Tarefa 6 – Curso EDH – Fernanda do Carmo Santos

Data

5 de agosto de 2020

Cursista

Fernanda do Carmo Santos

Função

Professora de educação infantil e ensino fundamental

DRE / Unidade Educacional

São Mateus

Escola

EMEF Brasilio Machado Neto

Fernanda do Carmo Santos – [email protected]

Tarefa do curso: EDH – Desafios do contexto atual

Nome: Fernanda do Carmo Santos RF: 8095671

 Tema: Diversidade

Justificativa: Segundo o documento que norteia as atividades educativas no munícipio de São Paulo, o Currículo da cidade: “O reconhecimento positivo das culturas negras e a possibilidade da escuta respeitosa de todos permite vivenciar a interculturalidade necessária à formação da cidadania e da vida em comum, hoje e no futuro. A visibilização de histórias de vida de pessoas negras pode propiciar para as crianças, sejam elas negras ou não, o resgate da riquíssima história e cultura dos povos africanos e afro-brasileiros, repletas de inovações científico-tecnológicas, sociais, políticas, intelectuais, e a ajuda na reconstrução da imagem da participação digna e ativa dos negros em todas as dimensões da experiência humana.” Pág.46.

Ainda na página 46 do currículo da cidade há afirmação de que … “A escola não é um espaço neutro. Ela pode operar em direção ao aprofundamento da discriminação, mantendo desvantagens e perpetuando preconceitos, ou impedir atitudes racistas, propondo estudos, discussões e práticas relativas a essa temática. Um modo muito efetivo de enfrentar esse desafio na Educação Infantil é ofertar às crianças representações gráficas, literárias, científicas e artísticas que contemplem essa diversidade, para que encontrem nos textos lidos personagens que protagonizem diferentes histórias.”

Nesse sentido acredito que as histórias nos permitem trabalhar diversos universos com as crianças, universos esses que sem elas seriam complexos e de difícil entendimento. As histórias por meio do imaginário infantil levam as crianças a desenvolverem ideias, saberes e respeito por culturas diferentes à sua e até mesmo pode proporcionar representatividade para aqueles que venham a se identificar. Diante dos diversos acontecimentos atuais em nossa sociedade, envolvendo preconceito de étnico-racial julgo necessário dar visibilidade ao tema para que as famílias abordem desde a primeira infância o tema com as crianças e para que elas na medida em que se desenvolvem cresçam seguras de si e tenham orgulho de suas raízes.

Público alvo: Bebês, crianças e famílias atendidas no CEI que trabalho.

Finalidade: Com esse trabalho pretendo oferecer às crianças e famílias do CEI um trabalho que dê prioridade e estimule o respeito à diversidade, para que assim as famílias que muitas vezes em pesquisas realizadas pela nossa unidade, não se identificam como negras ou pardas, por vergonha ou falta de conhecimento sobre a própria história e/ou da cultura afro-brasileira. Com esse trabalho pretendo sensibilizar as famílias independentemente de suas raças para que se respeitem, se orgulhem, se sintam representados e consigam me ajudar a transmitir essa mensagem de respeito às crianças para que assim cresçam cidadãos mais empáticos e com espírito de coletividade, além de fortalecer a autoestima por meio da representatividade.

Objetivos: Oferecer conhecimento sobre a cultura africana; Promover a conscientização sobre a importância de respeitar o outro independentemente de qualquer situação; Fortalecer a autoestima por meio da representatividade; Apresentar e valorizar a cultura africana, destacando as suas influências na formação do povo brasileiro e promover o respeito à diversidade étnico-racial.

Duração: Dois bimestres, uma vivência por mês.

Atividades:

1º Encontro com as famílias e crianças:

Leitura do livro: Menina Bonita do Laço de Fita

AutoraAna Maria Machado

Editora: Ática

Promoção de uma oficina em que as famílias deverão desenhar a silhueta da criança e representá-la com riquezas de detalhes e como a percebem nessa silhueta. Exposição das silhuetas para que as crianças se sintam representadas e orgulhosas da produção feita junto com as famílias.

2º Encontro com as famílias e crianças:

Apreciação da contação do livro: As tranças de Bintou

Autora: Sylviane Anna Diouf

Roda de conversa com as famílias e as crianças sobre a história e em especial sobre se aceitar como é e valorizar suas características físicas.

3º Encontro com as famílias e crianças:

Oficina de confecção de bonecas Abayomi e conversa sobre sentimentos.

4º Encontro com as famílias e crianças:

Apreciação do vídeo: Kiriku e a Feiticeira

Roda de conversa sobre a união, respeito e sobre a cultura africana.

Avaliação: A avaliação será contínua e de observação durante as vivências para que eu possa saber se os objetivos estão sendo alcançados ou devo replanejar e realizar intervenções mais pontuais.