Tarefa 6 – Curso EDH – marisa izabel correa meira

Data

8 de julho de 2020

Cursista

marisa izabel correa meira

Função

prof. ed. infantil

DRE / Unidade Educacional

Penha

Escola

emei mary buarque

MARISA IZABEL CORREA MEIRA, RF: 8004749, EMEI MARY BUARQUE

Dando continuidade a atividade já entregue anteriormente:

Trabalhar a pluralidade cultural nas escolas:

Público alvo: educação infantil, criança de 5 a 6 anos.

Espaços: os espaços serão variados de acordo com a grade horária deles, pode ser na quadra ou mesmo na sala de aula. Nós trabalhamos o brincar com a educação infantil.

Justificativa: Em uma escola com tantas diversidades culturais necessita-se mostrar a cultura indígena para as crianças para consigam familiarizar com o diferente e aprender a respeitá-la e também o raciocínio lógico matemático.

Mostrarei primeiramente um vídeos dos índios para educação infantil: https://www.youtube.com/watch?v=q3LNoPd4R9s

Este vídeo será na sala de vídeo. Pesquisarei junto com os alunos os povos indígenas que trabalham o jogo da onça Na hora da informática.  Faremos uma roda de conversa para saber quais os povos indígenas que jogam o jogo da onça e se eles conhecem os costumes indígenas, se gostaram do filme e etc.

Questões importantes para a roda de conversa: Onde foi encontrado o jogo da onça?

Esse jogo foi encontrado entre os Bororos, no Mato Grosso, onde é conhecido como Adugo, bem como entre os Manchineri, no Acre, e os Guaranis, em São Paulo. O jogo da onça é um jogo de tabuleiro que começa a se tornar tradicional no Brasil. Sua origem remete aos povos indígenas do Brasil desde antes da invasão portuguesa, mas existem outros estudos que identificam sua origem à família de jogos Tigres e Cabras vinda da Índia. É uma divertida brincadeira que a princípio era praticada com pedras ou sementes e riscos traçados na areia.

 

Objetivos do jogo: estimular o raciocínio lógico, o pensamento estratégico, a inteligência emocional entre outras habilidades importantes para o desenvolvimento infantil e para a constituição do ser criança..

 

Jogando:

 

Vamos primeiramente construir um tabuleiro desenhando na cartolina, canetinha preta.

 

As peças podem ser tampinhas.  Uma peça para a onça e as outras 14 peças serão os cachorros.

 

Com a canetinha  os alunos irão fazer o  desenho abaixo usando quadrados e triângulos.

 

O objetivo do jogo é capturar 5 cachorros para quem está jogando com a onça ou encurralar a onça para quem está jogando com os cachorros.

 

 

A avaliação será na observação do desenvolvimento das crianças (fala e escuta).

Nome: Marisa Izabel Correa Meira, Rf: 8004749. Emei Mary Buarque.

Objetivos: Trabalhar a diversidade e o respeito mútuo entre as crianças, raciocínio lógico matemático, artes.

Justificativa; Em um país onde existe uma enorme diversidade cultural devemos mostrar para as crianças a cultura Africana para que eles aprendam a respeitar a pluralidade cultural evitando o bullying.

Público alvo: educação infantil

Metodologia: Trabalhar a diversidade e o respeito mútuo entre as crianças:

Em um país com uma diversidade de culturas e imensa e pensando trabalhar as diferenças para que as crianças aprendam respeitar uns aos outros o objetivo desta atividade é repensar em práticas pedagógicas que aproximem as crianças uma das outras de forma respeitosa  e o raciocínio lógico matemático.

Pensei em trabalhar essas diferenças através de leituras infantis, pois a literatura infantil aborda as diferenças. Um livro bem interessante é o Que há de África em nós, autor: Wlamyra Albuquerque e Walter Braga.

Depois apresentaria o jogo Mancala Awelé: Mancala Awelé é um jogo de tabuleiro, de origem africana, que surgiu há cerca de 7 mil anos e é considerado por muitos como o jogo mais antigo do Mundo. Seu nome se origina da palavra árabe “nagaala”, que significa “mover”, e sua prática está relacionada à semeadura, pois o jogo simula o processo de semeação, germinação da semente na terra, desenvolvimento e colheita.

Primeiramente as crianças irão confeccionar os tabuleiros com a minha ajuda.  Logo em seguida terão aulas de com as regras do jogo. Cada turma terá um tabuleiro com 14 cavidades, sendo duas fileiras de 6 casas cada uma e duas para servir como reservatório  e 48 sementes ou botões. O tabuleiro será feito com caixas de ovos.

O objetivo do jogo é capturar o maior número de pedras. O jogo começa em geral com 4 pedras em cada buraco. Sua jogada consiste em escolher um buraco, retirar suas fichas e distribui-las pelos outros buracos, uma por buraco, no sentido anti-horário.

Também construirei uma tabela para registrar quantas sementes conseguiram semear em cada partida.

À medida que as crianças vão jogando vão surgindo problemas que eles vão tentando solucioná-los com o meu auxílio.

O brincar faz parte do universo infantil. Através dele a criança pode aprender de forma significativa e prazerosa e possibilita observar como ela se relaciona com o mundo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pensei em fazer um pequeno evento onde seria destribuido medalhas dentro da sala de aula. No final eu pensei em convidar os pais de origem africana para mostrar um pouco dos costumes africanos como roupas, comidas, músicas e etc.

 

A avalição será pela observação dos comportamentos das crianças.