Tarefa 6 – Curso EDH – Francisca Graciene Da Silva

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Francisca Graciene Da Silva

Função

DIRETOR DE ESCOLA

DRE / Unidade Educacional

São Miguel Paulista

Escola

CEU EMEI PROF APPARECIDO DOMINGUES

 Sou Diretora de uma EMEI na região de São Miguel Paulista, a partir da aula 02 – Raça e relações étnicos-raciais, branquitude e algumas questões étnico-raciais, começamos um diálogo com as professoras e professor da Unidade Escolar que estão fazendo o curso também, como poderíamos desenvolver o tema com os demais colegas e como desenvolver as atividades para nossas crianças, já que estamos trabalhando remotamente. Começamos as discussões e planejamento nas reuniões semanais pela plataforma Microsoft Teams para definir as atividades. Estamos utilizando a plataforma Facebook e Google sala de aula para apresentar todas as atividades propostas pela escola neste período de aulas on-line para nossas famílias. Postamos os vídeos no Facebook e toda a parte escrita das atividades com desenvolvimento e intencionalidade no Google Sala de Aula. A avaliação se dá através da interação das famílias com a escola, com depoimentos, fotos e vídeos das crianças fazendo as atividades e o que aprenderam com as mesmas. O retorno tem sido muito positivo.

Elaboramos 05 vídeos com atividades e um texto sobre a confecção da boneca Abayomi. Os vídeos podem ser assistidos no Facebook da escola – CEU EMEI PROFESSOR APPARECIDO DOMINGUES.

O tema proposto vem ao encontro do que já estávamos desenvolvendo na escola, pois está elencado no nosso PPP e nas nossas discussões do PEA, bem como no currículo da Cidade da Educação Infantil. Sabemos que o tema não se encerra com estas atividades, todo o conteúdo será revisitado no retorno as aulas presenciais, aprofundando cada vez mais as discussões e propostas para que possamos desconstruir preconceitos que são gerados dentro da própria escola, com falas e atitudes racistas, por parte das crianças e adultos. E que nossas crianças possam se reconhecer como sujeitos de direitos.

PLANO PARA A CONTINUIDADE DAS ATIVIDADES ESCOLARES

SEMANA DE 03/08/20 a 07/08/20

TEMA:  “CULTURA AFRO-BRASILEIRA: MINHA COR, MEUS ROSTOS, MINHA IDENTIDADE E HISTÓRIA…”

                      “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar.”
                                                                       (Nelson Mandela)

  

METAS: reconhecimento positivo das culturas negras e a possibilidade da escuta respeitosa de todos, visando também o assumir essa identidade, reconhecendo-se no seu cotidiano infantil, percebendo que as diferenças existem, mas que podem conviver, brincar, conhecer e respeitar a história de cada um numa relação harmoniosa;

 

OBJETIVOS: tornar a escola, apesar do distanciamento, atuante cada vez mais como meio de comunicação, reflexão, trocas de experiências, espaço de reconhecimento em suas identidades, compreendendo a diversidade étnica e racial do mundo como uma grandeza de experiências e possibilidades de uma construção mais justa para todos os povos, alcançando a faixa etária dos pequenos (de 03 a 05 anos) e suas famílias, fazendo uso da tecnologia lúdica, desenvolvendo uma educação antirracista no cotidiano escolar e social possibilitando uma sociedade mais inclusiva, transformadora, na qual todos possam se reconhecer, identificar com os seus pares sem medo de contar a sua história. Assim como ratifica o Currículo da Cidade – Educação Infantil: “(…) Identificar e superar as manifestações do racismo como preconceito racial e discriminação. Dessa maneira haverá, na escola uma nova relação entre os diferentes grupos étnicos-raciais que propicie efetiva mudança comportamental na busca de uma sociedade democrática e plural.”[1]

PROPOSTA 1

SEGUNDA-FEIRA – 03/08/2020

 SUGESTÃO DE ATIVIDADE: “INTRODUÇÃO: EDUCAÇÃO PARA UMA PERSPECTIVA  ANTIRRACISTA NA INFÂNCIA”

