Tarefa 6 – Curso EDH – Erika Monteiro Spachi

Data

29 de junho de 2020

Cursista

Erika Monteiro Spachi

Função

Professora de educação infantil e fundamental 1

DRE / Unidade Educacional

Itaquera

Escola

Emei João Rubens Marcelo

Na EMEI em que trabalho temos alguns problemas com a questão racial, referente a cor da pele.

Por isso achei que seria importante trabalhar esta questão para que estimule o agir e pensar das crianças contra o racismo e o direito à cidadania e a vida de todas as pessoas.

Durante a educação infantil as crianças já começam a conhecer seu corpo, as diferenças e semelhanças entre os colegas do grupo, escolhem com quem brincar e se relacionar na escola, tem suas preferências por brinquedos, e, no entanto é fundamental que o educador trabalhe em sala de aula questões sobre diferença e em especial as relacionadas ao pertencimento racial, não só com as crianças, mas com as famílias e comunidade. (CEERT,2011).

No Currículo da Cidade da Educação Infantil do Município de São Paulo existe um capítulo que fala da Educação para as relações étnico-raciais, que diz: […] identificar e superar as manifestações do racismo como o preconceito racial e a discriminação racial. Dessa maneira haverá, na escola, uma nova relação entre os diferentes grupos étnico-raciais, que propicie efetiva mudança comportamental na busca de uma sociedade democrática e plural. (BRASIL, 2013, p.11).

É de extrema importância iniciar as discussões que tem por temática as questões étnico-raciais na escola, logo no início (educação infantil), é nesse ambiente que são construídos socialmente valores de relevância para a formação do cidadão.

Essa sequência de atividades que é apresentada tem como objetivos principais: estimular o respeito a diversidade étnico-racial, despertar a consciência crítica e o respeito, assimilar o auto conhecimento e contribuir para auto estima.

Começarei a sequência de atividades colocando a disposição das crianças vários lápis de cor e questionar a elas qual daqueles lápis tem a cor de pele.

Por experiência, muitas crianças vão apontar a cor salmão.

Depois que elas mostrarem qual a cor que elas acham que é a cor de pele, leremos a história “A cor de Coraline”, que trata sobre o lápis cor de “pele”.

Essa história traz o tema da diversidade de maneira lúdica para as crianças, e instiga importantes questionamentos, tais como: identidade, representatividade e empatia.

Após a leitura, faremos uma roda de conversa sobre a história, olhando para nossos amigos e percebendo as cores das peles de cada um. Logo em seguida as crianças receberão um espelho para poderem observar a sua própria cor e para finalizar mostrar a eles uma caixa de lápis de cor/ giz com os tons da pele.

Assim cada um pode fazer seu auto retrato e também de um amigo a sua escolha, utilizando materiais diversos.

Para concluir nossas atividades, organizaremos uma exposição com os desenhos.

 

 

Lápis de cores coloridos

Lápis de cor salmão

Livro : "A cor de Coraline"

Giz de cera lançado com as cores da pele

Lápis de cor lançado com as cores da pele