Tarefa 6 – Curso EDH – Samir Ahmad dos Santos Mustapha

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Samir Ahmad dos Santos Mustapha

Função

Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental/ ATE I

DRE / Unidade Educacional

Penha

Escola

CEU EMEF Rosangela Rodrigues Vieira

SEQUÊNCIA DIDÁTICA – MÚSICA POPULAR BRASILEIRA E OS DIREITOS HUMANOS

PROFESSOR: SAMIR AHMAD DOS SANTOS MUSTAPHA

PUBLICO – ALVO: ALUNOS DO CICLO AUTORAL: 7º AO 9º ANO

 

  • O tema proposto

Trabalho com um projeto literário, chamado Academia Estudantil de Letras. Neste projeto, os alunos participantes realizam semanalmente atividades de estudos literários e, na AEL, desenvolvem o gosto pela leitura e escrita, bem como a reflexão crítica e apreciação de obras artísticas.

Dentro dessa abordagem, escolhi a Música Popular Brasileira como tema e estratégia pedagógica para abordar, com o grupo de alunos, questões fundamentais na formação cidadã e compreensão histórica. Temas sociais perpassam a história da música brasileira em suas letras ou contextos sociais nas quais foram escritas. Dessa forma, a proposta de trabalho visa repertoriar os alunos com obras do cancioneiro nacional e contextualizar questões fundantes da temática, em especial a Declaração Universal dos Direitos Humanos e, trazendo a temática para a realidade brasileira, fatos históricos de infração desses valores, como a Ditadura Civil – Militar (1964-1985) e direitos humanos ainda pouco aprofundados, como as questões étnico-raciais e de gênero e as desigualdades sociais, que intensificam a supressão de direitos.

  • Justificativa  

A proposta de trabalho se consolida na intenção de valorizar nossa cultura musical tão ampla e rica, bem como a demanda necessária de valorização dos direitos humanos e a formação cidadã dos alunos. Questões de nossa realidade social precisam serem trabalhadas em sala de aula, a escola deve estar sintonizada com temas tão essenciais na superação de disparidades sociais e falta de direitos. Dessa forma, considerando também o momento histórico que vivemos com claro flerte autoritário, nem bem passadas três décadas e meia do fim de um regime ditatorial, fazem-se necessários um trabalho desse tipo na formação dos jovens.

  • A quem o trabalho se destina

Alunos do Ciclo Autoral na Prefeitura Municipal de São Paulo, participantes do projeto AEL (Academia Estudantil de Letras), sendo cerca de 30 alunos participantes.

No projeto os alunos realizam pesquisas, fazem leituras e apreciações de textos e obras, sendo um espaço privilegiado para a proposta em tela.

  • Finalidade – Qual a sua intenção, o que você deseja promover com este seu trabalho educativo.

Trazer à tona questões dos direitos humanos como princípios necessários a toda a população e ampliar o gosto dos alunos pela música brasileira, bem como conhecimento da história do país contada pelas canções.

  • Objetivos/Resultados esperados

Ampliar o repertório cultural dos alunos/ Apresentar artistas e músicas brasileiras/ Favorecer a apreciação e o gosto literário/ Desenvolver o senso crítico dos alunos sobre questões inerentes aos direitos humanos/ Apresentar os valores essenciais presentes na Declaração Universal dos Direitos Humanos/ Fazer correlações com infrações aos direitos humanos na Ditadura Civil-Militar e nos dias atuais.

  • Duração – Quanto tempo você prevê que será necessário.

Como as aulas no projeto são semanais, o projeto se estenderá por dois meses, tempo suficiente para a proposta ser aprofundada nas aulas e nas pesquisas e estudos não presenciais.

  • As atividades que comporão a sequência

Aula 1 – Apresentação do tema

A primeira aula começará com a apresentação do conceito Direitos Humanos, ouvirei dos alunos o que sabem do tema e em que contexto ouvem falar do mesmo.

A partir do que apresentarem inicialmente pensaremos coletivamente:

Todos têm Direitos Humanos? Quais situações demonstram a falta de Direitos Humanos?

Para qualificar a discussão, será apresentado o didático livro da escritora Ruth Rocha sobre o tema, intitulado Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Como atividade complementar os alunos ouvirão o disco Os direitos da criança, do Toquinho.

