Tarefa 6 – Curso EDH – Débora Miriam Bezerra de Andrade

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Débora Miriam Bezerra de Andrade

Função

Professora de Educacao Infantil

DRE / Unidade Educacional

Capela do Socorro

Escola

CEU CEI Navegantes

                                                                  Construção da identidade e o respeito pelo outro

1- INTRODUÇÃO

O sujeito livre nunca é sozinho, ele existe na relação com o outro. Nessa relação, o sujeito se reconhece como tal, articulando com o outro as dimensões de igualdade e diferença. Para se constituir como pessoa, precisa olhar para outro e para si. O olhar do outro afirma sua existência.

A igualdade, acompanhada da tarefa de “agir para com os outros em espírito de fraternidade”, explicita a necessária responsabilidade solidária entre todos. Assim, compreende-se aqui que fraternidade remete à ideia de solidariedade.

Solidariedade não é o mesmo que caridade ou pena. Refere-se ao reconhecimento da igualdade do outro, em direito e dignidade, e da responsabilidade que se tem para com ele.

Nas palavras de Boaventura de Souza Santos: “Temos o direito de ser iguais quando a nossa diferença nos inferioriza; e temos o direito de ser diferentes quando a nossa igualdade nos descaracteriza. Daí a necessidade de uma igualdade que reconheça as diferenças e de uma diferença que não produza, alimente ou reproduza as desigualdades”. (Respeitar é preciso, livro Sujeito de direito).

 

2- JUSTIFICATIVA

A faixa etária das crianças que frequentam o CEI é de 0 a 4 anos, estão em processo de formação e construção de sua identidade, envolvendo a memória, a fala, pensamentos, os valores e os sentimentos que ocorrerá com a interação com o outro. Nesta percepção foram elaboradas propostas para valorizar a criança na sua individualidade e nas relações com o outro, envolver as famílias no ambiente escolar e nas propostas a serem desenvolvidas. Estimular as crianças desde a infância a praticar o respeito pelos outros.

 

3- OBJETIVOS

·      Contribuir para que a criança construa sua própria identidade.

·      Estimular as crianças desde a infância a praticar o respeito pelos outros.

·      Reconhecer valores como: amor, igualdade, ética, cidadania, solidariedade e respeito.

 

 4- SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS

Roda de conversa com temas referente a si mesmo, ao outro e o respeito mútuo.

Leitura da literatura infantil:

·      Quem gosta de ser diferente

·      O cabelo de Lelê

·      Menina bonita do laço de fita

·      Se criança governasse o mundo (Autor Marcelo Xavier)

·      Cada um no seu lugar – Denise Rochael

Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=LOyMpyM5tRE

A criança levará um livro para casa, que deverá fazer a leitura em família, o registro deve ser em foto, vídeo ou desenho.

Exposição de fotografia e vídeos das crianças.

Observação e descrição utilizando espelho.

Dia da beleza utilizando vários acessórios como fantasias, panos, maquiagem… Encerrando com desfile das crianças.

Toques sutis, as crianças massageando umas as outras.

Observar a natureza, os bichinhos que estão ao nosso redor, valorizando a vida.

Roda de conversa e exposições com a presença das famílias.

 

5- DESENVOLVIMENTO

A sequência didática será desenvolvida no período de um bimestre.

·   A roda de conversa deve ser diária, em alguns momentos com a participação das famílias com temas que permeiam o respeito.

O respeito é um assunto que deve estar sempre presente na educação das crianças. É algo essencial para uma convivência social saudável e pacífica. E a melhor maneira de passar valores para os pequenos, é pelo bom exemplo.

Precisamos conversar sempre sobre o respeito ao próximo, às pessoas mais velhas, aos amigos e colegas da escola, respeito às pessoas que conhecemos e aquelas que não conhecemos também; respeito aos pais, aos familiares e aos professores.

Precisamos falar de coisas que vão além dos nossos costumes familiares: conversar sobre o amor ao próximo e o respeito às diferenças, pois é necessário convivermos de forma pacífica, respeitando as diferentes culturas, estilos de vida e as maneiras de ver o mundo.

É necessário falar sobre respeitar o espaço do outro pensando no bem estar coletivo e não apenas pensando naquilo que queremos.

Precisamos falar sobre respeito aos animais, não apenas falar sobre os cuidados básicos, tais como alimentação, segurança e saúde, mas também sobre carinho e amor, pois assim como nós, os animais também necessitam de carinho.

Falar sobre o respeito ao nosso planeta também é primordial. É necessário refletir sobre nossas escolhas com relação ao futuro, pensando em atitudes sustentáveis como economizar água e energia, plantar uma semente ou cuidar de uma plantinha, separar o lixo, reciclar e muitas outras possibilidades para que tenhamos um mundo melhor.

Ouvir o outro, agradecer, concordar e até mesmo discordar de maneira respeitosa é crucial para termos um mundo mais feliz, solidário e cheio de amor.

·   Contação de história utilizando os títulos selecionados, abordando os temas referente a raça, cultura negra, respeitar as diferenças, direito das crianças e boas atitudes.

·   Representação da história menina bonita do laço de fita.

·   A criança levará o livro para a casa, deverá fazer a leitura em família e ao devolver o educador realiza a socialização na roda de leitura.

·   Apreciação dos vídeos e fotografias das propostas realizadas.

·   Brincadeira com espelho, a criança pode se observar, fazer imitações, gestos e expressões.

·   O dia da beleza, usando a criatividade a criança explora os materiais disponíveis para se arrumar e enfeitar, interagindo com os colegas, em um desfile descontraído mostrar o quanto estão bonitas e diferentes. Para essa proposta a família poderá contribuir com acessórios que tem em casa como: presilhas, laços, chapéus, tecidos,

esmaltes, gel de cabelo…

·   Toques sutis é um momento de relaxamento, a criança escolhe seu par, deita no colchonete para ser massageada por seu amiguinho, com toques suaves, nos dedos, braços, cabeça, rosto… Envolvidos em um ambiente calmo e ao som de uma música suave.

·   Nossa unidade escolar está próxima da represa Billings, em um ambiente que possui vegetações ao redor, isso proporciona a apreciação de vários bichinhos, lagartas, borboletas, joaninhas, besouros… Devemos incentivar as crianças a observar e preservar a natureza.

·   Em uma roda de conversa, com a participação da família, apreciar dos registros realizados em vídeos e fotografias, onde poderão expor suas experiências e observações das propostas realizadas com as crianças e famílias.

Referência bibliográfica:

São Paulo (SP). Secretaria municipal da Educação. Coordenadoria Pedagógica. Currículo da Cidade: Educação Infantil. São Paulo: SME/COPED, 2019.

Respeitar é preciso, livro Sujeito de Direito. Educação em Direitos Humanos. São Paulo, julho de 2019, 3ª edição