Tarefa 6 – Curso EDH – Joseane Bocalon

Data

30 de julho de 2020

Cursista

Joseane Bocalon

Função

Professora Ed. Infantil

DRE / Unidade Educacional

Freguesia do Ó / Brasilândia

Escola

CEI Vila Brasilandia

Projeto: LeiturAção

Tema: Literatura infantil e Direitos Humanos na educação infantil.

Público alvo: Bebês e crianças de 2 a 4 anos

Duração – Projeto anual

Este projeto já existe na Unidade em que trabalho há 2 anos, avaliamos anualmente, redirecionando algumas ações e ampliando as discussões com a equipe, nos fortalecendo na busca de oferecer qualidade aos nossos educandos.

Constatamos inicialmente que nosso acervo literário era um pouco pobre na questão de trabalhar com a diversidade. Partimos da ideia de propor algo diferente para os bebês e crianças do nosso CEI buscando soluções para ampliarmos as possibilidades e enriquecermos nossas ações. A SME propôs uma prática de fazermos o “Leituraço” no mês de novembro, ação na qual deveríamos eleger um livro com temática étnico racial para lermos aos nossos alunos. Sentimos a necessidade de ampliar essa prática e abordar outros temas por meio da literatura. Assim nasceu o LeiturAção que damos continuidade e tem enriquecido nossa prática.

Assim, quinzenalmente, promovemos uma leitura ou contação de história, disponibilizando títulos que possibilitamos que cada criança escolha a história que quer ouvir neste dia, estimulando a autonomia e direito de escolha dos pequenos.

Justificativa – Pensar na Qualidade Social da Educação, é considerar a realidade em que a escola está inserida, a história e vivências de sua comunidade para ofertar uma proposta significativa e que de fato contribua com a aprendizagem e que considere o trabalho com a diversidade desde a mais tenra idade, estimulando o respeito e a empatia. Sabemos que as crianças aprendem de acordo com aquilo que vivenciam, nesta perspectiva, a literatura infantil contribui de maneira efetiva na formação de valores e promove cultura de respeito, bem como colabora com a formação de sujeitos mais conscientes e críticos.

Por muito tempo se manteve nas escolas a escolha de livros infantis que reforçam muitos estereótipos e mais do que nunca precisamos romper com estas práticas ampliando repertórios, trabalhando questões do nosso tempo, com personagens representativos da realidade de nossas crianças:  Princesas negras, príncipes negros, mulheres heroínas, povos africanos, indígenas, imigrantes, pessoas com deficiência, diferentes composições familiares, relações de gênero, classes sociais… priorizando escolhas por livros que abordam estas temáticas, dando visibilidade e enfatizando a riqueza das diferenças.

O Currículo da cidade – Educação Infantil – enfatiza que a escola não é um espaço neutro, desta maneira, as práticas devem contemplar a diversidade, preocupando-se em ofertar às crianças diferentes possibilidades e materialidades que contribuam com a construção positiva da identidade, bem como conviver harmoniosamente e respeitosamente com as diferenças.

Finalidade – Promover e ampliar o acesso ao acervo de livros da literatura infantil com temática em direitos humanos, priorizando a leitura destes livros nos momentos de contação de histórias, de maneira lúdica e atraente para as crianças.

Objetivos –

– Promover respeito e empatia;

– Priorizar a leitura de livros com temática em direitos humanos;

– Colaborar com a formação de cidadãos éticos, responsáveis e solidários que contribuam com uma sociedade mais inclusiva, democrática e sustentável;

– Envolver toda equipe da escola e familiares no andamento do projeto.

– Estimular a autonomia;

 

Propostas e vivências:

  • Rodas de conversa, apresentação dos livros e escolha da história a ser ouvida;
  • Organização de espaços convidativos a audição de histórias;
  • Contação de história/leitura de livros;
  • Confecção de murais, paineis expositivos, que evidenciem diferenças;
  • Sacola da leitura – semanalmente uma criança leva para casa um livro para ler com a família.

 

Avaliação – será contínua e de acordo com o envolvimento dos participantes, redirecionando práticas e redimensionando as ações se necessário.

 

 

Algumas sugestões de livros: (Alguns precisam ser adaptados para o público do projeto, adaptando a linguagem e o tempo de duração da proposta, utilizando o lúdico, imagens, sons e outros elementos que atraiam a atenção dos pequenos para o livro)

Princesa Arabela, Mimada Que Só Ela! Autor: Mylo Freeman

Que Cor É a Minha Cor? Autora: Martha Rodrigues

Meninos de verdade – Autora: Manuela Olten

Amoras – Autor: Emicida

Minha mãe é negra sim! – Autora: Patricia Santana

O Mundo no Black Power de Tayó – Autora: Kiusam de Oliveira

Omo-oba: histórias de princesas – Autora: Kiusam de Oliveira

Meu amigo Jim – Autora: Kitty Crowther

Meus dois pais – Autor: Walcyr Carrasco

O fado padrinho, o bruxo afilhado e outras coisinhas mais – Autora: Anna Claudia Ramos

Meu crespo é de rainha – Autora: Bell Hooks

Bruna e a Galinha D’Angola – Autora: Gercilga De Almeida

A felicidade das borboletas – Autora: Patrícia Engel Secco

O livro da família – Autor: Todd Parr

Chico Juba – Autor:  Gustavo Gaivota

Olivia tem dois papais – Autora:  Marcia Leite

Diversidade – Autora: Tatiana Belinky

O mar de Manu – Autora:  Cidinha da Silva

Grandes Mulheres que Fizeram História – Autora: Kate Pankhurst

Tanto, tanto! – Autor: Trish Cooke

Kabá Darebu – Autor: Daniel Munduruku

Esta é Silvia – Autora: Jeanne Willis

Aldeias, Palavras e Mundos Indígenas – Autora: Valéria Macedo

Lendas e mitos dos índios brasileiros: Autor: Walde-Mar de Andrade e Silva