Tarefa 6 – Curso EDH – Sara Melo da Silva Portes

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Sara Melo da Silva Portes

Função

Assistente de diretor

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

Emef Hipolito Jose da Costa

Sequencia de atividades

Tema: Relações étnico-raciais, caminhando para uma igualdade.

Justificativa

Este tema é muito pertinente às vivências e experiências escolares. No contexto escolar convivem entre si pessoas de etnias diversas, sendo nele também onde ocorrem em alto número ações de preconceito e discriminação baseadas nas diferenças de características físicas dessas etnias.

É importante reconhecer que a escola tem o desafio de orientar e formar seus alunos para que eles percebam quais ações discriminatórias ou preconceituosas estão atingindo e causando danos àqueles que pertencem à esses grupos étnicos que recorrentemente sofrem com esses tipos de ações e possam refletir a respeito, transformando suas ações em respeito às diferenças reconhecendo que seres humanos são diferentes entre si mas, todos pertencentes à uma mesma raça sem distinção ou divisão.

Público Alvo

Alunos do Ensino Fundamental II

Finalidade

O trabalho com este tema pressupõe uma preocupação com o bom convívio e o respeito nas relações estabelecidas entre todos.

Espera-se que os alunos compreendam que ver o outro, demonstrar empatia, ser colaborativo e valorizar as diferenças culturais existentes é um princípio básico de ser um ser humano que utiliza-se das suas potencialidades e reconhece seu lugar e o lugar do outro no mundo, celebrando as diversidades humanas presentes no nosso planeta como sendo a demonstração do que somos capazes enquanto humanidade, enquanto seres pensantes, racionais e multiculturais.

Objetivos

  • Reconhecer e valorizar as múltiplas culturas dos povos habitantes do nosso planeta.
  • Valorizar a cultura dos colegas oriundos de outros países ou pertencentes a etnias afros.
  • Reconhecer-se parte de etnias afros, sentindo-se valorizado neste pertencimento.

 

Duração

Um semestre.

Desenvolvimento das atividades

 

As atividades devem ser desenvolvidas de acordo com o ritmo e faixa etária da turma, podendo sofrer adequações de tempo, espaço ou conteúdo para atender às necessidades dos alunos.

Atividade inicial

Propõe-se uma roda de conversa com os alunos pedindo que os mesmos apontem as etnias que conhecem e falem um pouco da cultura de cada uma. ( o professor mediador deve anotar essas contribuições para utilizar em uma aula futura).

Nesta mesma roda de conversa, questiona-se os alunos se eles reconhecem pessoas de seu convívio que são das etnias apontadas por eles.

Atividades a serem desenvolvidas ao longo do semestre

Atividade 1

Deverá ser trazido para a sala cartazes que ilustrem ( com realidade e precisão) as etnias mais incidentes em nosso país ou na região na qual a escola se encontra, mostrando e explicando aos alunos de onde são, características físicas e culturais.

Após a apresentação questiona-se os alunos se algum se reconheceu parte de alguma das etnias representadas e caso hajam respostas positivas, solicitar que eles falem um pouco sobre a cultura ou vivências.

Após tais apresentações, o professor mediador mostra o cartaz produzido na aula anterior quando os alunos fizeram seus apontamentos sobre etnias e culturas que conheciam, comparando esses conhecimentos com o apresentado nesta aula.

A seguir, deve-se solicitar que cada aluno escolha um grupo étnico sobre o qual deseja pesquisar e o traga na próxima aula.

Atividade 2

 

Nesta aula os alunos devem apresentar suas pesquisas demonstrando para os demais alunos o que conseguiu de informação sobre as etnias pesquisadas.

Após a apresentação o professor mediador, propõe um debate sobre quais etnias foram mais pesquisadas, o por quê de serem mais pesquisadas e a quantidade de alunos que se identifica com a mesma.

 

 

Atividade 3

 

Apresentação do filme: Kiriku e a feiticeira.