Para a próxima aula irão pesquisar, com os pais e em outros mecanismos de pesquisa, o que foi a Ditadura Militar.

Aula 2 – A Ditadura Militar no Brasil

Na segunda aula os alunos apresentarão respostas à questão, o que sabem a respeito do período militar e o que entendem como uma ditadura. A pergunta se relaciona com o conteúdo trabalhado na primeira aula e a questão inicial a se colocar é:

Na Ditadura Militar os direitos humanos eram respeitados?

A partir desta premissa, será apresentado aos alunos o disco O banquete dos mendigos, que  foi um show organizado por Jards Macalé com a participação de vários artistas, em comemoração dos 25 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1973, e lançado como um LP duplo em 1979. A proposta do disco era denunciar a supressão dos direitos humanos no período militar.

Posteriormente será mostrada aos alunos uma canção que denunciam as prisões, tortura, exílio e falta de direitos humanos no período militar: Acorda Amor, de Chico Buarque. A canção retrata não apenas o momento histórico da canção, mas pode ser pensada na contemporaneidade, já que traduz o medo que os defensores da democracia, dos direitos humanos e principalmente os pobres e pretos das periferias têm​ da polícia.

Para finalizar a aula será apresentada outra canção do mesmo artista: Apesar de você. A ideia é que os alunos compreendam a linguagem da espreita, de se falar de um tema disfarçadamente para não haver censura. Dessa forma, terão como atividade pesquisar outras canções que falaram sobre a ditadura militar no período diretamente ou indiretamente.

Aula 3 – Análise de letras de músicas e a supressão de direitos nas obras retratadas

Os alunos apresentarão suas pesquisas e também abordarei outras obras, como exemplo Que as crianças cantem livres, de Taiguara, O bêbado e a equilibrista, de João Bosco e Aldir Blanc, Sinal Fechado, de Paulinho da Viola.

A partir das discussões das obras trazidas pelos alunos e das apresentadas por mim, será abordado o fim da ditadura e a retomada dos direitos civis. Para tanto será apresentada a canção É, do Gonzaguinha.

Diante da esperança por direitos, começaremos a pensar na falta de direitos humanos básicos, retornando ao discutido na aula inaugural sobre a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Para tanto, os alunos serão divididos em grupos de 4 ou 5 alunos para pesquisarem temas essenciais de direitos ou falta deles como: Falta de moradia, violência contra as mulheres, homofobia, trabalho infantil, etc.

Os temas levantados serão previamente debatidos com os alunos e os alunos terão como nova pesquisa (em casa, no laboratório de informática etc) buscarem músicas que relatam as mazelas apontadas. A ideia é que os alunos encontrem de músicas antigas, às contemporâneas, de sambas aos raps e funks que favoreçam a criticidade e sejam letras crônicas de um tempo.

Aula 4 – Resultado das pesquisas e novos debates

Diante dos temas aventados, serão também apresentados trechos de obras literárias e poemas que apontam os problemas levantados, como exemplo apresentarei o poema O bicho, de Manuel Bandeira, e a música Desse Fruto, de Edvaldo Santana. Nesta aula também me reunirei com o grupo, para ver as pesquisas realizadas e sugerir outras para o repertório.

Aula 5 e 6 – Apresentações dos alunos

Os alunos apresentarão letras de músicas escolhidas e o princípio da Declaração Mundial dos Direitos Humanos que dialoga com o apresentado.

Aula 7  – Conclusão e continuidade

O mesmo trabalho poderá ser realizado em obras literárias, pinturas, filmes etc. A ideia é ampliar o repertório dos alunos e formar cidadãos em defesa dos seus direitos e dos próximos. A ideia da universalidade dos direitos humanos será trabalhada nessa proposta.

Para finalizar, os alunos colocarão cartazes na escola com os princípios trabalhados e excertos de músicas, como reflexão coletiva. Ainda será planejado uma pequena apresentação das músicas trabalhadas, na qual os alunos cantarão e encenarão as músicas.

  • Avaliação – Como você pretende verificar os resultados

No processo criativo, na participação dos alunos, nas pesquisas realizadas, nas apresentações e, principalmente, na atitude dos mesmos a partir do trabalhado ao longo das aulas