Tarefa 6 – Curso EDH – Sandra Aparecida Moura de Oliveira

Data

27 de julho de 2020

Cursista

Sandra Aparecida Moura de Oliveira

Função

Professor de educação infantil

DRE / Unidade Educacional

Capela do Socorro

Escola

CEU CEI CIDADE DUTRA

 

Sequencia sobre Brincadeira

 

Brincamos porque somos todos Iguais…

 

Público-alvo: Mini Grupo II -CEI

 

Faixa Etária: 3 a 4 anos

 

Duração: 2 meses

Duas vezes na semana

 

 

Justificativa:

 

A escola tem um papel muito importante na vida das crianças, das famílias e dos educadores e demais pessoas que frequentam a mesma. O que mais encontramos na escola é a diversidade de etnias, de cultura, de religião, etc. Por esse motivo reconhecer a diversidade e valoriza lá é de suma importância para o acolhimento e o respeito às diferenças. E como a educação infantil é o espaço privilegiado do brincar, pois o brincar é uma importante maneira de comunicação e aprendizagem. Educar junto ao brincar institui conhecimentos e o desenvolvimento relevantes na formação do indivíduo visto que permite, através do lúdico, vivenciar a aprendizagem como metodologia social. Trabalhar a diversidade na sala de aula através brincar permitira que as crianças tenham experiências emocionais significativas.  Acredito que assim cultivaremos crianças com valores sensíveis, que são capazes de valorizar as diferenças étnicas, religiosas, culturais, ideológicas, através das brincadeiras em diferentes etnias.

 

Objetivo geral:

 

  • Trabalhar a diversidade cultural através das brincadeiras nas diferentes culturas, como as indígenas, africanas e de diferentes regiões do país. Identificar semelhanças e diferenças entre as brincadeiras dessas culturas.

 

 

 

Objetivo Específico:

 

  • Nesta sequência didática, as crianças compartilharão de diferentes tipos brincadeiras de normas simples. Essas brincadeiras serão proporcionadas de distintas maneiras.
  • Promover o respeito às diversidades culturais através da brincadeira. Mostrando como essas culturas nos apresentam divertidos ensinamentos.
  • Aproximar meninas e meninos nas brincadeiras trabalhando também a questão de gênero na escola, onde todos tem a mesma oportunidade de brincar nas diversos tipos de brincadira.

 

 

 

Desenvolvimento:

 

  • De início em uma roda de conversa apresentar para o grupo de crianças a sequencia que será trabalhado. Conversarmos sobre quais as brincadeiras que as crianças gostam de brincar. Fazer uma lista com as brincadeiras preferidas das crianças.
  • Em outro momento conversar com as crianças sobre como será as brincadeiras das crianças indígenas. Após ouvi las apresentar três brincadeiras originarias dos povos indígenas. Utilizarei imagens e vídeos das crianças brincando. A brincadeira será peteca e bilboquê e corrida do Saci
  • Em seguida nos organizarmos para brincar no parque ou na sala a corrida do Saci. Explicar as regras e logo em seguida se divertir com as crianças.
  • para escolher um dos brinquedos para confeccionarmos para brincar no dia e nos outros dias quando sentirem vontade.
  • Permitir que as crianças levem para casa o brinquedo confeccionado para brincar com a família.
  • Em outro momento confeccionar o segundo brinquedo apresentado para as crianças e brincarmos com o brinquedo após sua confecção e permitir que também levem para casa para se divertir com a família.
  • Após essa experiência sobre a construção e conhecimento das brincadeiras dos povos indígenas, ouvir das crianças sobre o que acharam dessas brincadeiras, se foram divertida como as brincadeira preferidas que haviam dito no inicio da sequencia. Com essa conversa mostrar para as crianças como as diferentes culturas têm brincadeiras tão divertidas como as que estamos acostumados a brincar em nossa cidade. E como os meninos e as meninas brincam da mesma maneira sem ter aquele titulo de brincadeira de menino ou menina. Todos podem brincar igualmente.
  • Em outro momento conversarmos sobre como será as brincadeiras das crianças africanas. Será que brincam como as crianças do nosso país? Será que brincam como os povos indígenas? Entre outras perguntas. Após ouvir as crianças mostrar imagens e vídeos das crianças africanas brincando a brincadeira: Terra –Mar, Obwisana e Mbube: Chamar o leão.
    Essas brincadeiras não necessitam de matérias para construir, são brincadeira de movimentos.
  • Decidir com o grupo qual das brincadeiras iremos brincar primeiro e quais serão as seguintes.
  • A cada dia realizarmos as brincadeiras na sala ou no parque.
  • Após termos experimentado com as crianças as brincadeiras africanas, em roda de conversa saber das crianças sobre o que acharam da experiência de brincar com as brincadeiras africanas. Exaltando como a cultura negra também nos ensina e diverte. Nesse mesmo momento conversar com as crianças sobre as brincadeiras que os pais ou responsáveis realizavam quando crianças. Pedir para que conversem com os pais para saber qual o estado que nascerem e onde brincavam.
  • O próximo passo ouvir as crianças sobre as conversas com os responsáveis e nos organizarmos para realizar essas brincadeiras no CEI, tentando abranger os mais diversos Estados brasileiros presentes dentro da escola com o conhecimento tragos pelas famílias.

 

  • Convidar a equipe da limpeza e da cozinha para nos contar onde nascerem e as brincadeiras que mais gostavam quando criança e em diversos momentos convida las para brincar e ensinar para o grupo caso seja possível por elas.

Avaliação:

 

A avaliação será feita através de registros escrito e fotográfico O processo de avaliação será contínuo, a aprendizagem dever ser avaliada durante todo o trabalho. Esses registros serviram  atender às mudanças que sejam necessárias segundo os interesses das crianças diante das propostas.