Tarefa 6 – Curso EDH – Roger Luiz Franco

Data

4 de agosto de 2020

Cursista

Roger Luiz Franco

Função

PEI

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

CEI MªHenriqueta Catite

Roger Luiz Franco – [email protected]

CEI MARIA HENRIQUETA CATITE

 

INCLUSÃO SOCIAL

O CEI Maria Henriqueta Catite constitui-se em um espaço educativo de vivências das infâncias, prioritariamente de 11 meses a 4 anos, fortalecendo a compreensão de que todo cuidado educa e toda educação cuida, priorizando sempre o cuidar e educar como indissociáveis.

Na  perspectiva de uma educação democrática, buscamos constituir um  currículo integrador que supere modelos curriculares fragmentados e descontínuos, que considere os bebês e crianças na sua integralidade e que ofereça oportunidades de avançar  em suas aprendizagens priorizando e respeitando as infâncias.

Considerando esse espaço de inclusão e emancipação, a construção de saberes deve estar contextualizada em ações compartilhadas entre as diferentes idades, etnias, culturas, gênero e sexualidade. Nesse sentido, a criança terá o direito de ser acolhida em um contexto que a respeite como ser humano singular, promovendo seu desenvolvimento: físico, afetivo, social e cultural.

PESQUISA REALIZADA COM 120 CRIANÇAS DE 139

FIG. 1

 

FIG. 2

FIG. 3

AÇÕES REALIZADAS A PARTIR DO LEVANTAMENTO INICIAL  DO PPP

– RECADOS NA AGENDA EM PORTUGUÊS E ESPANHOL

PADRES Y / O SEÑORES RESPONSÁVEIS …

A PARTIR DE 10 DE AGOSTO, TENDREMOS OTRA FORMA DE CONTATO COM LAS FAMILIAS …

UTILIZAREMOS WATZAP AL NÚMERO 974220368.

OS INFORMAMOS QUE ESTE CONTATAM EXCLUSIVAMENTE PARA NOTIFICAÇÕES DE GESTIÓN ESCOLAR.

ATUALIZAÇÃO TUS TELÉFONOS ENVIANDO POR CORREO ELETRÔNICO A LA ESCUELA: [email protected]

EQUIPO DE GESTIÓN.

–  POSTAGENS NO FACEBOOK

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=299773124622356&id=100037690124972&sfnsn=wiwspmo&extid=40ZaaNnIzFUBMz3R

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=296966378236364&id=100037690124972&sfnsn=wiwspmo&extid=9pbJpnUOycw5bAiY

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=299771291289206&id=100037690124972&sfnsn=wiwspmo&extid=ZnYkLhC5SgNLBzya

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=280410909891911&id=100037690124972&sfnsn=wiwspmo&extid=VBvj4LBEcL58E6N7

 

– POSTAGENS NO GOOGLE CLASSROOM

fIG. 1

Olá famílias!

 

Essa semana faremos um resgate em documentos que norteiam a educação infantil, onde a criança é a protagonista em nosso espaço de interações sociais.

Convido a todos os responsáveis a refletir sobre a importância do brincar e das interações na formação de nossas crianças.

 

https://youtu.be/gWK9SE8NNIE

fIG. 2

 

Olá famílias!

 

Retorno com os protocolos de segurança do Cei serão apresentados as famílias no vídeo as várias atividades lúdicas da área externa. Nas imagens são apresentados parágrafos do currículo da cidade para auxiliar nos momentos de reflexão.

 

https://youtu.be/x8XNzK-RTZc

– EVENTOS / FESTA VALORIZANDO A CULTURA

http://youtu.be/uWjKNGcyHP4

– TRILHAS DE APRENDIZAGEM EM ÉPOCA DE DISTANCIAMENTO SOCIAL EM ESPANHOL FOI DISTRBUIDO PELA SME DE SÃO PAULO.

A educação infantil, tem grandes desafios em assegurar os Direitos Humanos. E nós do Cei Maria Henriqueta Catite, elaboramos propostas que assegurem o aprendizado das crianças, nesse momento vivenciados por todos de pandemia, não desenvolvemos o projeto diretamente com as nossas crianças, mas estamos organizando atividades que garantam a aprendizagens das crianças. Sabemos que a escola é para todas as crianças, com todas as diferenças, todos tem direitos a não sofrer discriminação. Todos têm o direito a arte e a cultura, por isso temos que sensibilizar toda a comunidade escolar a partir das diferenças porque somos todos diferentes.

Para que valores sejam mudados temos que desejar dentro de nós, dar oportunidade para a criança como protagonista, “dar voz” elas têm que participar das decisões por que são sujeitos do hoje e agora.

