Tarefa 6 – Curso EDH – Patrícia Manfredi Borges Batista

Data

5 de agosto de 2020

Cursista

Patrícia Manfredi Borges Batista

Função

Professor de Ensino Fundamental 1

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

Emef Hipólito José da Costa

Tema: Aceitação e respeito às diferenças

Justificativa: As desigualdades sociais são explícitas na sociedade em que vivemos, pois historicamente as diferenças entre povos e pessoas serviram para que se qualificassem os sujeitos de maneira a hierarquizá-los. Acreditando a escola como um espaço privilegiado de construção de subjetivação, vemos a possibilidade de, neste espaço, valorizarmos as diferenças etno-raciais como diversidade cultural, dignas de admiração e respeito.

Público alvo: 1° ano do ensino fundamental I

Finalidade: Promover o conhecimento e reconhecimento das diferenças físicas e culturais entre o grupo e o respeito mútuo à essas diferenças.

Objetivos: Desenvolver a percepção às diferenças;  provocar o olhar crítico a questões referentes à discriminação e construir um espaço de valorização e admiração das diferenças etno-raciais.

Duração: Aproximadamente 5 aulas distribuídas em uma semana.

Atividade 1- As crianças serão convidadas a se olharem no espelho e depois desenharem um autorretrato, identificando seu desenho com seu nome. Em seguida os trabalhos serão expostos na sala de aula para que todo o grupo possa observar.

Atividade 2- O (a) educador (a) realizará uma roda de conversa com os alunos tendo como partida as seguintes questões: “Todos os autorretratos são iguais?”, ” Quais são as diferenças?”, ” Como seria se todos fôssemos idênticos uns aos outros?”, “O que você mais gosta em seu rosto?”, “É legal mal tratar alguém só porque é diferente da gente?”, “Se a cor da nossa pele mudasse, ou o tipo do nosso cabelo; íamos deixar de ver, ou ver as coisas com outras cores e formas?” ” Íamos deixar de sentir um abraço, ou  íamos sentir gosto de laranja quando comêssemos uva?”, “É legal as pessoas serem diferentes?”, “Você gosta de aprender brincadeiras com outras pessoas?”…  A expectativa aqui é que as crianças reflitam como a diversidade nos traz benefícios para assim serem apercebidas e valorizadas.

Atividade 3- Com a ajuda da família os alunos farão uma pesquisa sobre a origem de seus antepassados, coletando informações referente à lugares e costumes. O (a) professor (a) poderá formular perguntas como: ” Vocês possuem familiares ou parentes que nasceram em outra cidade ou em outro país?”, “Que tipo de música vocês gostavam e gostam de ouvir?”, “Que brincadeiras os pais e avós brincavam quando eram crianças?”, ” Quais são as histórias que eles ouviam e contavam?” … Com a pesquisa será possível reconhecer um pouco sobre a cultura de cada família.

Atividae 4- O (a) educador (a) analisará as informações das pesquisas para através delas aprofundar sobre as culturas e povos percebidos nos dados fornecidos pelas famílias, mostrando para as crianças (podendo utilizar vídeos, histórias, figuras, etc.) a grande diversidade existente entre nós e como isso contribui para que aprendamos coisas novas. Seria enriquecedor também que alguns funcionários, de etnias e raças diferentes, pudessem ir conversar um pouco sobre suas culturas com a turma.

Atividade 5- Para finalizar as crianças construirão um mural, registrando com desenhos, colagens, escritas, o que mais gostaram de tudo que descobriram. Este poderá ser exposto do lado de fora da sala para que outros grupos também possam contemplá-los.

Avaliação: O (a) professor (a) estará atento (a) em todos os momentos, verificando as ações e falas de todos durante todas as atividades, analisando, assim, se seus objetivos estão sendo alcançados. Porém, seria interessante notar se o mural, construído no final das atividades, ficou diversificado, representando várias culturas, pois assim chegará à conclusão assertiva de que conseguiu ampliar o conhecimento de seus educandos e a contemplação dessa diversidade.