Tarefa 6 – Curso EDH – Lilian Cristina Silva Vitor

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Lilian Cristina Silva Vitor

Função

Professora de Educação Infantil e Fundamental 1

DRE / Unidade Educacional

Guaianases

Escola

EMEI Professor Elisiário Rodrigues de Sousa

Participante: Lilian Cristina Silva Vitor

EDH – DESAFIOS DO CONTEXTO ATUAL

TAREFA – ESPAÇO DE FORMAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE PRÁTICAS QUE VIABILIZEM A INCLUSÃO DE CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CONTEXTUALIZAÇÃO

A QUESTÃO A SER TRABALHADA COM A PROPOSTA DESSA TAREFA, É CRIAR UM ESPAÇO DE FORMAÇÃO DENTRO DA UNIDADE ESCOLAR, ONDE TODOS OS FUNCIONÁRIOS, DE TODOS OS SEGMENTOS, POSSAM PARTICIPAR ESTUDANDO, REFLETINDO, DISCUTINDO E APRIMORANDO PRÁTICAS EFETIVAS E IMPORTANTES QUE POSSAM QUALIFICAR O TRABALHO COM A INCLUSÃO DE CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS.

JUSTIFICATIVA 

TRABALHO EM UMA UNIDADE DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE SÃO PAULO, QUE ATENDE CRIANÇAS COM IDADES ENTRE 4 E 5 ANOS. HÁ ALGUM TEMPO, VENHO PERCEBENDO QUE QUANDO A UNIDADE RECEBE CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS, NÃO SÃO TODOS OS FUNCIONÁRIOS QUE SE ENVOLVEM NO PROCESSO DE ACOLHIMENTO, CUIDADO E APRENDIZAGEM DESSE PÚBLICO. POR MUITAS VEZES ACREDITA-SE QUE APENAS O PROFESSOR DEVE DEDICAR-SE A CUIDAR E EDUCAR ESSAS CRIANÇAS. DIANTE DESTA SITUAÇÃO, A AÇÃO QUE VENHO PROPOR É A DE QUE A ESCOLA COMO UM TODO (EQUIPE GESTORA, EQUIPE DOCENTE, AUXILIARES TÉCNICOS DE EDUCAÇÃO, AGENTES DE APOIO, FAMÍLIAS) POSSA COMPROMETER-SE COM O PROCESSO DE ACOLHIMENTO, CUIDADO, DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM DESSAS CRIANÇAS, POR MEIO DA CONSTRUÇÃO DE UM GRUPO DE FORMAÇÃO, DEDICADO A ESTUDAR E REFLETIR SOBRE O NOSSO CONTEXTO, AS DIFICULDADES ENCONTRADAS, AS NECESSIDADES DE CADA CRIANÇA ENVOLVIDA NO PROCESSO DE INCLUSÃO, AS AÇÕES E PRÁTICAS POSITIVAS QUE A UNIDADE PODE DESENVOLVER, COM AS CRIANÇAS E SUAS FAMÍLIAS.

PÚBLICO-ALVO

ESSE TRABALHO DESTINA-SE A TODA EQUIPE ESCOLAR (EQUIPE GESTORA, EQUIPE DOCENTE, AUXILIARES TÉCNICOS DE EDUCAÇÃO, AGENTES DE APOIO) E TAMBÉM ÀS FAMÍLIAS.

FINALIDADE 

COM A REALIZAÇÃO DESSE GRUPO DE FORMAÇÃO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS DA UNIDADE E TAMBÉM DESTINADO ÀS FAMÍLIAS PRETENDO FAZER COM QUE ATRAVÉS DAS PRÁTICAS DE ESTUDO, REFLEXÃO E DISCUSSÃO, POSSAMOS AGREGAR CADA VEZ MAIS PESSOAS PARA PARTICIPAR DO PROCESSO DE INCLUSÃO DAS CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS, DE FORMA QUE CADA UM POSSA PERCEBER A IMPORTÂNCIA DA SUA  PRÁTICA NO ACOLHIMENTO, CUIDADO E APRENDIZAGEM DESSE PÚBLICO. A IDEIA É REFORÇAR, PORTANTO, A GRANDE RELEVÂNCIA DO TRABALHO COLETIVO NA CONSTRUÇÃO DE PRÁTICAS QUALITATIVAS NO PROCESSO DE INCLUSÃO.

OBJETIVOS:

  • CONSTRUIR UM ESPAÇO DE FORMAÇÃO COLETIVA NA UNIDADE, QUE POSSA AGREGAR TODA EQUIPE ESCOLAR E TAMBÉM AS FAMÍLIAS, DE FORMA QUE CADA UM POSSA COMPREENDER A IMPORTÂNCIA DO SEU TRABALHO NO PROCESSO DE INCLUSÃO DAS CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS.
  • ESTUDAR, CASO A CASO, DAS CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS: QUE INFORMAÇÕES AS FAMÍLIAS TRAZEM SOBRE AS CRIANÇAS / SE PERCEBERAM ALGO DIFERENTE EM SUA FORMA DE AGIR E SE RELACIONAR COM O MUNDO / QUAIS SÃO OS INTERESSES DESSAS CRIANÇAS / QUAIS SÃO AS NECESSIDADES QUE ESSAS CRIANÇAS APRESENTAM DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, SEJAM ADAPTAÇÕES NO ESPAÇO DE SALA DE AULA, REFEITÓRIO, BANHEIROS, BRINQUEDOS, MATERIAIS, ENTRE OUTRAS / SE A CRIANÇA FAZ ALGUM ACOMPANHAMENTO COM ESPECIALISTA / QUE CONSIDERAÇÕES E CONTRIBUIÇÕES ESSE ESPECIALISTA QUE ACOMPANHA A CRIANÇA PODE TRAZER PARA O TRABALHO REALIZADO NA ESCOLA / SE NÃO FAZ NENHUM ACOMPANHAMENTO, REALIZAR UMA AVALIAÇÃO COLETIVA, INFORMAR AOS PAIS, E SOLICITAR ACOMPANHAMENTO MÉDICO OU TERAPÊUTICO QUE POSSA CONTRIBUIR POSITIVAMENTE NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA, DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM DESSAS CRIANÇAS, ENTRE OUTRAS AÇÕES QUE A EQUIPE JULGAR NECESSÁRIO.
  • COMPREENDER AS DIFERENÇA COMO ALGO INERENTE AO PROCESSO EDUCATIVO.
  • RECONHECER AS POTENCIALIDADES, CAPACIDADES E HABILIDADES (ESPECIFICIDADES) DAS CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS PARA OFERECER A ELAS EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS E IMPORTANTES AO SEU DESENVOLVIMENTO GLOBAL, TANTO NA ESCOLA COMO NA VIDA.
  • COMPREENDER A IMPORTÂNCIA DO ACOLHIMENTO DAS CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS E SUAS FAMÍLIAS, A FIM DE SE ESTABELECER UM TRABALHO EM PARCERIA.

DURAÇÃO 

OGRUPO DE FORMAÇÃO QUE PROPONHO, ACONTECERÁ AO LONGO DE TODO O ANO LETIVO, COM ENCONTROS SEMANAIS, DE UMA HORA E MEIA, COM A EQUIPE ESCOLAR. E AS FAMÍLIAS OU RESPONSÁVEIS PELAS CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS.

ATIVIDADES

  • O GRUPO DE FORMAÇÃO SE REUNIRÁ UMA VEZ POR SEMANA. CADA ENCONTRO TERÁ A DURAÇÃO DE UMA HORA E MEIA COM O OBJETIVO DE ESTUDAR AS CARACTERÍSTICAS, NECESSIDADES, E PONTOS IMPORTANTES QUE CADA UMA DAS CRIANÇAS APRESENTA.
  • REALIZAR LEITURA DE MATERIAIS QUE POSSAM SUBSIDIAR O ENTENDIMENTO DE CADA CASO, A FIM DE COMPREENDER PONTOS IMPORTANTES SOBRE O QUE CADA CRIANÇA APRESENTA, COMO POR EXEMPLO, AUTISMO, SÍNDROME DE DOWN, OU OUTRAS DEFICIÊNCIAS.
  • ASSISTIR VÍDEOS, DOCUMENTÁRIOS, ENTREVISTAS QUE ABORDEM TAIS ASSUNTOS.
  • CONVIDAR AS FAMÍLIAS E RESPONSÁVEIS QUE POSSAM PARTICIPAR DA ROTINA ESCOLAR, EM ESPECIAL EM ALGUMAS ATIVIDADES OFERECIDAS ÀS CRIANÇAS, DE FORMA QUE ELAS TAMBÉM POSSAM PARTILHAR DE MOMENTO DE CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA DAS CRIANÇAS, E ACOMPANHAREM DE PERTO COMO ESTÃO APRENDENDO E SE DESENVOLVENDO.
  • REALIZAR PARCERIA COM AS ESCOLAS DO ENTORNO, A FIM DE CONHECER O TRABALHO REALIZADO NO QUE DIZ RESPEITO A INCLUSÃO DE CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS, TROCANDO IDÉIAS E EXPERIÊNCIAS.
  • TRAÇAR UMA LINHA DE TRABALHO QUE POSSA AGREGAR TODA A EQUIPE ESCOLAR NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES E EXPERIÊNCIAS IMPORTANTES, QUE POSSAM CONTRIBUIR SIGNIFICATIVAMENTE COM O DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS QUE SÃO PÚBLICO-ALVO DA INCLUSÃO, MAS TAMBÉM, AGREGANDO AS DEMAIS CRIANÇAS QUE COMPÕEM AS TURMAS.
  • ESTUDAR SOLUÇÕES QUE FUNCIONAM MELHOR PARA CADA CRIANÇA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR.
  • CONSTRUIR MATERIAIS CONCRETOS PARA UTILIZAÇÃO EM SALA DE AULA E FORA DELA, BEM COMO A PESQUISA DE RECURSOS E INSTRUMENTOS TECNOLÓGICOS QUE POSSAM CONTRIBUIR IR PARA O DESENVOLVIMENTO DAS CRIANÇAS.

AVALIAÇÃO

AO LONGO DA EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES DO GRUPO DE FORMAÇÃO, A AVALIAÇÃO PODERÁ SER REALIZADA COLETIVAMENTE, UTILIZANDO OS ENCONTROS QUE ACONTECERÃO SEMANALMENTE, A FIM DE REFLETIR SOBRE TODO O TRABALHO QUE ESTÁ SENDO REALIZADO, COMO POR EXEMPLO: O QUE TEM DADO CERTO NO QUE DIZ RESPEITO ÀS PRÁTICAS INCLUSIVAS DESENVOLVIDAS PELA ESCOLA, O QUE NÃO TEM DADO CERTO, QUE AÇÕES PRECISAM SER ADOTADAS.