Por isso construímos alguns projetos, que garantam a aprendizagem e os direitos das crianças como ser ativo, e que possam aprender que existem diferenças e as diferenças faz parte do meio e cada um deve ser respeitado em suas diferenças.

 

PROJETO SENSORIAL “APRENDENDO A  ENXERGAR  OUTRO E TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

 

CEI “Maria Henriqueta Catite”

DRE – jaçanã/ Tremembé

04/04/2020

PROJETO SENSORIAL “APRENDENDO A ENXERGAR  OUTRO E TER UMA Alimentação saudável”

 

PROFESSOR: ROGER LUIZ FRANCO

Análise e Descrição da Situação Escolar

Nós do CEI “Maria Henriqueta Catite”- DRE jaçanã/ Tremembé, somos uma equipe formada por: Direção, Assistente de Direção e Coordenação Pedagógica. Contamos com 31 professores, 03 Agentes de Apoio, 05 Auxiliares Tec. de Educação, 03 colaboradoras terceirizadas na cozinha, 03 colaboradoras terceirizadas na limpeza. Atendemos 173 crianças destas nenhuma com baixa visão ou cegueira, mas temos crianças com outras necessidades especiais.

O presente projeto foi elaborado no CEI Maria Henriqueta Catite “APRENDENDO A ENXERGAR O OUTRO E TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVE” com intento de proporcionar as crianças e a comunidade escolar à experiência de como uma pessoa com dificuldades visuais percebe o mundo a sua volta e a importância de ser ter uma boa alimentação.

No projeto “Aprendendo a Enxergar o Outro e ter uma alimentação saudável”, estão envolvendo na elaboração o professor Roger Luiz Franco, em conjunto a equipe de professores do CEI Maria Henriqueta Catite.

O projeto se caracteriza por ser uma atividade continuada, portanto, não tem hora ou tempo de duração que possa ser pré-estabelecido. Afinal, uma vez montada a horta é possível imaginar, que a cada ano, novas turmas darão continuidade ao projeto.

Desenvolvemos o Projeto “Saúde e educação de qualidade”, fruto dos estudos no Projeto Especial de Ação (PEA), que está incluso no Projeto Político Pedagógico (PPP ). Assim as atividades estéticas e éticas são propiciadas pelo lúdico com jogos e brincadeiras, resgate dos contos orais, histórias, cantigas, diferentes experiências de texturas e naturais não estruturados.

OBJETIVOS

O objetivo proposto é viabilizar medidas simples que capacitem professores, funcionários e comunidade escolar a compreender e aceitar as diferenças, como por exemplo:

  • Sensibilizar e conscientizar as crianças de que a vida depende do ambiente e o ambiente depende de cada cidadão deste planeta.

OBJETIVO ESPECÍFICO

  • Pesquisar e desenvolver senso de cooperação de nossos educandos e comunidade escolar as necessidades especiais com ênfase à baixa visão e cegueira, garantindo a inclusão social;
  • Percepção dos cegos e linguagem tátil;
  • Possibilitar aos videntes a percepção dos não visuais (empatia);
  • Submergir nesse universo tátil;
  • Por meio das sensações que o toque gera no outro;
  • Perceber como diferente e não ruim, se não é mais do mesmo.
  • Despertar o interesse das crianças para o cultivo de horta e conhecimento do processo de germinação;
  • Dar oportunidade aos alunos de aprender a cultivar plantas utilizadas como alimentos;
  • Conscientizar da importância de estar saboreando um alimento saudável e nutritivo;
  • Degustação do alimento semeado, cultivado e colhido;
  • Manter, na escola, uma área verde produtiva pela qual, todos se sintam responsáveis;
  • Estimular os alunos a construírem seu próprio conhecimento no contexto interdisciplinar;
  • Contextualizar os conteúdos aos problemas da vida urbana;
  • Construir a noção de que o equilíbrio do ambiente é fundamental para a sustentação da vida em nosso planeta.

NOSSA META

É mostrar a realidade a quem é vidente como enxergar o mundo de quem necessidades de auxílio por possuir baixa visão ou cegueira. Ao abrir as portas igualmente para os que enxergam e os que não enxergam a escola deixa de reproduzir a separação entre deficientes e não deficientes que há na sociedade.

Todos os que rodeiam o deficiente visual precisam se conscientizar de que suas relações interpessoais podem ser saudáveis e baseadas na reciprocidade, pois ele é uma pessoa total e capaz. As pessoas com deficiências são como nós e têm os mesmos direitos, sentimentos, sonhos e vontades. Ter uma deficiência não torna a pessoa melhor ou pior, só é um ser humano.

