoiam os Direitos Humanos.

  1. Relações Raciais:

1ª Etapa – Roda de Leitura – Livro: Na minha escola todo mundo é diferente.

Após propor um desenho de si mesmo. Tema: Como eu sou. Após recolher e nomear.

2ª Etapa – Roda de Leitura – Livro: O Cabelo de Lelê.

Após propor um desenho do outro. Tema: Como o aluno (nomear quem) é.

3ª Etapa – Selecionar e agrupar os desenhos da mesma criança. Após fotografar a criança com seus dois desenhos, sendo uma foto para cada aluno da turma.

4ª Etapa – Gravar um vídeo dessa coletânea de fotos e leva-los a sala de vídeo para assistir e lá mesmo abrir uma roda para a discussão. Como me enxergo e como meu amigo me vê?

 

 

 

5ª Etapa – Roda de Conversa – Tema: Qual a minha cor de pele?

Observar como cada criança se enxerga e ouvir suas falas, se são ou não preconceituosas.

6ª Etapa – Vídeos: Discriminação Étnica(2ªparte) Maurício de Souza. Racismo e preconceito, não! DVD Super Eca.

Após contornar com canetão o corpo de cada aluno no papel kraft.

Propor a construção junto com a família do auto retrato para entrega com data posterior.

7ª Etapa – Tour pela escola com a proposta de observar todos os educadores da U.E., isto é, todos que trabalham na escola em todas as áreas.

Após uma roda de conversa com o tema: “As pessoas são Iguais ou Diferentes?”

Propor um desenho junto com a família que mostre por meio do lápis de colorir a cor da pele de todos os familiares.

8º Etapa – Roda de Conversa – Tema: O globo terrestre.

Mostrar no globo o Continente Africano e o Brasil. Iniciar uma conversa sobre miscigenação.

Propor pesquisa de roupas, comidas e brinquedos das crianças africanas.

9º Etapa – Empréstimo de livros – Repertoriar os alunos com bibliografia sobre histórias de crianças de culturas diferentes.

10º Etapa – Visita ao Museu Afro Brasil.

 

AVALIAÇÃO: Por meio de registros fotográficos, vídeos, anotações individuais das falas significativas, referente ao tema abordado, entrega das atividades propostas e a participação.