Tarefa 6 – Curso EDH – Luma Carlos Delgado

Data

24 de julho de 2020

Cursista

Luma Carlos Delgado

Função

PROFESSORA DE ENSINO FUNDAMENTAL II E MÉDIO - INGLÊS

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

EMEF PROFA. NILCE CRUZ DE FIGUEIREDO

Luma Carlos Delgado – [email protected]

Boa noite,
Segue a minha sequência didática tentei enviar em anexo, porém não consegui.
Atenciosamente,
Luma
_______________________________________

NOME: Luma Carlos Delgado
RF: 826.123-7
CURSO: RESPEITAR É PRECISO à EDH: DESAFIOS NO CONTEXTO ATUAL
DATA: 23/07/2020

Sequência didática: “Bullying não é brincadeira! Respeite às diferenças!”

· O tema proposto: “Bullying não é brincadeira! Respeite às diferenças!”
· Justificativa: “Bullying” é uma prática existente em diversos âmbitos, tanto nas
escolas, como no ambiente de trabalho e, até mesmo, na vizinhança. Não é um
fenômeno recente, esse tipo de violência escolar sempre existiu, porém não sendo
conhecido por esse termo. Os alunos utilizam de diversas formas de agressão que
podem ocorrer em quase todos os níveis de ensino, desde o Ensino Fundamental I até os
últimos anos do Ensino Médio.
· A quem o trabalho se destina: Alunos do Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano),
porém essa sequência didática poderá ser adaptada para os alunos do Ensino
Fundamental I, e também, do Ensino Médio.
· Finalidade: Essa sequência didática tem como finalidade conscientizar os alunos a
respeito do tema (definição e as consequências) a fim de minimizar os casos de ocorrência de Bullying nas escolas.
· Objetivos/Resultados esperados: Espero atingir meu objetivo de conscientizar os
alunos a respeito do tema, abordando a importância dos valores para a vida e do respeito ao próximo, para que os casos de Bullying sejam minimizados.
· Duração – Aproximadamente 2 meses e meio
· Avaliação – A avaliação será contínua, levando em conta todo o processo de ensino-
aprendizagem da sequência didática (criatividade e criticidade dos educandos),
participação das atividades (questões de interpretação, encenação sobre valores para a vida, redação, produção de folder, criação de blog/site, entrevistas, peça teatral, jornal
impresso e telejornal)
As atividades que comporão a sequência
1ª AULA -> O professor perguntará aos alunos o que eles entendem sobre Bullying, a
fim de saber o conhecimento prévio dos estudantes. (Momento de escuta – Roda de
conversa)
2ª AULA -> O professor irá propor uma atividade de interpretação de textos sobre
Bullying. Irá discutir as questões com os alunos e ao término da aula, entregará uma
folha para que os alunos façam entrevistas com pessoas que conhecem (faixa etárias
diferentes). Os alunos terão uma semana para realizar a entrevista.
3ª AULA -> O que é Bullying: https://www.youtube.com/watch?v=tHRZRaZ94ic 2:49
Tipos de Bullying: https://www.youtube.com/watch?v=psieH5qBIpk 2:39
Saiba Mais: Turma da Mônica – Inclusão Social https://www.youtube.com/watch?
v=o8BQFAQPtxg 16:21
Cordas – Uma História de Amor e Inclusão (Curta Metragem)
https://www.youtube.com/watch?v=zs0TJFWAXGA 10:52
Síntese e discussão sobre os vídeos
4ª AULA -> Reflexão Bullying: https://www.youtube.com/watch?v=h28mOogptb4
4:30
Valorize a vida – Bullying https://www.youtube.com/watch?v=JBqav_oNgnY 3:50
Reportagem sobre Bullying e Perseguição – Globo repórter
https://youtu.be/M6EQh7WeVHI 13:56
Anti Bullying Animated Short Film Project https://www.youtube.com/watch?
v=YyDJafzuUK4 6:09
Bullying não! Ser diferente é legal | Canal da Charlotte
https://www.youtube.com/watch?v=Oi3K9KDt_FY 3:50
Síntese e discussão sobre os vídeos
5ª AULA -> Leitura do livro: E se fosse com você?
6ª AULA -> Leitura das cartilhas/guias sobre Bullying
7ª AULA -> Gibi – Bullying: isso não é brincadeira
Bullying Infantil (Revista) – Seção “Na pele” – depoimentos
8ª AULA -> Pesquisa – Depoimentos de famosos que sofreram Bullying
9ª AULA -> Roda de conversa: Depoimentos dos alunos (Quem já sofreu Bullying?)
10ª A 30ª AULA -> Leitura do livro: Semente antibullying
Leitura do livro: Quanto vale uma vida?
Leitura do livro: O segredo da amizade
Leitura do livro: Violência x Tolerância
Leitura do livro: Convivendo em grupo
31ª AULA -> Síntese e discussão a respeito dos livros
32ª A 45ª AULA –> Livro e filme: Extraordinário
Leitura do livro – Somos todos extraordinários e de alguns preceitos do livro 365 Dias
Extraordinários
46ª AULA -> Debate sobre o livro e o filme
Extraordinário da vida real: https://www.youtube.com/watch?v=bWTM7UtW_ko
47ª AULA -> Encenação valores para a vida (livro – Extraordinário)
48ª AULA -> Peça – Bullying (Conscientização)
49ª AULA -> Produção de folder e site sobre Bullying
50ª AULA -> Produção de texto: Bullying
51ª AULA ->
O Respeito às diferenças https://www.youtube.com/watch?v=KEylt21PyrE 3:47
Respeito as diferenças – Ninguém nasce racista
https://www.youtube.com/watch?v=yG06NY3rPAM 19:08

