Tarefa 6 – Curso EDH – MARIA IVANICE DO NASCIMENTO

Data

10 de julho de 2020

Cursista

MARIA IVANICE DO NASCIMENTO

Função

Professora

DRE / Unidade Educacional

Freguesia do Ó / Brasilândia

Escola

CEI jardim vista Alegre

“VIVENDO VALORES”

Na Educação Infantil

EDH – DESAFIOS DO CONTEXTO ATUAL

2020

  

Apresentação das Atividades:

Vivendo Valores na Educação Infantil

 

 As atividades apresentadas serão desenvolvidas com as crianças da Educação Infantil, no no Cei Jardim Vista Alegre ao retornarmos as aulas presenciais, proponho desenvolver juntamente com as professoras boas práticas por meio da ludicidade, situações que permitam a aprendizagem em que as crianças brinquem juntas, e que possa nos auxiliar a trabalhar por igualdade, convivência harmônica em grupo coletivo e respeito as individualidades no espaço de vivencia, na comunidade. Fazendo-se entender que desde pequeno temos que combater o racismo e o preconceito e por ser um assunto relevante para se trabalhar com os pequenos e construir uma educação em direitos humanos igualitários.

Desde a educação infantil, os verdadeiros valores em direitos humanos precisam ser abordados no sentido da construção da identidade da criança.  A escola é um espaço social privilegiado na construção do conhecimento. Nesta fase a criança recebe uma bagagem de conhecimento que levará para a vida com segurança.

Os valores se constroem no convívio com o outro, nas ações do dia-a-dia e nós educadoras, precisamos assumir esse compromisso com o coração com a ação, planejando atividades para refletir junto com as crianças sobre o comportamento humano agindo para o bem comum, descobrindo a amizade, o respeito mútuo e as diferenças. E esse trabalho com os valores, tem a intensão de desenvolver um clima de harmonia entre as crianças da escola, abordando também de forma agradável a pluralidade cultural. De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, o trabalho com a diversidade cultural possibilita a ampliação de horizontes, tanto para nós professoras, quanto para os alunos.

Tema: Vivendo Valores na Educação Infantil

Turma:  Faixa etária de 1 a 4 anos

Justificativa: escolhi esse tema por estar tão presente dentro das unidades escolares e pela necessidade de as crianças conhecerem e aprenderem desde pequenas a conviver com as diferenças entre os colegas, e aceitar que todos não são iguais, fortalecendo sua identidade e o reconhecimento de si e do outro.

 Finalidade: Trabalhar a autoestima das crianças na perspectiva de afirmação, respeito a si o outo.

 Duração:   1 semanas (ou o tempo que for necessário)

 

Objetivos gerais:

Estimular as atitudes de respeito pelo eu, pelo outro, as igualdades e as diferenças através das interações, ampliando o universo sociocultural das crianças onde o cuidar e o educar não omitam a diversidade.

Proporcionar as crianças experiências significativas em um ambiente em que aprendam a respeitar e ser respeitada;

Estabelecer vínculos afetivos e de troca com adultos e seus pares fortalecendo   sua autoestima e ampliando suas possibilidades de comunicação e interação social;

Proporcionar vivencias com atividades variadas.

 

 Atividades propostas:

– Roda de conversa;

– Contação de histórias;

 – Canções coerentes ao tema;

– Brincadeiras lúdicas através de histórias, registros fotográficos e desenhos;

– Utilizar as diferentes linguagens (corporal, musical, plástica, oral e escrita);

– Confecção de painéis; desenhos.

– Vídeos, DVD.

– Brinquedos diferenciados.

 

Avaliação:

Nosso trabalho como educadora de crianças, exige ação – reflexão de nossas práticas e fazeres diários, por isso, a avaliação acontecerá através da observação e escuta atenta para acolher, ouvir com intencionalidade, replanejar e garantir as crianças seus direitos de vivencias e experiências na construção da identidade positiva. Acontecerá também através de registros, fotografias e filmagens durante todo o processo das atividades.

 

1ª temática: Brincadeira –  Que Corpo É Esse?

 Objetivos: 

 Conhecimento do próprio corpo, de suas partes, trabalhar a autoestima, a consciência corporal, o autoconhecimento e estimular o respeito a si mesmo, suas capacidades e limitações, através de brincadeiras lúdicas.

Materiais:

Vídeos infantis com música sobre as partes do corpo e seus movimentos, materiais (tampinhas, grãos de macarrão, feijão, milho, miçangas, retalhos, fitas, entre outros.  

Descrição:

Roda de conversa, perguntas sobre as curiosidades das crianças em relação ao seu corpo, realizar um breve momento de autocuidado.

Escolher um espaço livre, convidar as crianças para cantarem juntos a música: cabeça, ombro, joelho e pé, pedir para elas engatinhar, rolar, andar de joelhos, andar para trás e para frente, correr livremente e, ao sinal da professora, colocar as mãos nas áreas do corpo por ela indicada. Por exemplo: coloquem a mão na cintura, na cabeça, no pé, no braço, no ombro. etc. Repetir os movimentos e colocar as mãos, no colega, no local indicado pela professora.  Depois, andar livremente e, ao sinal da professora, saltar para frente, saltar para trás, girar para um lado e para o outro.

