Tarefa 6 – Curso EDH – Lilian Regina Martins Esteves

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Lilian Regina Martins Esteves

Função

Professor de Educação Infantil

DRE / Unidade Educacional

Itaquera

Escola

CEI Danielle Monteiro

Professora: Lilian Regina Martins Esteves

RESPEITAR É PRECISO
TAREFA – EDH

TEMA: “Conquistando o respeito por meio de boas e valiosas interações”

JUSTIFICATIVA:
A escola é um espaço onde bebês e crianças conhecem e entram em contato com as diferenças, pois passam a conviver com outras opiniões e ideias; é na escola que a criança participa da resolução de problemas; é também na escola que aprende a respeitar, a dialogar e a compreender aquilo que lhe é diferente, ou ao menos, desconhecido.
Quando nos referimos aos direitos humanos é de fundamental importância compreendermos que não se trata tão somente de um conteúdo escolar a ser aprendido, mas sim da construção de um ser; da forma como se vê o mundo e como agimos nele.
É também essencial que nesse processo de construção da identidade dos bebês e crianças que a parceria com as famílias e a comunidade seja efetiva; uma parceria que some esforços; que essas famílias sejam acolhidas e respeitadas independente de suas constituições; devendo ser todas elas reconhecidas, respeitadas e valorizadas.
A dialogicidade e a empatia promovem o respeito ao outro e à diversidade de pessoas, raças, saberes, culturas e potencialidades; de forma a construir uma cultura de respeito mútuo por meio da interação com o outro e com o ambiente. As relações saudáveis têm por finalidade respeitar e valorizar as singularidades de TODOS; independente de suas condições, ações ou entendimentos.
A tarefa da escola não é fácil, pois tem que oferecer um ambiente propício para questões relacionadas aos direitos humanos formando cidadãos conscientes que acolhem as diferenças; que constroem novas relações étnico-raciais; que incluem considerando a equidade; que busquem possibilidades de articulações.
Considerando todos os aspectos relevantes citados anteriormente é irrefutável a importância que a escola tem para a formação integral dos bebês e crianças e de suas formações enquanto pessoas que conhecem, reconhecem, respeitam e promovem a igualdade, pelo princípio da equidade, e se faz representar como sujeito de direitos.

PÚBLICO ALVO: Crianças de 3 anos a 3 anos e 11 meses do Mini-Grupo II e suas famílias.

FINALIDADE:
A intenção é promover e garantir com atividades simples e adequadas a compreensão, a vivência e a demonstração em atitudes o respeito e a empatia pelo outro. Inserindo a participação das famílias com suas contribuições, de modo, que acompanhem o desenvolvimento das crianças em todo o seu processo de aprendizagem.

OBJETIVOS:
• Estimular, desde a infância, a praticar o respeito pelos outros;
• Propiciar às crianças condições para a construção de sua identidade pessoal;
• Incentivar as crianças a valorizar e respeitar as diversidades;
• Reconhecer valores como respeito, carinho, solidariedade e empatia;
• Fortalecer a autoestima por meio da valorização das diferenças;
• Exercitar e valorizar o diálogo para resolução de conflitos.

DURAÇÃO: Durante o decorrer do ano, pois se refere à construção de identidades e formações em seus diversos âmbitos considerando a faixa etária das crianças envolvidas.

