Tarefa 6 – Curso EDH – Jaqueline Azevedo Torres

Data

24 de julho de 2020

Cursista

Jaqueline Azevedo Torres

Função

Professora de educação infantil

DRE / Unidade Educacional

Capela do Socorro

Escola

CEI Jd Silveira

Nome: Jaqueline Azevedo Torres

RF: 8485607

Curso: Educação em Direitos Humanos

 

Sequência Didática 

Público-alvo: Educação Infantil – crianças de 4 a 5 anos

Objetivo: Propor uma semana de atividades diferenciadas, buscando alternativas que visem uma conscientização e observação com relação às pessoas e diferenças entre elas, visando a valorização das potencialidades.

 

Metodologia: Durante uma semana a professora levará materiais diversos que favoreçam rodas de conversa, conhecimento de culturas diferentes, atividades que desenvolvam na criança uma consciência crítica de valor humano, quebrando estereótipos, tabus e  preconceitos. 

 

Dias 1 e 2:  Roda de história: “Bruna e a galinha d’angola”. Após a leitura, a professora fará uma roda de conversa e aproveitará este momento para contar sobre a cultura Negra e como faz parte de nosso cotidiano, por fazer parte da nossa história. A proposta inclui pintar panos e manuseio de argila incluindo ações do livro na proposta da semana.

 

 Dias 3 e 4: Roda de história: “As cores no mundo de Lucía, de Jorge Fernando dos Santos. Após a leitura, a professora fará uma roda de conversa sobre o livro, instigando os alunos a pensarem sobre as dificuldades, possibilidades e sensações que uma pessoa cega passa, além de comentar e ouvir sobre outras deficiências que surjam durante o bate papo.  Após a roda de conversa, a professora ofertará à turma uma atividade de circuito, onde uma pessoa estará com venda, e deverá passar pelos obstáculos sendo ajudado por um colega de classe. A professora também vai propor uma brincadeira de cabra-cega, visando a exploração tátil nessa atividade.

 Dia 5: Hoje é sexta-feira e a professora fará brincadeiras livres com carrinhos, bolas, e bonecas, incentivando a todos participarem e passarem por todos os cantos. Antes de finalizar o dia,  a professora fará uma roda de conversa com os alunos perguntando sobre como foi a atividade, e se todos participaram de todas as propostas. A partir dessas informações é possível buscar um diálogo onde se faça perceber pontos positivos sobre quebrar estereótipos, buscando instigar as crianças compreensões sobre o quanto o preconceito, os padrões e estereótipos empobrecem suas vivências e limitam a vida, além de muitas vezes desfavorecer e diminuir o próximo.