Tarefa 6 – Curso EDH – Sandra Regina da Silva patrocinio

Data

20 de julho de 2020

Cursista

Sandra Regina da Silva patrocinio

Função

prof Ed inf I e Fundo I

DRE / Unidade Educacional

Itaquera

Escola

EMEI Najla Curi Izar

São Paulo, 17 de julho de 2020.

Sandra Regina da Silva Patrocinio. RF: 820.4306./1

UNIDADE EDUCACIONAL: EMEI NAJLA CURI IZAR.

 

PLANO DE AÇÃO

EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS.

JUSTIFICATIVA: Um modo muito efetivo de enfrentar esse desafio na Educação Infantil é ofertar às crianças representações gráficas, literárias, científicas e artísticas que contemplem essa diversidade, para que encontrem nos textos lidos personagens que protagonizem diferentes histórias. Dessa forma, bebês e crianças se reconhecem em suas identidades e podem compreender a diversidade étnica e racial do mundo como uma grandeza de experiências e possibilidades. (Currículo da Cidade página 46).

ORGANIZAÇÕES ENVOLVIDAS: Conselho de Escola/Conselho Mirim/Facebook.

INTENÇÃO: Propor vivencias e experiências onde possibilite apreciar, discutir, participar e contribuir para que possam refletir e conviver de verdade num grupo em que as características físicas de todas as crianças (cor de pele, cabelos, modo de falar, peso etc.) são valorizadas, e não representam motivo de segregação, ouvir histórias e participar de projetos que apresentem a cultura, as narrativas, a música e a poesia de diferentes grupos étnicos, povos e países também são formas de estender os horizontes culturais das crianças e de ensiná-las atitudes de interesse e cuidado para com o outro.

 

OBJETIVOS: Trabalhar com toda a comunidade escolar o respeito à diversidade por meio de ações educativas e respeitosas.

DURAÇÃO: ANUAL

AÇÕES A SEREM DESENVOLVIDAS:

Espalhar pela unidade entrada, pátio e corredores onde todos tem acesso tanto funcionários com os familiares fotos das crianças, funcionários e familiares com frases para reflexão.

Construir com as crianças uma amarelinha africana trabalhar as regras e apreciação da música e origem.

Construir com as crianças o jogo pulando feijão e origem do jogo.

Jogos de pular Saltando feijão

Adaptação de uma brincadeira infantil da Nigéria. Originalmente esta brincadeira é descrita utilizando um saco de feijão amarrado ao final de uma corda, o que explica o nome do jogo. Nas oficinas do LAAB o material foi adaptado para uma garrafa plástica, devido a maior facilidade de prendê-la ao final da corda. Segue a adaptação criada nas oficinas: Prenda uma garrafa pet (com um pouco mais de 250 gramas de feijões dentro) na ponta de uma corda longa, conforme a foto. Escolha um aluno para girar essa corda no chão. Os alunos devem ficar em círculo. O aluno que irá balançar a corda fica no meio. Este balança a corda perto do chão e os jogadores devem pular para não serem atingidos pela corda. Caso isto aconteça o jogador estará fora do jogo. O jogo continua até que haja apenas um jogador, o qual será o vencedor.

Brincadeira escravo de Jó.

APRESENTAR A CAPOEIRA EVENTO INCLUSIVO INFANTIL CULTURAL

A capoeira é uma representação cultural que mistura esporte, luta, dança, cultura popular, música e brincadeira.

A prática da capoeira trabalha a coordenação motora, aprimora a flexibilidade, equilíbrio e destreza, alivia as tensões do dia a dia, proporciona criatividade e liberdade de movimentos.

Roda de conversa propor as crianças que criem duplas para fotografarem os amigos de outras classes,funcionários e familiares para construirmos um painel onde trabalharemos à diversidade.

Propor ao grupo recorte de textos para reflexão durante reunião do conselho e discutir as propostas para trabalhar com os familiares nos encontro (Dia da família) , como continuidade da proposta trabalhada com as crianças e demais funcionários. Escolha de brincadeiras e atividades de artes para trabalhar em outros momentos.

CARIMBÓ Apresentar as crianças a dança Carimbó suas contribuições e origem.

Roda de conversa propor as crianças que criem duplas para fotografarem os amigos de outras classes,funcionários e familiares para construirmos um painel onde trabalharemos à diversidade.

Propor ao grupo recorte de textos para reflexão durante reunião do conselho e discutir as propostas para trabalhar com os familiares nos encontro (Dia da família) , como continuidade da proposta trabalhada com as crianças e demais funcionários. Escolha de brincadeiras e atividades de artes para trabalhar em outros momentos.

HISTÓRIAS:

POR QUE AS GALINHAS D’ANGOLA TÊM PINTINHAS BRANCAS 

Meu Crespo é de Rainha

CHICO JUBA

Os cabelos de Sara

MÁSCARAS AFRICANAS.

Construiremos com as crianças utilizando papelão , canetinhas, tinta guache e tesoura.

Com uma máscara no rosto podemos nós transformar em muitas coisas podemos fazer de conta que somos outra pessoa, que somos um animal, não é mesmo?

Essa transformação pelo uso de máscaras é muito apreciada na cultura Africana, a maioria das máscaras africanas é feita de madeira e as pinturas dela é feita com tinta de folhas, frutos,alguns legumes e até mesmo de terra.

Para algumas tribos Africanas, as máscaras podem ser criadas para garantir uma boa colheita, para outros elas servem para identificar uma família.

AVALIAÇÃO:

Trabalho foi elaborado coletivamente pelas professoras da unidade onde todas trabalharão com a mesma proposta tendo consciência que no atual momento é necessário se trabalhar as questões abordadas.

Mediante participação de todos os envolvidos registraremos as propostas conforme for acontecendo no facebook da unidade como também com fotos nos painéis em pontos estratégicos onde todos possam ter acesso.

MÁSCARAS AFRICANAS

MEU CRESPO É DE RAINHA