Kiriku e a Feiticeira. Na África Ocidental, nasce um menino minúsculo, cujo tamanho não alcança nem o joelho de um adulto, que tem um destino: enfrentar a poderosa e malvada feiticeira Karabá, que secou a fonte d’água da aldeia de Kiriku, engoliu todos os homens que foram enfrentá-la e ainda pegou todo o ouro que tinham. Para isso, Kiriku enfrenta muitos perigos e se aventura por lugares onde somente pessoas pequeninas poderiam entrar.(Fonte:https://www.geledes.org.br/kiriku-e-feiticeira/)

 

 

 

Atividade 4

 

Após a exibição do filme Kiriku e a feiticeira, realizar um debate sobre as considerações dos alunos a cerca do filme. Solicitar que os mesmos explicitem suas impressões e expliquem o por quê delas.

O professor mediador deve ir interpondo entre as considerações observações importantes a cerca do filme, tal como, os usos e costumes do povo representado no filme( Guiné, país africano, o filme é uma lenda deste povo), a qual etnia pertence aquele povo, as crenças deste povo, a importância que existe em cada personagem e o por quê cada um age de uma maneira.

Buscar realizar inferências com a realidade dos alunos, fazendo-os se apropriar dos elementos do filme.

Após a discussão, propor que cada aluno se coloque em papel do filme, construindo para si um personagem, descrevendo o que veste, do que gosta, o que faz, se baseando nas explicações do professor sobre a cultura e costumes do povo representado no filme e apresente-o à turma fazendo uma descrição detalhada da construção que realizou.

O professor deverá questionar os alunos sobre a forma como se sentiu em representar o papel por ele escolhido, se sente-se à vontade em fazê-lo e teria orgulho em fazer parte daquele grupo étnico.

 

Atividade 5

                               Pedir aos alunos que busquem em revistas figuras que pelas características físicas poderiam fazer parte do grupo étnico apresentado no filme, pedir que as recortem e confeccionem cartazes enriquecendo-os com elementos encontrados no filme por meio de desenhos, descrevendo um pouco a cultura do povo africano representado no filme.

Expor os cartazes na escola para os demais alunos verem.

Após finalizar essa tarefa, fazer uma reflexão com os alunos levantando as questões: foi difícil achar pessoas que se parecessem com as do filme? Que tipos de pessoas são mais comuns aparecerem nas revistas, na TV e em propagandas de outdoors? As pessoas que mais aparecem nestes meios de comunicação se parecem com você?  Como você se sente com isso?

Atividade 6

Propor um questionário aos alunos para que os mesmos explicitem se já vivenciaram, fizeram ou viram alguém sofrer preconceito por ser parte de um determinado grupo étnico.

Perguntas a serem utilizadas:

  • Você já viu alguém sofrer preconceito por sua característica física?
  • Você já sofreu algum preconceito?
  • Você já viu alguém ganhar apelidos por sua característica física?
  • Você já apelidou alguém?
  • Você já foi apelidado?
  • Como uma pessoa que sofre preconceito se sente?
  • O ser humano tem o direito de fazer preconceito com o outro por ser diferente de si?

Com posse das respostas e sem mencionar os autores, o professor traz para a sala gráficos ou cartazes com as respostas que  surgiram em maior quantidade, com as respostas mais marcantes, com fatos chocantes e com o reconhecimento daqueles que praticam o preconceito.

Em paralelo a esses dados, professor apresenta dados de pesquisas com os números de pessoas que sofrem essas ações no nosso país e a quantidade total de pessoas pertencentes à etnias no território brasileiro.(foto 1)

Sugestão de pesquisa: https://piaui.folha.uol.com.br/lupa/2019/11/20/consciencia-negra-numeros-brasil/

Atividade 7

Propor que os alunos pensem em ações a serem realizadas na escola a fim de minimizar o preconceito e conscientizar os demais alunos sobre a importância do respeito às diferenças.

Espera-se que os alunos promovam debates, busquem maneiras de representatividade e valorização das etnias que sofrem preconceitos.

Solicitar que essas ações sejam multiplicadas nos bairros onde moram e com as pessoas que convivem e que os alunos sempre se interponham diante de ações de preconceitos as quais presenciar.

 

Avaliação

No decorrer do processo, o professor mediador por meio de observação e registro, deverá avaliar a participação, engajamento e comprometimento com o tema. Deverá também, observar se os alunos se auto reconhecem e conseguem transformar suas ações a partir das reflexões aqui propostas.

Residentes no Brasil por raça