Tarefa 6 – Curso EDH – Edineide de Alneida Batista

Data

9 de junho de 2020

Cursista

Edineide de Alneida Batista

Função

Professora de Educacao Infantil e fund I

DRE / Unidade Educacional

Pirituba / Jaraguá

Escola

Emei jean piaget

Sequência didática

Trabalhando Comunicação com Crianças com Autismo

Idade: 04 e 05 anos

Em um primeiro momento será feita a observação da crianças para percebermos as suas preferências, suas escolhas, seus gestos etc.

Em um segundo momento, após identificar que a criança ainda não verbaliza, apenas reproduz ecolalia como : “-Dááááááááááá”, será confeccionado plaquinhas com figuras onde transmite mensagens com o objetivo de gerar comunicação.

Nessas placas estarão informações que informam que a criança possa estar com sede, com fome, que queira utilizar o banheiro e/ou a privada, escovar os dentes.

Em um terceiro momento, após a confecção das placas, o professor sentará por minutos com a criança e mostrará o material repetindo a mensagem que a mesma transmite, por exemplo: “-X tudo bem? olha o que a prô trouxe pra você (nesse momento deixa a criança manusear o material) e começará a falar, “-Olha essa criança, o que ela está fazendo? você sabe? (como a criança ainda não verbaliza a professora responderá), “_ ela está bebendo água! X gosta de beber água, vamos repetir a palavra água ( e repete pausadamente á-gua).

No quarto momento, dando continuidade á conversa a professora apresentará o local onde as placas ficarão guardadas e fará um combinado com a criança que sempre que precisará de algo para pegar a placa e levá-la até a professora.

A criança será estimulada e contará com o apoio para realizar tal atividade, nesse processo será observado o desenvolvimento do mesmo, seus avanços, suas regressões, e se a partir dessas observações será decidido se aumentam as placas, se insere placas novas etc.

 

Essa sequência didática com crianças com autismo foi escolhida, pelo fato de ter na Unidade de Ensino termos em nosso público três (03) crianças diagnosticada com essa deficiência e uma delas faz parte da turma do 5º (quinto) ano, turma a qual leciono. Essas crianças têm os seus direitos garantidos e respeitados, sendo tratados por todos da U E com muito respeito, muito estudo para nos darem base teórica e suporte para melhor atende-los em nosso cotidiano, realizando planejamentos, sequencias didáticas, atividades em que eles possam participar de forma ativa e como protagonista.

Nem sempre foi assim na UE, os primeiros casos de deficiências assustaram a equipe e nos mostraram que precisávamos de formação para melhor atender as crianças, colocamos esse como tema em nosso PEA, buscamos formação fora da escola e estamos evoluindo pouco a pouco.