Respeito as diferenças
https://www.youtube.com/watch?v=68zy4qcP-XM 4:27
Trabalhando as diferenças
https://www.youtube.com/watch?v=VLYBin5f0w0 4:18
Síntese e discussão sobre os vídeos

52ª AULA ->

DIA MUNDIAL DA GENTILEZA (animação)
https://www.youtube.com/watch?v=A6PWu3EH7Xw 2:18

TRABALHO EM EQUIPE – JUNTOS FAZEMOS MAIS (ANIMAÇÃO)
https://www.youtube.com/watch?v=twg9SCt76UE 3:09

A importância de cada um no grupo e o respeito (animação)
https://www.youtube.com/watch?v=vb-3NdH75d0 6:19

A importância dos valores morais
https://www.youtube.com/watch?v=5OtkxCWezZg 4:30

PARÁBOLA A ÁGUIA E A GALINHA
https://www.youtube.com/watch?v=f55aGhUH1Tw 6:40

Turma da Mônica – Respeito e Tolerância
https://www.youtube.com/watch?v=sDWQ-QuSXXQ 1:08

Valores humanos
https://www.youtube.com/watch?v=hSQ57bKt4Sc 2:44
Síntese e discussão sobre os vídeos

53ª AULA ->
O preconceito cega
https://www.youtube.com/watch?v=aec-i7n6V48 4:38

LEANDRO KARNAL – Quais são os seus valores?
https://www.youtube.com/watch?v=ZmaJYYnHzgk 2:52

REGRAS DE CONVIVÊNCIA
https://www.youtube.com/watch?v=PsrAkgzySTI 5:30

DIREITOS HUMANOS
https://www.youtube.com/watch?v=95pHjoKfeAA 6:02

Ética e a moral no cotidiano
https://www.youtube.com/watch?v=he3VZnr8oVc 4:19
Síntese e discussão sobre os vídeos

54ª A 75ª AULA -> Elaboração e apresentação do Jornal e do Telejornal – Bullying
– O que é Bullying
– O que é Cyberbullying
– Vítima, testemunhas e agressor
– Consequências
– Depoimentos

LIVROS PARADIDÁTICOS
ALBISSÚ, Nelson. Semente antibullying. 1.ed. São Paulo: Cortez, 2011.
AMOROSO, Caia; coord. ALVES, Januária Cristina. Violência x Tolerância – como
semear a paz no mundo. 1.ed. São Paulo: Moderna, 2017.
ARAUJO, Leusa, coord. ALVES, Januária Cristina. Convivendo em grupo –
Almanaque de sobrevivência em sociedade. 1.ed. São Paulo: Moderna, 2015.
COSTA, Wagner. O segredo da amizade. 2.ed. São Paulo: Moderna, 2002.
GARCIA, Edson Gabriel. Quanto vale uma vida? 1.ed. São Paulo: Cortez, 2011.
PALACIO, R.J. Somos Todos Extraordinários. 1.ed. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2017
PALACIO, R.J. Extraordinário. 1.ed. Editora: Intrínseca, 2013.
PALACIO, R.J. 365 Dias Extraordinários – O livro de preceitos do Sr. Browne. 1.ed.
Editora: Intrínseca, 2014.
SARUÊ, Sandra; BOFFA, Marcelo. E se fosse com você? Uma história de Bullying.
São Paulo: Melhoramentos, 2007.