Um número crescente de educadores tem refletido e muitas vezes buscado cumprir o importante papel de desenvolver o comprometimento das crianças com o cuidado do ambiente escolar: cuidado do espaço externo e interno da sala ou da escola, cuidado das relações humanas que traduzem respeito e carinho consigo mesmo, com o outro e com o mundo. A reflexão sobre o ambiente que nos cerca e o repensar de responsabilidades e atitudes de cada um de nós, gera processos educativos ricos, contextualizados, significativos para cada um dos grupos envolvidos. Neste contexto, o cultivo de hortas escolares pode ser um valioso instrumento educativo. O contato com a terra no preparo dos canteiros e a descoberta de inúmeras formas de vida que ali existem e convivem, o encanto com as sementes que brotam como mágica, a prática diária do cuidado – regar, transplantar, tirar matinhos, espantar formigas é um exercício de paciência e perseverança até que a natureza nos brindes com a transformação de pequenas sementes em verduras e legumes viçosos e coloridos. Hortas escolares são instrumentos que, dependendo do encaminhamento dado pelo educador, podem abordar diferentes conteúdos curriculares de forma significativa e contextualizada e promover vivências que resgatam valores. Valores tão bem traduzidos no livro Boniteza de um Sonho, do professor Moacir Gadotti : “Um pequeno jardim, uma horta, um pedaço de terra, é um microcosmos de todo o mundo natural. Nele encontramos formas de vida, recursos de vida, processos de vida. A partir dele podemos reconceitualizar nosso currículo escolar. Ao construí-lo e cultivá-lo podemos aprender muitas coisas. As crianças o encaram como fonte de tantos mistérios! Ele nos ensina os valores da emocionalidade com a Terra: a vida, a morte, a sobrevivência, os valores da paciência, da perseverança, da criatividade, da adaptação, da transformação, da renovação”.

PÚBLICO

Alunos de 0 a 4 anos, funcionários, professores e comunidade escolar, familiares.

Metodo:

São Confeccionado óculos que imitam a baixa visão ou a cegueira total. Com ajuda de um adulto a criança é condizia sem os sapatos pelo percurso da horta. (passa por todo o percurso tateando e experimentando as sensações)

FOTO

PLANO DE AÇÕES

O projeto foi criado para pessoas videntes (que no caso, realmente vêm) possam enxergar esta falha que acaba excluindo alguns indivíduos do ambiente escolar.  A palavra cego não é pejorativa e nenhum cego se sente ofendido quando é chamado assim, afinal é a forma correta.

Ver carrega em si o princípio de que a cegueira, às vezes, está nos olhos de quem enxerga. O projeto permite que os videntes tenham empatia com os cegos. Tendo assim nova perspectiva.

As atividades ligadas ao uso do solo tais como revolver a terra, plantar, arrancar mato, podar, regar não só constituem ótimo exercício físico como representam uma forma de aprendizado saudável e criativo, tal qual o contato com as coisas da natureza. Este projeto procura apresentar atividades que despertem o interesse do aluno no cuidado com o ambiente. Neste projeto, as pessoas devem atuar sempre com muita responsabilidade e compromisso. Os alunos devem estar presentes na maioria das etapas e atividades desenvolvidas na horta, tais como: seleção das espécies a serem cultivadas, plantio, cuidados com a horta e colheita. Os professores devem auxiliar os alunos no desenvolvimento e manutenção da horta e na supervisão dos trabalhos.

 

 

Resultados Esperados

As perspectivas de construir bases para uma inclusão de qualidade não sendo somente a utilização de recursos materiais adaptados e profissionais especializados devem ir além. Devemos perceber que a inclusão só veio colaborar com a aprendizagem de todos.

Sabemos que a tão sonhada escola inclusiva ainda não é o que se vivência na realidade, mas se caminha para uma escola que não nomeia o aluno pela sua deficiência, nem o trata como ser inferior incapaz de aprender, pelo contrário acreditamos no ser humano e no seu desenvolvimento integral.

Esperamos que haja uma maior integração do corpo docente e melhore o nível de socialização das crianças possibilitando o desenvolvimento de habilidades. Com isso as crianças compreenderão a importância de uma alimentação saudável.

Esperamos por fim, que este projeto seja um instrumento importante na conscientização de todos.

 

Avaliação

Serão avaliados por meio de fotos contos das sensações pelos participantes, relatos de vivências e documentos dos registros do Projeto em seu processo, com a escuta das crianças durante o processo.

 

São paulo, 04 de agosto de 2020.

Att. ROGER LUIZ FRANCO – RF 686919-0 VINCULO 2

CEI MARIA HENRIQUETA CATITE

DIRETORIA REGIONAL JACANÃ/TREMEMBÉ

FOTO DO PROJETO

CLASSROOM

CLASSROOM

GRAFICO PESQUISA DO PPP - FIG. 1

GRAFICO PESQUISA PPP FIG. 2

GRAFICO PESQUISA PPP - FIG.3