Tarefa 6 – Curso EDH – Cleide Santos Ribeiro

Data

5 de agosto de 2020

Cursista

Cleide Santos Ribeiro

Função

Professora Fund I

DRE / Unidade Educacional

Campo Limpo

Escola

CEU Mário Fittipaldi

Dinâmica de grupo com a comunidade escolar, visando o cotidiano da pessoa com deficiência visual

A proposta é organizar uma atividade onde jovens e adultos da comunidade escolar possa vivenciar e refletir sobre a deficiência visual., afim de auxiliar no planejamento de brincadeiras e atividades, fazendo a inclusão da pessoa com deficiência, suas limitações, dificuldades, e principalmente onde podemos contribuir para melhorar esses fatores.

Participarão alunos do ensino fundamental I, turmas dos 4ºs e 5ºs anos, professores regentes de sala, professores especialistas, funcionários de apoio ATEs, AVEs, limpeza e gestão serão envolvidos na atividade.

Desejamos que todos os envolvidos vivenciem a realidade, os prazeres, as frustrações,  as habilidades desenvolvidas, as dificuldades e desafios diários da pessoa com deficiência visual.  A locomoção e acesso à lugares internos e externos da unidade escolar (no futuro podemos expandir para o bairro no qual a escola está inserida).

Com essa dinâmica teremos os objetivos de que os envolvidos reflitam  e criem mecanismos a colaborar com a qualidade de vida, o convívio com o “diferente” dentro na unidade escolar e também na sociedade em que está inserido. Reavaliar e utilizar o poder de crítica junto a nossa escola, nosso bairro, nossa cidade, perante a todos que possam de alguma forma contribuir positivamente para o melhor convívio entre todos, e principalmente, entender que todos somos iguais e que temos direitos e deveres a serem compartilhados de maneira justa e honesta.

Essa atividade poderá ser trabalhada em um bimestre, onde durante as aulas iniciais iremos apresentar tema, objetivo, finalidade e avaliação que serão desenvolvidos.

ATIVIDADE: Seus olhos, são meus olhos!!! 

Objetivo :

Desenvolver conscientização sobre a inclusão da pessoa com deficiência visual na convivência da unidade escolar (atividades, locomoção, acessibilidade, etc);

 

Material a ser utilizado :  

Tecidos para serem utilizados como vendas nos olhos  dos envolvidos na dinâmica;

 

Estratégia :

Os participantes serão separados em duplas (preferencialmente um adulto e um jovem);
Um dos participantes será vendado e passará a ser conduzido totalmente pelo parceiro, o chamado GUIA (iniciaremos em sala de aula e iremos ampliando o espaço físico por toda a unidade escolar e suas dependências);
A experiência será alternada entre a dupla ao comando do regente da atividade (essa substituição de condução poderá ser feita, caso queira,  após um dia de atividade, afim de termos uma vivência bem explorada e aproveitada por cada um dos membros);
Quem estiver vendado deverá seguir todas as orientações do condutor, portanto a “confiança”  precisará ser bem trabalhada;
Quem estiver conduzindo (Guia) terá total responsabilidade em observar precisamente detalhes do espaço físico, acessibilidade, obstáculos, situações de perigo, e de maneira clara, voz calma, e segurança conduzir seu parceiro de atividade;

 

Avaliação :

A avaliação se dará ao final de cada aula onde faremos rodas de conversas, debates entre todos os envolvidos sobre seus sentimentos e sensações durante a realização da dinâmica;  Iremos estimular um debate de como podemos contribuir e colocar em prática a  inclusão da pessoa com deficiência  em nossa escola, bairro, enfim, em nossa sociedade de maneira justa, honesta e igualitária.