ANEXOS – PROPOSTAS DE ATIVIDADES

Você vai ler dois textos a respeito do bullying e do cyberbullying que devem ser usados
para responder as questões da parte dissertativa que vão da 01 até a questão 06.

Bullying: o império da tirania
À menina magricela, chamam de “Olivia Palito”; ao gordinho chamam de “baleia” ou
“orca”; ao outro, que começou a usar óculos chamam de “quatro olhos” ou “nerd”. Será
que não há lugar para respeito pelas características e pelos sentimentos de cada um?

TEXTO 1 – Bullying. Não tem a menor graça!
A palavra
Sem tradução para o português, bullying é toda agressão feita com a intenção de
machucar outra pessoa ou até uma turma inteira. Mas, pra ser considerado bullying de
verdade, também é pre-ciso que essa atitude agressiva se repita uma porção de vezes.
Sabe aquele garoto que fica gozan-do do colega todo santo dia, fazendo piadinhas
infelizes a respeito da orelha de abano do garoto? Pois essa atitude grosseira, repetitiva,
disfarçada de brincadeira, é o tal de bullying. Mas esse comportamento vai além dos
apelidos maldosos. Ele também é uma característica de quem ofende, humilha,
discrimina, intimida, enfim, de quem se diverte fazendo tudo o que faça alguém sofrer.
[…]

Depoimento 1
“No caminho da escola, venho feliz com meus amigos, mas, chegando ao portão, já
começam a me xingar. Finjo que nem ligo para não ter confusões. No recreio, esses
meninos me pedem lanche, e quando não dou, dizem que vão me bater. Na saída, quase
todos me ofendem, mesmo assim vou para casa alegre, mesmo depois de um dia
difícil…”(aluno do 5º ano, 10 anos)

Menino é diferente
A prática do bullying nem sempre é igual para meninos e meninas. Segundo Aramis
Lopes, pediatra e coordenador do Programa de Redução do Comportamento Agressivo
entre Estudantes, os garotos são mais explícitos. É comum ver meninos tirando sarro de
alguém na frente de todo mundo. “Já menina é educada para ser mais recatada, discreta.
Sendo assim, a estratégia delas é outra, explica o médico. É isso mesmo! A menina é
mais sutil e vai como se diz, “comendo pelas bordas”. Uma fofoquinha aqui, uma
esnobada ali e lá está ela colocando em prática sua maldade. “A princípio, elas são
amigas.Mas quando vai ver, uma garota já esta sendo vítima de difamação e exclusão
dentro de seu grupo”, acrescenta Aramis.
Para esses casos, o especialista dá a melhor solução: trocar de turma. Afinal de contas,
você é livre para ser amiga de quem bem entender e não tem nada a ver ficar atrás de
meninas que só querem vê-la numa pior, não é mesmo?
Mas, quando o assunto é gozação na frente de todo mundo, como nos casos em que o
cidadão grita um apelido infeliz pelos quatro cantos da escola, a pedagoga Karen
KaufmannSacchetto […] tem a saída: “Evite reforçar essa atitude. Tente ignorar o
máximo que puder”. E Aramis complementa: “Saia de perto, para a brincadeira não
continuar e você não sofrer”.