 RECURSO AUDIOVISUAL: vídeo com considerações importantes para uma educação antirracista elaborado pela professora Lígia;

JUSTIFICATIVA: priorizando uma educação para equidade, inclusiva e integral, precisamos ter compromisso com as populações que estiveram historicamente marginalizadas e seus direitos cerceados. A Educação para as Relações Étnico – Raciais está prevista e assegurada pelas leis vigentes do nosso país, e é parte das Políticas Públicas  do Currículo da Cidade de São Paulo. Com os infelizes acontecimentos recentes, que pudemos acompanhar pelos meios midiáticos, de manifestações explícitas e ultrajantes de racismo, vemos, cada vez mais, a necessidade de planejarmos nossas ações para uma educação antirracista, desde a primeira infância, como também já elucida o Currículo da Cidade de São Paulo- Educação Infantil: “Em detrimento da conjuntura recente, salientamos a necessidade de chamar a atenção dos educadores para a urgência de se desenvolver uma educação antirracista no cotidiano escolar, para evitar que as injúrias psicológicas e emocionais do racismo continuem a vitimar bebês, crianças e jovens oriundos de todos os grupos étnico – raciais e segmentos sociais”;

INTENCIONALIDADE: promover reflexão crítica, ampliando conhecimentos e valorização da cultura Afro-brasileira para uma educação antirracista que respeite as diferenças e para a construção de uma cultura de igualdade e de transformação social;

INSTRUÇÕES PARA A ATIVIDADE EM CASA: Que tal assistir a este vídeo, refletir e transformar algumas de nossas ações? Incentive a nossa criança a defender atitudes antirracistas e valorizar e respeitar as diferenças. Conte-nos suas experiências em casa sobre o tema.

PROPOSTA 2 

TERÇA-FEIRA – 04/08/2020

 SUGESTÃO DE ATIVIDADE: “BONECA ABAYOMI”

RECURSO AUDIOVISUAL: post com a explicação da origem da boneca Abayomi feito pela profa. Elaine Chagas e link do Canal “Professor que Conta” com a instrução para confecção da boneca;

JUSTIFICATIVA: a história da boneca Abayomi aproxima o universo da cultura africana e afro-brasileira das crianças, oferecendo de forma lúdica, o contato com esta cultura, bem como o reconhecimento das nações africanas na construção da identidade do povo brasileiro, que, embora se componha por diferentes matrizes (indígena, europeia e africana) ainda é  pautado  na perspectiva eurocêntrica na definição do perfil das bonecas comercializadas,  que integram o repertório de brinquedos e brincadeiras das crianças. Assim, a ausência de personagens e bonecas negras nessa etapa da infância, influencia no processo de identificação das crianças, bem como sua percepção de mundo, no qual a representação de pessoas negras não fazem parte de suas experiências e imaginário.  Desse modo, a confecção da boneca Abayomi, se configura como uma forma de reflexão sobre racismo, discriminação racial, e a pouca representatividade do negro na nossa sociedade;

INTENCIONALIDADE: proporcionar momentos de conhecimento e valorização da cultura africana, a partir da tradição da boneca Abayomi e seu significado;

INSTRUÇÕES PARA A ATIVIDADE EM CASA: Assista ao vídeo e com ajuda da família, use sua criatividade e confeccione a sua própria boneca Abayomi, com retalhos que tiver disponível. Se possível, compartilhe conosco sua criação através de fotos ou vídeos.

PROPOSTA 3

QUARTA-FEIRA – 05/08/2020

 SUGESTÃO DE ATIVIDADE: “BRINCADEIRAS AFRICANAS”

 RECURSO AUDIOVISUAL: vídeo produzido pelas professoras Erica Maria e Larissa com algumas brincadeiras e participação de crianças da EMEI;

 JUSTIFICATIVA: é preciso que seja desconstruída visões estereotipadas sobre africanos e afro-brasileiros e mostrar a importância deles na construção das sociedades contemporâneas. Para isso, é fundamental tratar do protagonismo desses grupos em diversos momentos da história, representando-os como seres humanos que criaram laços familiares, produtos culturais e que têm trajetórias próprias na história;

INTENCIONALIDADE: promover o reconhecimento, a valorização, o respeito e a interação das crianças com as histórias e as culturas africanas, afro-brasileiras, bem como o combate ao racismo e à discriminação, oportunizando-as a terem vivências significativas por meio de brincadeiras.

