Tarefa 6 – Curso EDH – Rafaella Mendes Ferreira

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Rafaella Mendes Ferreira

Função

PEIF

DRE / Unidade Educacional

Freguesia do Ó / Brasilândia

Escola

EMEF cecilia moraes de Vasconcelos

Tema central: NÃO ACEITO BULLYING

Justificativa:
As escolas são espaços privilegiados para a disseminação de valores e construção da cidadania, nesse sentido essa sequência didática tem a proposta de ajudár a pensar bullying com novas soluções para um problema que afeta milhões de pessoas causando muitas vezes danos irreparáveis. Os conflitos fazem parte da natureza humana e devem ser vistos como oportunidades de mudanças e de crescimento, conhecer o tema permitirá encontrar caminhos que podem colaborar na prevenção e resolução positiva de conflitos em geral, contribuindo para o desenvolvimento de boas relações no espaço escolar e reparação das relações através do diálogo, criando uma cultura de paz.

Público-alvo: Ensino Fundamental (l ell)

Objetivos:
estimula os alunos a refletir sobre este importante tema,para atuar na prevenção do Bullying .
Pensar juntos sobre o tema buscando conscientizá-los para que pensem seus comportamentos
Analisar as consequências pessoais e sociais de seus atos.
Conhecer alternativas de ajuda em casos de problemas relacionados com o Bullying .
Estimular projetos nos quais os próprios alunos levem essas discussões .
Desenvolver nos estudantes habilidades e entendimentos que possam ajudá-los para um bom convívio diário e numa melhor harmonia.
aprimorar, fortalecer e priorizar a boa conexão entre escola-família-comunidade.
aprimorar o vínculo interno nas relações humanas, priorizando o diálogo e a cooperação entre todas as pessoas da comunidade escolar.
construção de conteúdos e de atividades pedagógicas que sejam contextualizadas e façam sentido para os alunos.

Duração: 1 bimestre

Atividades:

Passo 1:iniciaremos com a realização de diagnóstico dos principais problemas da escola e da comunidade sobre violência, discriminação, e relações interpessoais. Esse primeiro passo será sugerido assembleias em diversos grupos de acordo com a faixa-etária e com a participação da comunidade escolar.
A ideia é fazer um diagnóstico pleno que permita a elaboração de projetos de intervenção sobre a problemática da violência na escola com intuito de prevenir e ajudar para que o bullying não ocorra.

Passo 2: desenvolver um projeto com ações para uma boa convivência escolar. Projeto esse que servirá de parâmetro para os trabalhos a ser realizados. É importante que essa etapa seja realizada com a contribuição de todos e de forma democrática.
A ideia é montar um plano que possa prevenir o Bullying e buscar uma boa convivência na escola, transformando cotidianos de risco em cotidianos protetores.

Passo 3: criar assembleias escolares para a prevenção e a solução coletiva de problemas, elaborar regulamentos escolares coletivos com a participação de todos, buscar solução alternativa de conflitos como mediação, círculos de paz, que fomente práticas restaurativas.visando produzir ideias e discussão de soluções para as diversas formas violência, apresentadas nas assembleias por todos envolvidos.

Fase 4: fazer uma reflexão conjunta sobre a melhor forma de resolver de forma pacífica o problemas , pedindo sugestões aos alunos, sempre lembrando da importância do diálogo e do uso da não violência.

Fase 5 :estimular projetos nos quais os próprios alunos levem essas discussões para casa ou façam apresentações aos pais e responsáveis nos encontros programados em colaboração com a equipe escolar.

Fase 6: criar ambiente de de apoio a crianças e adolescentes vítima de Bullying lugar de acolhimento e sigilo. Os casos mais graves será apresentados a rede intersetorial de atendimento, da qual a escola também é parte.

Avaliação:
Construir uma cultura de paz, de cooperação, de não violência e de resolução pacífica dos conflitos é um desafio permanente, principalmente nas escolas.Os conflitos estão muito presentes nas escolas, onde faz -se necessário que a comunidade escolar conheça ferramentas, estratégias e habilidades que possibilitem o seu gerenciamento pacífico, a educação socioemocional é uma alternativa que pode contribuir no desenvolvimento integral dos alunos, estimulando a reflexão crítica sobre suas responsabilidades e sobre suas escolhas .Podemos notar o quanto a participação direta dos alunos na elaboração e execução de atividades é decisiva para promover uma cultura de paz.
As atividades propõe reintegrar as habilidades sociais/emocionais ao desenvolvimento cognitivo com uma abordagem que visa o desenvolvimento humano e estimula os alunos a refletir sobre este importante tema,para atuar na prevenção do Bullying .
O desafio é seguir inovando e atualizando as estratégias que façam sentido na comunidade escolar e sejam executáveis dentro dos limites de tempo e recursos da escola, esperamos que a escola possa trabalhar mais e melhor, como já tem feito, os valores do diálogo, da amizade, da cooperação, da solidariedade, do perdão e, entre outros, onde todos possa compreender que todos e todas somos diferentes, e todos e todas temos direitos iguais.