Depoimento 2
“Não vou mentir, meus colegas me tratam muito mal, com violência verbal; porém,
quanto mais me tratam mal, mais eu tenho rancor dos meus companheiros de escola.
Sou caluniado porque tiro sempre notas boas e, se contar para os professores ou para a
direção, eles falam que vão me pegar. Por isso, fico quieto…”(aluno do 7ºano, 12 anos)

Depoimento 3
”Algumas coisas me chateiam aqui na escola, por isso têm que mudar. Só quero ter mais
mais amigos e, se não for possível, quero mudar de escola, embora as outras fiquem
longe da minha casa e minha mãe não possa pagar transporte escolar. Algumas colegas
estão me impedindo de ter amizades, acho isso desumano…” (aluna do 7º ano. 12
anos)

Contar ou não, eis a questão.
E os pais, como ficam nessa história toda? “Se tiver coragem, conte a eles, pois podem
ajudá-la”, diz Karen. Porém o pediatra Aramis alerta: “Procure alguém de sua
confiança, um colega, um professor, um funcionário da escola, ou seus pais e conte o
que se passa com você. De preferência, os pais só devem interferir com consentimento
dos filhos”. Se você estiver certa de que quera ajuda de seus pais nessa luta, peça uma
mãozinha. Do contrário, se tiver medo de que a situação piore, busque apenas o apoio
deles, mas não desista de tentar se livrar desse sofrimento. Ficar quieta e aceitar todos
os tipos de maldade é o comportamento mais incorreto. Muitas vezes, quando ficamos
chateadas não há nada melhor do que colo e os conselhos do pai e da mãe para nos dar
um calorzinho no coração. A diretoria da escola também pode ser avisada,
principalmente em casos mais graves, como os de ameaça. […] (Os depoimentos
acima foram colhidos pela pesquisadora CleoFante.)
In: CleoFante. Fenômeno bullying. Campinas: Venus, 2005. P. 35-7

TEXTO 2 – A tecnologia a serviço dos brutos
A falta de ar e a tremedeira incontrolável eram sinais do pânico se apossando da
estudante paulista B.M., 16 anos ao se aproximar da escola. Durante três meses
seguidos, B. M. foi alvo de humilhações sistemáticas encabeçadas por um grupo de
colegas do próprio colégio. Esse quadro é típico do bullying […].
A novidade é que agora, ele também se dá pela internet. As colegas de B. M. criaram
uma comunidade no Orkut com o único objetivo de agredi-la. Em pouco tempo, o site
tornou-se ponto de encontro na rede para dezenas de colegas hostis a B. M. As ameaças
terríveis mesmo para um adulto, eram deixadas na Orkut aos montes: “Se aparecer na
escola, vamos quebrar a tua cara!” ou “Te mato”. B. M. continuou indo à escola, onde
as ameaças e piadas eram repetidas na presença dela. Isolada, sempre em prantos, a
estudante emagreceu 4 quilos. Os pais registraram queixa em uma delegacia, mas nada
mudou. O inferno de B. M. só terminou quando ela trocou de escola, mas o estrago feito
vai durar muito tempo: “É impossível esquecer o massacre”.
O drama de B. M. ocorreu há quatro anos. Desde então o cyberbullying, o assédio
covarde organizado por grupos contra uma pessoa e alimentado via internet, cresceu no
Brasil. Uma nova pesquisa conduzida com mais de 5.000 alunos do ensino fundamental
em todo o Brasil revela dados assustadores sobre o uso da internet para a organização de
ataques à honra das pessoas. O levantamento feito pela Plan, uma ONG presente em 66
países, mostra a extensão do problema nas escolas. Pelo menos um em cada seis
estudantes disse aos pesquisadores já ter sofrido agressões sistemáticas e organizadas na
rede. A maldade dos agressores é potencializada pelo cyberbullying. As comunidades
virtuais, os blogs e as correntes de mensagens são áreas de convivência dos
adolescentes, locais em que eles se expõem, paqueram e trocam idéias. Ser privado
dessa convivência ou, pior, se alvo de ataques dos próprios colegas ali é devastador.
Resume B. M.: “A autoestima
desaparece” (Veja, nº2 163.)

