Tarefa 6 – Curso EDH – Sheila de sousa ferreira

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Sheila de sousa ferreira

Função

PROFESSORA CAT 3 PORT.

DRE / Unidade Educacional

São Miguel Paulista

Escola

MURUREs

TAREFA DO CURSO RESPEITAR É PRECISO

EDH- Educação em direitos Humanos

EMEF MURURÉS

Professora responsável: Sheila de Sousa Ferreira

PROJETO LEITORES E LEITURAS

 

Público Alvo: estudantes do Ensino Fundamental

(Ciclo de alfabetização, ciclo Interdisciplinar e ciclo autoral)

 

Justificativa:

A EMEF Mururés está localizada na periferia de São Paulo, recebe alunos da comunidade, que apresentam alta vulnerabilidade social e sem acesso aos bens culturais

A perspectiva sobre a leitura é concebida como um processo capaz de contribuir no processo de humanização das relações humanas, embora tal afirmação nos pareça redundante, ela busca explicitar quão necessário se faz ampliar a discussão no campo da diversidade, da alteridade entre tantos outros aspectos que impactam na vida em sociedade e nas dimensões da escola.  Nesse sentido, o  projeto que se desmembra em várias ações que nascem na sala de leitura partem sempre do fazer literário para a busca do, além de todas as práticas, trabalhar com a linguagem, pois é na linguagem e pela linguagem que nos constituímos sujeitos sendo a leitura um meio essencial para contribuirmos com a formação desses sujeitos.

 

”As sociedades são marcadas e caracterizadas pela diversidade. Ainda que seus membros sejam muito parecidos, todos apresentam características singulares que os diferenciam uns dos outros. As diferenças de caráter cultural, físico, social, intelectual, de gênero, faixa etária, entre tantas, estão presentes em todas as formas de agrupamento humano e, quando respeitadas, abrem caminho para a inclusão, o respeito e a vida democrática.”  (EDH- 2020)

 

As ações pedagógicas serão pautadas para contribuir na formação de sujeitos que se apropriem da cultura escrita e sua peculiaridade estética, ou seja, produto artístico/literário. Numa perspectiva de desenvolver o olhar sobre si e sobre o outro.

Nesta perspectiva, o papel das ações desenvolvidas no projeto da sala de leitura está centrada  na formação do leitor autônomo para além do texto, mas para o seu desenvolvimento humano; para tanto concebemos como necessário o encaminhamento da reflexão sobre as questões fundamentais que devem permear o cotidiano da sala de aula em consonância com o projeto desenvolvido na escola de forma a articular as demandas/ações dos professores regentes de classe e/ou disciplina buscando a construção de um currículo integrador. A multiplicidade do material requer a ampliação de repertório, a abertura de espaço para a leitura dos mais diferentes títulos. Os assuntos/temas devem proporcionar a sensibilidade a estética da arte literária e a ética humana capaz de despertar um olhar sobre si e sobre o outro.

Por entendermos a leitura como um processo capaz de proporcionar a ampliação da capacidade de aprender como um todo indo além da mera recepção mecânica que limita a capacidade do pensar e do agir, o projeto busca, além de todas as práticas, trabalhar com a linguagem, pois é na linguagem e pela linguagem que nos constituímos sujeitos sendo a leitura um meio essencial para contribuirmos com a formação desses sujeitos.

As ações pedagógicas serão pautadas para contribuir na formação de sujeitos que se apropriem da cultura escrita e sua peculiaridade estética, ou seja, produto artístico/literário.

Cumpre ainda ressaltar que estamos em consonância

  • I – o currículo na perspectiva emancipatória e integradora, tendo a dialogicidade como norteadora do trabalho pedagógico e, a leitura, como um processo de compreensão mais abrangente da realidade;
  • II – a leitura do mundo precedente à leitura da palavra, entendendo que a leitura começa antes do contato com o texto e vai para além dele;
  • III – a garantia da bibliodiversidade de forma a atender toda a comunidade educativa, tornando propício o trabalho com a leitura que o leitor pode fazer de si, do outro e do mundo;
  • IV – a literatura enquanto direito inalienável do ser humano e como fonte das várias leituras da realidade e do próprio desenvolvimento da história e das culturas.

IV – dar visibilidade às literaturas não hegemônicas, à literatura marginal periférica, à literatura de mulheres, negros, indígenas  e LGBT

Tempo de duração: ação a ser desenvolvida ao longo do ano letivo

 

Ações

 

Leitura diária – Leitura realizada diariamente no inicio da aula para fruição

Roda de leitura – Leitura e partilha das impressões

Eu li e recomendo – Leitura feita com a família e realização de divulgação do que leu

Leitura Simultânea – Consiste numa parada em que professores e funcionários, após escolha e preparo irá ler para grupos de alunos. A divulgação ou a escolha dos grupos pode variar, ou seja, ele pode participar conhecendo a sinopse do livro, conhecendo apenas a capa ou sem conhecimento prévio do texto a ser lido

Sarau – A ação mobiliza todos da unidade com a preparação de textos autorais, textos de autores, que serão escolhidos, músicas, performances e exposições.

Festival Literário – Implica em ações desenvolvidas por todos os professores com oficinas, apresentações de culturais, escritores convidados, mesa de recomendação literária.

Obs. Esse projeto foi reelaborado inserindo novas ações de forma a trazer maior envolvimento de toda a comunidade escolar.

Avaliação- A avaliação desse projeto poderá ser na roda de conversa, buscando a escuta das participações sobre o que foi lido.

Levantamento das impressões por meio de pesquisa com os alunos

Análise sobre as temáticas.

Verificação se os desdobramentos de trabalho com a leitura têm refletido nas escolhas dos títulos, na circulação e quais discussões tem suscitado e o trato nas relações com os sujeitos com os quais se relacionam nos espaços da escola e para além dela.