Tarefa 6 – Curso EDH – Rosangela Lira Rodrigues

Data

4 de agosto de 2020

Cursista

Rosangela Lira Rodrigues

Função

Professora de Educação Infantil

DRE / Unidade Educacional

Freguesia do Ó / Brasilândia

Escola

CEI Jardim Vista Alegre

Relação Família e Escola

 

Rosangela Lira RODRIGUES[1]

 

RESUMO: A presente atividade dará enfoque à importante relação entre família e escola, e como a interação entre esses elementos são importantes para a formação dos nossos educandos. Respeitando a complexidade desse relacionamento, compreendendo a diversidade atual, e como caminhar nesse processo após a volta as aulas.

PALAVRAS-CHAVE: Famílias, Educação; Escola; Respeito; Formação; Desenvolvimento; Crianças; Relacionamentos.

 

 

1 INTRODUÇÃO

 

Esta atividade mostrará a importância do relacionamento família e escola e como ela se dá de forma a contribuir para o desenvolvimento pedagógico e alinhar-se à educação em direitos humanos.

Compreendermos que se fazem necessárias ações permanecentes a fim de criar uma boa interação com as famílias, e construir novas situações positivas para garantir a prática das mesmas durante todo o desenvolvimento desse relacionamento, para que todos possam ter seus direitos de escuta efetivada e o respeito às suas diversidades garantidas.

 

 

 

1.1 Justificativa

 

O que me mobilizou a tratar desse tema foi a própria complexidade do assunto quando se trata das relações e dificuldades pela qual passo como professora de educação Infantil. Mesmo trabalhando na área da educação há anos, observo que muitas vezes acontecem atritos entre escola e famílias, sendo que todos tem os mesmos objetivos, que é o de garantir o pleno desenvolvimento de nossos educandos. Tais dificuldades fizeram com que eu me sentisse impelida a pensar a respeito do assunto, a me aprofundar na aula fornecida pelo Instituto Vladimir Herzog de forma a garantir uma melhor mediação entre as partes, e me vi surpreendida quão vasto esse tema consegue ser, e quantas informações e esclarecimentos relacionados pude obter.

Percebi a importância de pesquisar as diversas formas de utilizar estes materiais e levá-los a discussões em reuniões de formação docente, conselho de escola e APM, para que a partir da troca de experiências, valores e ideias um novo olhar fosse direcionado sobre o tema, novas ações fossem implantadas, e quais recursos seriam empregados para que possamos superar dificuldades que poderão aparecer durante o processo para um novo relacionamento da unidade escolar e as famílias.

 

1.2 Finalidade

 

Construir uma parceria com as famílias dos educandos, por meios de ações que visam garantir o desenvolvimento dos educandos, ampliando o direito de fala das mesmas e a confiança da comunidade na unidade escolar.

 

 

1.3 Objetivos

 

Objetivos gerais

  • Desenvolver um estudo e bom relacionamento entre escola e família, a fim de garantir pleno desenvolvimento dos educandos e assegurar uma gestão democrática, que compreende e respeita o valor das famílias no processo educativo.
  • Analisar como se dará a ação, quem participará, quais espaços serão utilizados e quanto tempo se despenderá para implantar tais práticas, para assim alcançar o objetivo proposto, e garantir espaço de fala a todos os envolvidos.

 

Objetivo específico:

 

  • Verificar e identificar os aspectos facilitadores para essa ação se efetivar, e as dificuldades que enfrentaremos ao longo de todo o processo.

 

 

1.4 Resultados esperados

Devemos entender que é vital a participação das famílias na vida escolar das crianças, estamos falando em ações positivas que potencialize seu desenvolvimento tanto no aspecto cognitivo quanto no afetivo-social. Através da parceria entre escola e famílias podemos garantir esse desenvolvimento e possibilitar um espaço onde há confiança e respeito. Por isso, com novas ações para melhorar esse relacionamento, espero perceber nossas crianças mais confiantes e capacitadas a se tornarem cidadãos que fazem a diferença para nossa sociedade, sujeitos capazes de refletir e transformar o meio em que vivem, críticos e íntegros, para que nosso país tenha pessoas que verdadeiramente possam melhorá-lo e transformá-lo positivamente.

 

1.5 Duração – Essa ação deve ser contínua, seja por meio de reuniões de formação docente, reuniões de pais, conselho de escola, eventos pedagógicos e afins. O importante é sempre revisitá-lo e ampliar sua ação, transformá-lo sempre que necessário, pois a parceria com os pais nunca deve ser perdida, e sim ampliada sempre que possível. Pensando sempre que estamos em quarentena, com contato apenas via redes sociais e telefone com essas famílias, e, portanto já devemos estar preparados para fortalecer os nossos vínculos e efetivar toda a ação aqui proposta.

 

 

1.6 Avaliação – Para verificar  os resultados, acredito que a troca de diálogo fale por si, mesmo assim acredito que uma sondagem efetiva com as famílias para saber quais suas impressões sobre a comunidade escolar se faça necessário, reuniões com a equipe docente para conhecer suas ideias e anseios sobre o tema, e assim tomar novas diretrizes sempre que necessário a fim de garantir que o foco nunca se perca e os laços não se rompam.

 

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Entender que ter a família na escola, participativa e interessada não é um impedimento para a ação escolar, nós educadores devemos entender de uma vez por todas que o papel da família na escola é importantíssimo, e que ela é fundamental na aprendizagem dos educandos, e que negar o seu papel na escola é talvez renegar a nossa própria história de aprendizagem. Então como  fazê-los estarem presentes nessa ação?

Para que isso ocorra de maneira proveitosa torna-se necessário efetivar o vínculo com essas famílias, formar professores e toda a equipe escolar para estarem aptos a fortalecerem esses laços. Sendo que a utilização dos diversos recursos de forma errônea é o principal ponto negativo deste processo, por isso, é necessário lembrar que o sucesso pedagógico de qualquer trabalho vai depender da postura da comunidade escolar durante as interações apresentadas.

Assim, o papel da comunidade escolar durante o processo de fortalecimento desse vínculo deve considerar todas as dificuldades que surgirão, mas também as grandezas que essa ação pode provocar em nossa sociedade, com a participação coletiva de todos.