Tarefa 6 – Curso EDH – Sandreana Nogueira Bahia Lima

Data

29 de julho de 2020

Cursista

Sandreana Nogueira Bahia Lima

Função

Professor de Educação Infantil

DRE / Unidade Educacional

São Mateus

Escola

Cei Maria Aparecida Nascimento

Tarefa – Educação em Direitos Humanos: Desafios do contexto atual

  •  Título – Identidade e Relações Étnico-raciais
  •  Educação Infantil – 3 anos
  •  Justificativa –

 No cotidiano do espaço educativo, as vivências são pensadas em explorar a identidade e as questões étnico-raciais pois as crianças começam a perceber as diferenças físicas entre si e, viabilizando o conhecimento de si e do outro, o respeito mútuo, o respeito a diversidade cultural, social, racial e de gênero desconstruindo assim estereótipos.

  • Finalidade –

 Essas ações realizamos na escola de acordo com o Currículo da Cidade Educação Infantil para combater o racismo, para construir relações mais saudáveis trabalhando com os alunos o respeito a diversidade por meio de ações educativas respeitosas.

  • Objetivos –

 – Perceber que as pessoas têm características físicas diferentes e respeitar essas diferenças;

– Respeitar as diferenças das culturas africanas, afro-brasileira, indígena e imigrantes, considerando que todos os povos produzem cultura e conhecimento;

– Experimentar situações de interações por meio da música e brincadeiras pois se descobre e se conhece o mundo através do brincar, das relações mais variadas com o ambiente, com os objetos e as outras pessoas principalmente entre crianças;

– Aprender a conviver sendo uma das intenções que engloba as mais variadas vivências e atendem a diversidade cultural, religiosa, raça e quaisquer diferenças que tenham entre bebês e crianças.

– Ofertar as crianças representações gráficas, literárias, cientificas e artísticas que contemplem essa diversidade;

– Vivenciar a cultura africana e afro-brasileira de forma lúdica para diminuir o preconceito.

  • Duração – todo ano letivo
  • Atividades – Dentre as materialidades é possível exemplificar:

1º – Brincadeiras na frente do espelho, evidenciando as diferenças de cada um, promovendo se olhar no espelho, observar, mexer nos cabelos, colocando laços e turbantes – empoderamento;

2º – Roda de conversa sobre as percepções e as diferenças percebidas (cor do olho, cor da pele, cabelo curto etc.);

3º – Painel com foto das crianças, imprimir em preto e branco com o objetivo das crianças se reconhecerem;

4º – Roda de história com livros para que todos se sentissem representados como: O cabelo de Lelê – Valéria Belém, Doce princesa Negra – Solange Cianni, Menina bonita do laço de fita- Ana Maria Machado, Meninas Negras- Madu Costa, Kunumi Guarani – escrito pelo menino indígena Werá Jeguaka Mirim, etc;

6º Roda musical (Normal é ser diferente de Jair de Oliveira, Make Tume Tume Papa – música cantada por Manoel Crespo);

7º – Brincadeiras Africanas (Terra-Mar, Neéz deguíaan, Dosu, Pilolo, Acompanhe meus pés, Nyaga Nyaga Nya);

8º – Contos e músicas africanas.

  • Avaliação –

A avaliação será por meio da escuta e observação cotidiana, nos registros diários em suas minucias, no protagonismo infantil relatados em suas falas, ações e atitudes de conscientização do aprendizado, no sentido de que compreenderam que todos, independentemente de suas origens, gênero, cabelo ou condição social devem ser respeitados e têm direitos e deveres em qualquer lugar do território em que estiverem.