Estudo dos textos
Compreensão e interpretação

1.Com base nos dois textos lidos, responda: O que é o bullying?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
____________________________
2.A respeito dos depoimentos que acompanham o texto 1, observe a idade e o ano
escolar dos autores dos depoimentos.
a)O bullying é um fenômeno no que ocorre exclusivamente durante certa idade ou
ano escolar? Justifique sua resposta.
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
____________________________
b)O bullying pode ocorrer de diferentes formas: colocando apelidos, ofendendo,
gozando, xingando, humilhando, excluindo, intimidando, perseguindo, amedrontando,
batendo, roubando, etc. Que tipo de bullying os autores dos depoimentos sofrem?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
____________________________
c)Compare os três depoimentos e conclua: Como se sentem essas crianças vítimas do
bullying? Elas estão sendo ajudadas por alguém?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
____________________________
3.Considere estas situações:
·Um estudante debocha esporadicamente de um colega, xingando-o com vários
apelidos.
·Um adolescente é vítima de piadas porque usa um celular simples, enquanto os
colegas usam smartphones, isto é, aparelhos com música, câmera digital, acesso à
Internet, SMS, etc.
·Um grupo de adolescentes incomoda repetidamente, um colega da classe,
rasurando seus livros e cadernos, roubando-lhe canetas e lápis, escrevendo na lousa
falsas mensagens de amor para ele, etc.
·Um estudante divulga oralmente ou na Internet uma notícia falsa a respeito de um
colega, o que provoca o afastamento dos outros colegas.
a)Quais das situações podem ser consideradas Bullying?
______________________________________________________________________
______________
b)Para você, alguma das situações é pior do que as outras? Por quê?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
____________________________
4) As crianças e adolescentes vítimas de bullying receiam contar o que vivem aos pais
ou aos professores e funcionários da escola por vergonha ou por medo de piorar a
situação.
a) Qual é a opinião dos especialistas a respeito disso?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
__________________________________________
b) No trecho “A diretoria da escola também pode ser avisada, principalmente em casos
mais graves, como os de ameaça”, o que você entende por “casos de ameaça”?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
____________________________
5) O texto 2 analisa o cyberbullying, isto é, o bullying na Internet. De acordo com o
texto, qual tipo de bullying é mais cruel para as vítimas? Por quê?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
__________________________________________
6) A estudante B. M., depois de ser vítima de bullying na Internet durante três meses,
acabou abandonando a escola. De acordo com o texto, o problema de B. M. ficou
resolvido?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
____________________________
Entrevista – Bullying
Parte I – Público (geral) à Faixa etária = 1 adolescente entre 12 e 18 anos e 1 adulto
(acima de 30 anos)
1- Você já ouviu falar sobre Bullying? O que você entende por esse fenômeno?
2- Conhece alguém que pratica ou praticou Bullying?
3- Conhece alguém que foi vítima de Bullying?
4- Você já praticou ou foi vítima de Bullying? Caso afirmativo, relate o acontecimento.
5- Como você se sentiu?
6- Você acredita que quem presencia a ocorrência de Bullying, também, é de certa
forma, “agressor”?
7- Quais recomendações você daria para quem é vítima de Bullying?
8- O que fazer para minimizar a ocorrência de Bullying nas escolas?
Parte II – Vítima
1- Qual foi o motivo para que começassem a praticar Bullying com você?
2- E como começou?
3- A primeira coisa que você fez para tentar resolver a situação foi…
4-Sentiu alguma consequência, pelo ato sofrido?
5- Faria Bullying com alguém?
6-Você contava para alguém o que sofria?
Parte III – Agressor
1- Primeiramente, você acha correta sua posição ou há algum arrependimento?
2- Qual foi o motivo?
3- Alguém da sua família teve conhecimento desse fato?
4- Você quem começou, ou de começo apoiou alguém que já era praticante do
Bullying com essa pessoa?
5- Aprendeu algo com essa situação?
6-A pessoa teve sequelas graves?
7-Se você fosse vítima, como contornaria a situação?

RODA DE CONVERSA – ALUNOS (Questões a serem discutidas)

Você já foi vítima de bullying?
( ) sim ( ) não

Você seria capaz de identificar uma causa aparente por ter sido vítima de bullying?
Qual?

Ao ser vítima de bullying, qual foi sua reação?

Ser vítima de bullying afetou seus relacionamentos?

Ser vítima de bullying afetou sua auto-estima?

Ao ser comunicado, seu professor
( ) interferiu na situação ( ) não interferiu na situação

A interferência do professor ajudou sua reintegração em classe

Você já praticou bullying?
(   ) sim (  ) não

Você já foi testemunha de bullying?
( ) sim ( ) não