Após o retorno à sala de aula, solicitar que todos sentem no chão, falar para as crianças que vamos desenhar o formato do nosso corpo;

Colocar no chão papel Kraft pedir para as crianças deitarem nas folhas, fazer o contorno do corpo e colocar o nome de cada uma no seu contorno;

Construir um mural e expor na sala de aula;

Pedir para as crianças olharem o seu contorno e perguntar se são iguais, aproveitar para falar sobre pessoas que podem não ter um braço ou alguma parte do corpo, mas que mesmo assim são queridas e devem ser respeitadas.                         

No final da atividade, conversar com as crianças sobre a importância de aceitar o colega de jeito que ele se apresenta, colocar fotos no chão e pedir para pegar sua foto e colar ao lado do contorno do seu corpo, em outro momento, expor o contorno no chão com diferentes materiais (tampinhas, grãos de macarrão, feijão, milho, miçangas, retalhos, fitas, etc. e decorar de forma que se parece com ela.    

 

2ª temática: Contação de História –  Por Que Somos de Cores Diferentes?

Livro (Autora Carmen Gil)2006. Ilustração de Isis Filella.

Objetivos:

Compreender o que as crianças pensam sobre a questão da cor de cada um e valorizar a identidade étnico-racial negra; opinar sobre a história contada e mostrar a importância de respeitar as diferenças que deve ser ensinada desde os primeiros anos de escolaridade.

Materiais:

Livros, papeis de deferentes cores, lápis de cor, espelho, fios de lã, caixa de giz de cera com 12 tons de pele, cola, adereços para cabelo, escova e pente para cabelo, etc.

Descrição:

Fazer uma breve retomada da atividade anterior e informar que vamos dar continuidade com outra bem divertida, que eles gostam muito que é a contação de uma história e depois uma brincadeira.  Sentar em roda com as crianças para ouvir a história contada pela professora, buscar resgatar os conhecimentos prévios acerca dos questionamentos que o livro traz e conceitos que eles têm sobre o assunto, mostrar a capa, falar o nome da autora, o que eles acham como vai ser a história. E aproveitar para falar sobre a influência africana no Brasil: as manifestações culturais, alimentação, palavras, costumes, etc.

– Por que a nossa pele tem tons diferentes?

– Como é o cabelo do personagem?

– Todos nós temos que ser iguais?

– Na sala de aula existe algum colega que apresente essas características?

Após a contação da história convidar as crianças a se verem no espelho e dizer o que gosta mais em si.

Colocar os materiais no chão, para que as crianças de maneira livre e lúdica, escolham a cor do lápis que mais se assemelha a sua, e pintar o desenho do boneco, colocar cabelo, fazer o que quiserem com o desenho. Depois expor no mural da sala, tirar a foto de cada criança e pedir para que coloquem ao lado do seu desenho, para que se reconheçam e expressem sua identidade (os menorzinhos com a ajuda da professora (o)).

 

3ª temática: Brinquedos e preferências

Objetivos:

Fazer-se orgulhar do pertencimento étnico-racial com questões voltada a realidade sociocultural da sua história e dos seus antepassados; resgatar a forma que o brincar assume nos diferentes contextos do tempo e do espaço, através dos brinquedos.

Materiais: 

Brinquedos variados de plásticos, de madeira, de palha, pano, (carrinhos, bonecas na cor negras e brancas, bolas, cordas, chocalho, colher de pau, petecas), entre outros.

Descrição:

Retomar a atividade anterior exposta no mural, dialogar com as crianças se gostaram, o que mais gostaram de fazer, explicar que daremos continuidade com uma atividade livre e como vai acontecer a brincadeira.   Colocar todos os brinquedos dentro de uma caixa e convidar as crianças para que cada uma escolha um brinquedo ou mais de um, a sua preferência, observar e escutar como acontece as atitudes das crianças em relação as escolhas, a forma como se organizam na brincadeira, se individual ou em grupo, se isolado, observar os diálogos, os posicionamentos, as atitudes, os conflitos o respeito com o colega, a troca, mediar e intervir se necessário.

 

Referências:

Educação em Direitos Humanos para todas as Idades – Respeitar é Preciso 3ª edição. São Paulo – julho 2019.

Diversidade e Discriminação: Educação em Direitos Humanos. 3ª edição São Paulo – julho 2019.

MEC/SECAD. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: MEC/SECAD.

Modos de brincar: caderno de atividades, saberes e fazeres / [organização Ana Paula Brandão, AzoildaLorettoda Trindade]. -Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2010.

OLIVEIRA, Fabiana de. Um estudo sobre a creche: o que as práticas educativas produzem e revelam sobre a questão racial? 2004.112f. Dissertação (Mestrado em Educação) –Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

Maria Ivanice do Nascimento

E-mail: [email protected]

Cel.: (11) 982417321