Tarefa 6 – Curso EDH – Juliana Rodrigues Lima

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Juliana Rodrigues Lima

Função

PEI/PEI

DRE / Unidade Educacional

Ipiranga

Escola

CEI Parque Fongaro

Atividade para finalização do curso EDH – Respeitar é preciso! – Desafios do Contexto Atual

 

Sequência Didática sobre Direitos Humanos no Berçário

 

FAIXA ETÁRIA:: 1 a 2 anos

 

JUSTIFICATIVA: 

Direitos Humanos são essenciais, pois garantem a dignidade, na vida das pessoas ao redor do globo. Porém, embora saibamos disso, ainda há um longo caminho a construir relações sociais que verdadeiramente respeitem integralmente os Direitos Humanos. Deste modo, é necessário construir propostas que agreguem valores e sensibilidade, de modo significativo e em projeto de longo prazo, visando um projeto de sociedade mais justa e igualitária. A Escola, por seu caráter essencialmente educativo e de convivência de diferenças, em todos os sentidos, inclusive no quesito capital cultural, se revela um agente pontual na alteração da perspectiva das novas gerações, com mais solidariedade, empatia, alteridade e menos preconceitos, reconhecimento de privilégios e dissolução de estruturas que mantenham esses privilégios como algo natural.

Com essa perspectiva, a Educação Infantil é o ambiente nevrálgico para iniciarmos essa atuação, de transformação social.

 

OBJETIVO:  

Realizar ações pedagógicas que estimulem a percepção de que há belezas e formas igualmente válidas de viver, que há outras referências de literatura, de brincadeiras e de artes, para além da eurocêntrica, estabelecendo uma pedagogia descolonizadora, que  reverbere na formação da perspectiva de mundo dos bebês e suas famílias. Incentivar ações colaborativas e acolhedoras diante das diferentes dificuldades do próximo, construindo uma relação de respeito e convivência inclusiva, para todos. 

 

METODOLOGIA:

O trabalho pedagógico se desenvolverá ao longo de todas as suas ações, permeadas pelos princípios dos Direitos Humanos e a formação integral dos bebês, através de exemplos, ações e intervenções nas interações.

 

Ao realizar uma verificação na fralda de cada um, irei verbalizar o que está acontecendo, pedindo licença para tocar no corpo do bebê, nomeando as ações, para que ao aprender a nomear as ações, também aprenda sobre respeito e necessidade de consentimento para interagir com ele, mesmo sendo uma ação de cuidado. 

Nas atividades de literatura, diferentes enredos, protagonistas e cosmovisões serão apresentados, para que a alteridade de representatividade seja naturalizada. 

Durante as brincadeiras, irei observar as interações e intervir, caso seja necessário, para que os bebês se respeitem, evitem violências físicas entre si.

Como o trabalho pedagógico com bebês e crianças pequenas se pauta na Escuta Atenta e Sensível, a metodologia a ser desenvolvida para o sucesso de um projeto em Direitos Humanos será baseada em ações de respeito e acolhimento dos pequenos, sendo, a professora a mediadora que terá atitudes respeitosas, como modelo, mas também como par que promove o respeito nas interações e brincadeiras.

 

AVALIAÇÃO:

Por se tratar de um projeto com objetivo da construção de cidadania e aprendizagem de valores, a avaliação acontecerá pela observação do comportamento dos bebês e da observação das suas interações, entre si, com os colegas no CEI e com os adultos.

 

DURAÇÃO: 

O projeto deve ser desenvolvido por todo o ano letivo, pois sempre há espaço para aprender mais sobre respeito, acolhimento e diversidade, exercitar cidadania e solidariedade.

 

RECURSOS:

Procedimentos atitudinais,  livros do acervo da biblioteca escolar e pessoal, CD de ritmos diversos, reproduções de obras plásticas e audiovisuais, de diferentes correntes estéticas e representando diferentes culturas e etnias e constituições físicas. .

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

 

BARDANCA, Ángeles Abelleira. BARDANCA, Isabel Abelleira. Os fios da infância. São Paulo: Phorte, 2018.

 

FREIRE, Paulo. Professora sim; tia não: cartas a quem ousa ensinar. 27° edição. Rio de Janeiro/ São Paulo. PAz e Terra, 2017.

 

INSTITUTO VLADIMIR HERZOG, Coleção Cadernos do Respeitar – Educação em Direitos Humanos. 3° edição. São Paulo, 2019.

 

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica. Currículo da Cidade – Educação Infantil – São Paulo: SME/ COPED, 2019.

 

_______________. Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Currículo Integrador da Infância Paulistana. São Paulo: SME/DOT, 2015.

 

SILVA, Avani Souza. A África recontada para crianças. São Paulo: Martin Claret, 2020.