ATIVIDADES:
1) ACOLHIMENTO:
Acolher as crianças e suas famílias para o iniciar do período de adaptação, de modo, a conhece-los e conhecer as especificidades de cada um; promovendo também uma entrevista com as famílias para conhecer suas formações, necessidades, origens ou o que julgarem importante.
2) SENSIBILIZAÇÃO:
Realização de uma reunião com as famílias para apresentação das intenções do trabalho educativo para o ano e conscientizar sobre a importância de trabalharmos em parceria e em prol do desenvolvimento infantil. Apresentando o papel da escola, das famílias e das crianças nesse processo de aprendizagem.
3) CONSTRUÇÃO DO ESPAÇO COMPARTILHADO:
Em roda de conversa serão apresentados às crianças os cantinhos que dispõe a sala (leitura, brinquedos, artes e materiais de largo alcance); a organização dos mesmos e os cuidados para com eles; de modo a estimular que digam qual cantinho gostariam de ter na sala de referência para ampliarmos a possibilidade do brincar de acordo com o interesse deles. Considerando que tudo ficará à altura deles e de fácil acesso; promovendo a escuta e o respeito das ideias.
4) BIBLIOTECA DE PREFERÊNCIA:
A cada quinze dias serão disponibilizados às crianças uma grande variedade de livros para que escolham novos títulos para compor a nossa biblioteca na sala para manuseio deles; sendo que podem acrescentar e retirar de acordo com suas preferências. Para esta atividade o professor irá selecionar antecipadamente os livros que apresentem diversidade de culturas, respeito à diversidade, temas inclusivos, gêneros textuais diversificados e formatos diferentes, de modo, a contemplar todas as diferenças.
5) ELABORAÇÃO DE COMBINADOS:
Tendo o professor como escriba iremos dialogar sobre quais seriam os nossos combinados para brincarmos e interagirmos juntos, para resolver os conflitos, para saber como tratar as pessoas da escola e amigos com carinho e respeito. Esses combinados ficarão anexados na sala, na altura das crianças, para a revisitação todas as vezes que se fizerem necessárias, pois dessa forma as crianças aprenderão por meio de suas vivências o respeito e o cuidado para com o outro. No decorrer novas situações serão conversadas e acrescentadas.
6) RODAS DE CONVERSA:
Serão realizadas diariamente para que possam contar histórias, relatar fatos e acontecimentos, elencar soluções para os nossos problemas e desafios e para os assuntos que for de interesse das crianças; sempre estimulando a participação de todos e garantindo o respeito às ideias dos demais; de modo a proporcionar a diversidade de vivências.
7) MOMENTOS DE BRINCADEIRAS LIVRES E DIRIGIDAS:
As duas formas de brincar serão contempladas em nossa rotina escolar, pois na primeira a criança estará construindo vínculos, imitando comportamentos, demonstrando preferências, compartilhando materiais e brinquedos, desenvolvendo sua criatividade e imaginação, construindo sua identidade pela interação com o outro que é diferente dele. E na segunda proposta irão compreender que há combinados e regras, que temos que respeitar o espaço e o ritmo do outro, a buscar soluções para alguma dificuldade ou desafio; não de maneira individual e sim coletiva.
8) PROMOÇÃO DE ATIVIDADES:
Atividades que apresentem as diferentes culturas, raças; buscando a inclusão e a valorização das diferenças. Através da música, da dança, da literatura, da culinária e outras formas de expressão.
9) CONVITE ÀS FAMÍLIAS:
As famílias serão convidadas para compartilharem suas vivências com as crianças; apresentação de outras culturas, brincadeiras de infância, comidas típicas, contação de histórias e quaisquer outras intenções dos familiares em compartilhar; estabelecendo e promovendo ainda mais a parceria. Em nossa turma há famílias oriundas de diversos estados do Brasil e também da Bolívia; que muito tem a contribuir e compartilhar para o nosso enriquecimento.

Fundamentalmente registro aqui que essas atividades serão realizadas repetidas vezes durante o ano, pois considerando a faixa etária das crianças torna-se imprescindível acompanhar as vivências diárias e realizar as intervenções necessárias para que o processo de aprendizagem se construa e se efetive, pois devemos considerar que desenvolver atitudes que respeitam e valorizam as diferenças não é como desenvolver um conteúdo estanque; requer resiliência, paciência, intervenções, vínculos, confiança e experiências significativas vividas pelas próprias crianças. Os direitos humanos se aprendem vivendo, interagindo e buscando diálogo em qualquer situação que se apresente o contrário.
Trata-se de permitir a percepção das diferenças sem depreciação e, sim criar a consciência de igualdade. Quando damos a oportunidade de participação à criança, de certa forma, estamos favorecendo as relações democráticas e ampliando a oportunização de escuta e respeito.

AVALIAÇÃO:
Durante todo o processo de construção da aprendizagem serão realizados registros descritivos e fotográficos; de modo, a evidenciar as ocorrências cotidianas significativas no tocante à evolução, compreensão e respeito à diversidade e resolução de conflitos.
Também será analisado a participação e envolvimento das famílias nas situações cotidianas e ao atendimento ao convite para compartilhar vivências.