Tarefa 6 – Curso EDH – CLAUDIA MARIA APPUGLIESE GIROTTO

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

CLAUDIA MARIA APPUGLIESE GIROTTO

Função

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL

DRE / Unidade Educacional

Ipiranga

Escola

CEU CEI PARQUE BRISTOL

EDH – EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS – DESAFIOS DO CONTEXTO ATUAL

 

Projeto de Educação em Direitos Humanos

do Instituto Vladimir Herzog

Respeitar é preciso

 

O curso trouxe muitas questões relevantes acerca do tema “respeitar”. O respeitar envolve também o reconhecer as diferenças e a aceitação do ouro tal como ele é e isso se dá desde o nascimento e por toda a vida em todos os ambientes: família, escola e sociedade em geral.

O ambiente escolar é um local que pode ser muito acolhedor, mas também pode ser sentido pela criança como hostil e ameaçador. E ela, pode ser alvo ou o sujeito provocador disso.

Desde muito cedo podemos fazer um trabalho com as crianças que as leve a se reconhecerem como sujeitos únicos e especiais e a enxergarem o outro como tal.

Como professora de Educação Infantil no CEU CEI PARQUE BRISTOL, elaborei atividades para a faixa etária de 3-4 anos com o tema Diversidade para um período de dois meses ou mais.

Por meio de músicas, rodas de conversas e livros, vou trabalhar temas como preconceito, discriminação e as diversidades étnicas e culturais.

Atividades:

– Uma das atividades será trabalhar com as crianças o livro “Ninguém é Igual a Ninguém” de Regina Otero e Regina Rennó da Editora do Brasil e o material:

file:///C:/Users/Rafael/Desktop/ESCOLA/TUDO%20BEM%20SER%20DIFERENTE.pdf

– Vamos trabalhar a música: Ninguém é Igual a Ninguém de Milton Karam – YouTube – Tagarelando com Maysa

https://youtu.be/RRzU9WKFNjk

– Vamos confeccionar juntos, em sala, um boneco e as características desse boneco serão definidas com as crianças: sexo, idade, altura, nome e/ou apelido, cor da pele, traços, cor do cabelo e também a personalidade. Esse boneco estará sempre conosco nas atividades e aos finais de semana, irá para a casa de uma criança. Essa é uma forma de envolver a família na abordagem do assunto. No retorno, conversamos sobre como foi o fim de semana com nosso boneco.

A avaliação se dá pela observação das crianças nas atividades, pelos seus comentários, seus olhares e pela forma como interagem com a professora e com os colegas. Por meio dessa avaliação, será possível redirecionar o trabalho.