INSTRUÇÕES PARA A ATIVIDADE EM CASA: Após assistirem ao vídeo que tal brincar/ fazer estas brincadeiras com sua família e aprender um pouco mais sobre outras culturas? Divirtam-se e não se esqueçam de nos mandar fotos e vídeos.

PROPOSTA 4

QUINTA-FEIRA – 06/08/2020

 SUGESTÃO DE ATIVIDADE: “VESTIMENTAS: CULTURA, ESTILO E MODA AFRO”

RECURSO AUDIOVISUAL: vídeo sobre a atividade realizado pela professora Maria Angélica;

JUSTIFICATIVA: por meio desta atividade despertar o olhar das crianças para nossa sociedade através da moda Afro, e mostrar como é possível diferenciar os grupos sociais, nos quais o ser humano é capaz de expressar seus anseios e modo de pensar por meio de suas vestimentas e acessórios, construindo e fortalecendo assim sua própria identidade;

INTENCIONALIDADE: favorecer a compreensão das crianças em relação da vestimenta de um povo e levando ao entendimento das mudanças culturais e sociais que envolveram os diversos setores da sociedade, uma vez que a mesma permanece associada não apenas ao modo de se vestir, mas também à adoção de pensamentos e interesses que impactam no desenvolvimento de comportamentos tanto individuais quanto grupais;

INSTRUÇÕES PARA A ATIVIDADE EM CASA: Vamos assistir ao vídeo e criar as nossas vestimentas também?! Usem a criatividade e compartilhem conosco com fotos ou filmagens.

PROPOSTA 5

SEXTA-FEIRA – 07/08/2020

 SUGESTÃO DE ATIVIDADE: “HISTÓRIAS E INSPIRAÇÕES”

 RECURSO AUDIOVISUAL: produção de vídeo sobre a atividade realizado pelas professoras Alecy, Viviane e Marta com depoimentos de pessoas diversas;

JUSTIFICATIVA: romper com formas de preconceito racial no ambiente escolar, fomentar o exercício da alteridade e da diversidade entre educandos (as), professores (as) e funcionários (as) das escolas, promover uma reflexão sobre como as crianças e a juventude negra constroem a sua identidade dentro e fora do ambiente escolar pela percepção do corpo e do cabelo negro, para além dos padrões estéticos, isto é, como uma característica da identidade negra vinculada a um processo de desconstrução de estereótipos com o reconhecimento da identidade afro-brasileira para a valorização da diversidade étnico-racial são fatores importantes que devem ser priorizados desde a primeira infância. Experiências, histórias de superação e de exemplo fortalecem e nos inspiram para a efetivação desta prática. Segundo o Currículo da Cidade- Educação Infantil: “(…) a escola não é um espaço neutro. Ela pode operar em direção ao aprofundamento da discriminação, mantendo desvantagens e perpetuando preconceitos, ou impedir atitudes racistas, propondo estudos, discussões e práticas relativas a essa temática.”

 INTENCIONALIDADE: criar um espaço de diálogo, interação e reflexão entre a família e a escola para fortalecer e conectar experiências e ações para uma educação das relações étnico-Raciais, colaborando para uma efetiva valorização da diversidade e combate ao racismo, educando para o respeito à pessoa humana e à herança afro-brasileira;

INSTRUÇÕES PARA A ATIVIDADE EM CASA: Após o vídeo, converse com sua criança sobre diferenças, igualdade e respeito. Se possível compartilhe sua experiência sobre o tema, ou comente sobre como trabalha a diversidade com sua família.

[1] Currículo da Cidade Educação Infantil,  p. 44.  Prefeitura de São Paulo, 2019.