Tarefa 6 – Curso EDH – Regiane Claudia Barbosa Silva

Data

4 de agosto de 2020

Cursista

Regiane Claudia Barbosa Silva

Função

Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental 1

DRE / Unidade Educacional

Capela do Socorro

Escola

EMEI Barão do Rio Branco

O tema a ser trabalhado: “As pessoas têm cores e formas diferentes, assim como as flores

”Na atual conjuntura do mundo, vivenciamos diversos tipos de preconceitos, como: LGBTs, religiosos, deficientes físicos ou mentais, machismo, misoginia, sexismo, racismo, preconceito com os pobres, xenofobia, etnocentrismo, gordofobia, linguístico, enfim, o Brasil e o mundo vivem situações que exigem nossa atenção e reflexão sobre o assunto. Por esse motivo decidi elaborar uma atividade que vise a reflexão sobre os seres humanos e a condição que cada um se encontra, quero abordar o tema da diversidade dos seres humanos.

Esse trabalho se destina a crianças de emei, com idades entre 04 e 05 anos, as quais ainda estão em processo de formação da personalidade e podem acrescentar valores de igualdade, justiça e respeito ao próximo com mais facilidade. Tais valores serão levados em suas memórias e construção de caráter. Acredito que o contexto familiar e de futuras atividades educacionais também auxiliarão na fixação desses valores.

Esse trabalho educativo tem a finalidade de construir um jardim com diversas flores (imagem 1), visando apresentar para as crianças as diferenças entre elas. Comparando sempre com os colegas de sala, os quais também têm suas diferenças (imagem 2). Com isso pretendo despertar nas mentes infantes que as pessoas são diferentes, assim como as demais coisas que compõem o mundo, como por exemplo o canteiro que estamos cultivando. Os objetivos são: escolher e cultivar diversos tipos de flores; em primeiro lugar escolher porque há a necessidade de saber sobre a diversidade, depois cultivar, porque tudo que é cultivado com esmero e carinho cresce bonito e saudável. Relacionar esse plantio e cuidado com os relacionamentos pessoais de amizade e respeito, gerando assim uma continuidade do projeto em diversas atividades em equipe que estimulem o companheirismo e o respeito ao próximo. Acredito que esse projeto deva ter um tempo de duração de aproximadamente seis meses, porque passará por diversos processos de escolha, germinação, plantio, rega, poda e similares até que a flor chegue na idade completa de seu ciclo.

As atividades serão as seguintes: conhecer os tipos de flores existentes no Brasil e que são próprias da nossa região; fazer rodas de conversa sobre as características das flores relacionando com características de pessoas; discutir também sobre as necessidades de uma flor e de uma pessoas; vamos fotografar todas as etapas para registrar o desenvolvimento do projeto; escolher um espaço na unidade escolar para fazer um canteiro de flores, preparar a terra para receber a semente – nesse momento a roda de conversa será sobre como devemos nos preparar para receber novas amizades, recebendo bem todos que estão a nossa volta; cuidar daquela semeadura a cada dia para que ela possa crescer (imagem 3) – para essa roda de conversa abordaremos o tema que devemos cuidar bem das pessoas que estão ao nosso redor, observar com as crianças as formas das sementes, que são basicamente iguais; observar o desenvolvimento das sementes no sementeiro, aguardar o momento certo para transplantar as mudas para o jardim – conversaremos sobre as mudanças que acontecem ao nosso redor, que podemos mudar de casa ou escola e sempre teremos oportunidade de nos ajustar em outros lugares; observar as necessidades das plantas – conversar sobre as necessidades de cada um, como cada um reage as ações dos outros e como gostariam de ser tratados (imagem 4); limpar e adubar a terra para que elas se desenvolvam saudáveis – abordar o tema de que tudo que cuidamos com carinho cresce com carinho, que devemos respeitar e tratar bem as pessoas mesmos que elas não sejam nossos amigos; quando as flores estiverem grandes, mostram como ficou o ambiente antes e depois – comparar fotos do local do antes e depois das flores, observando que a pluralidade de flores faz o local mais bonito, assim como a pluralidade de pessoas no mundo, a qual o faz diverso e bonito, que mesmo sendo diferentes, temos a mesma essência, relembrar da fase das sementes onde elas eram todas iguais e depois que cresceram se tornaram especialmente diferentes; fotografar as crianças perto das flores que elas mais gostaram e fazer um mural – conversar que cada um se identifica melhor com um tipo de flor, a que escolheu para ser fotografado perto dela, mas isso não quer dizer que as outras flores não têm seu valor ou sua beleza, que devem ser respeitadas, sempre relacionando com os demais colegas de turma ou outras pessoas da unidade escolar.

Os resultados serão verificados com os depoimentos das crianças em roda de conversa (imagem 5). Será observado se elas entenderam o objetivo da atividade relacionado com o respeito ao próximo. Identificar em suas falas se elas conseguem relacionar as diferenças das flores com a pluralidade de pessoas ao seu redor e se entenderam que todos têm seu valor na sociedade. Para finalizar a avaliação vamos fazer uma foto com um colega de turma e dizer quais são as diferenças entre as duas pessoas e porque elas devem ser respeitadas. Espera-se que nas respostas as crianças consigam elencar as diferenças entre elas e que consigam também citar os motivos pelos quais o outro merece respeito.

O interessante desse projeto é que a criança aprende como ter um bom relacionamento ao mesmo tempo estuda um pouco de ciências.

Esse projeto é apenas um preparatório para outros que poderão ser aplicados em alunos com idade escolar mais avançada. Podendo ter diversas formas de continuidade e aplicação em outras etapas da vida estudantil de crianças, juniores e adolescentes.

Canteiro de flores - diversidade

As pessoas são diferentes

Como as sementes crescem

Como me sinto

Roda de conversa