Tarefa 6 – Curso EDH – Michele Aparecida da Silva Spadafora

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Michele Aparecida da Silva Spadafora

Função

Professora de ensino fundamental II e médio Ciências

DRE / Unidade Educacional

Penha

Escola

EMEF Octávio Mangabeira

Tema Proposto
Desconstrução da branquitude (Luta e empoderamento contra o racismo estrutural)
Justificativa
O tema desconstrução da branquitude foi escolhido para eliminar as raízes do racismo estrutural que existe dentro de todas as instituições brasileiras e promover o protagonismo de todos os estudantes dentro e para além do espaço escolar e principalmente destacar que não basta apenas não ser racista é preciso ser antirracista é preciso se reconhecer racista para superar essa negação e evoluir para a fase da reparação do racismo. Dessa forma, todas as crianças serão empoderadas para luta contra o racismo e as crianças negras não terão mais sua infância roubada pela dor da rejeição e da inferiorização.
Público Alvo
O trabalho se destina a todos os estudantes, famílias e educadores da escola, vale ressaltar que todos os funcionários dentro de uma escola são educadores, ou seja será oferecido para toda comunidade escolar, pois precisamos desconstruir a branquitude para ressignificar todas as ações que ocorrerão dentro e para além dos muros da unidade escolar.
Finalidade
Esse projeto tem vistas a descontruir a branquitude, evidenciar o racismo estrutural, o lugar de privilégio dos brancos. Levar a uma reflexão sobre o conjunto de estereótipos em que o racismo está assentado e que a branquitude é fruto de um sistema criado, operado e validado por brancos
Objetivos/Resultados esperados
Pretendo que toda a comunidade escolar seja formada pela educação antirracista para se empoderarem e lutarem contra o racismo, promovendo cultura de paz e respeito mútuo entre toda comunidade escolar, fortalecendo valores antirracistas que se constituem no exercício das práticas, com ações como essas com certeza garantimos o pleno desenvolvimento de todos os alunos, sem quaisquer diferenças ou vantagens promovidas pela etnia, dentro do nosso espaço escolar todas as ações levarão para o compartilhamento do protagonismo entre crianças de todas as etnias. Com toda certeza daremos continuidade ao tema, aprofundando o que já contemplamos e avançado com novos estudos
Duração
Para o desenvolvimento das ações prevista nesse plano precisaremos de 8 semanas, porém o projeto será permanente visto que aborda um tema de relevante papel social e estenderá por todo o ano letivo.
Sequência de atividades
A primeira atividade será a sensibilização do público alvo por meio da exibição de um curta metragem chamado jogo do privilégio branco que evidencia de forma prática as vantagens que os brancos levam em relação aos negros.
https://www.youtube.com/watch?v=MuOE3IJZoZU
Na sequência faremos uma roda de conversa para que todos possam falar suas impressões e emoções sobre o filme.
A segunda atividade tem a função de demonstrar o racismo institucionalizado e como sensibilização exibiremos o curta preto no branco que mostra como o estereótipo está ligado a pré -julgamentos levando inclusive a injustiças que podem prejudicar e até mesmo destruir vidas.
https://www.youtube.com/watch?v=rW5DwuRQVuY
Na sequência faremos uma roda de conversa e todos poderão compartilhar com o grupo situações semelhantes que já viveram ou que algum conhecido viveu.
A terceira atividade tem o objetivo de levar os participantes a se reconhecerem racistas com a reflexão sobre prática do que fazem ou dizem cotidianamente mostrando que o racismo é mesmo institucionalizado, para sensibilização exibiremos o curta chamado 8 relatos sobre o que é ser negro no Brasil.
https://www.youtube.com/watch?v=fl6tvDlTJbg
Na sequência pediremos para que eles escrevam no papel situações de racismo estrutural que já vivenciaram, presenciaram ou praticaram, feito isso vamos fazer a leitura dos fatos depositados na caixa e a discussão.
Na quarta atividade faremos uma grande roda de conversa e todos serão convidados a colocarem no papel e depositarem numa caixa o que podem fazer para combater o racismo dentro e fora da escola e de quais privilégios os brancos podem abrir mão ou seja dividir para que os negros possam ser igualmente protagonistas, depois abriremos a caixa e faremos as leituras
Na quinta atividade convidaremos a comunidade para um grande festival de promoção da cultura negra com oficinas sobre a confecção de turbantes, saraus com a literatura africana, apresentações de comidas típicas, músicas e danças africanas e afro-brasileiras. Nesse evento também trabalharemos a representatividade e espalharemos cartazes na escola com as fotos e biografia de grandes personalidades negras, inclusive que não tiveram o destaque merecido exatamente por conta do racismo estrutural.
Para sexta atividade será sugerido que os estudantes em grupos expressem o que aprenderam escolhendo algumas das artes(dança, teatro, música, grafite ou literatura) eles terão 3 semanas para se organizarem e a apresentação será feita para toda comunidade escolar.

Avaliação

A avaliação será feita por meio de dramatizações protagonizadas pelos estudantes, serão ofertadas muitas opções de atividades como músicas, teatros, danças, grafites, poemas,

https://www.youtube.com/watch?v=MuOE3IJZoZU , https://www.youtube.com/watch?v=rW5DwuRQVuY , https://www.youtube.com/watch?v=fl6tvDlTJbg