Tarefa 6 – Curso EDH – BIANCA DE MENESES PEREIRA

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

BIANCA DE MENESES PEREIRA

Função

ATE inspetoria

DRE / Unidade Educacional

Penha

Escola

Emei Ibiapaba Martins

Curso Educação em Direitos Humanos – Desafios do contexto atual.

1 – Tema:

Todos são bem vindos na escola.

2 – Justificativa:

Trabalhar o acolhimento aos novos alunos imigrantes e refugiados, apresentação de diferentes culturas e mediação para resolver situações de conflitos entre toda a comunidade escolar.

3 – A quem o trabalho se destina:

Toda comunidade escolar. Professores, gestores, quadro de apoio, alunos e responsáveis pelos alunos.

4 – Finalidade:

Existe um número enorme de imigrantes e refugiados no Brasil.

Os imigrantes saem do seu país de origem para morar em outro país, em busca de trabalho, lugar para morar, entre outros motivos.

Já os refugiados passam por uma situação de migração forçada muitas vezes para garantir a sobrevivência da pessoa.

As escolas de São Paulo recebem um número grande de alunos imigrantes e refugiados, a cada ano esse número aumenta.

Quando a escola recebe esses alunos nem sempre acontece de forma tranquila, muitas vezes há preconceito e diante disso, há necessidade de se fazer um trabalho formativo e de sensibilização com os educadores e a comunidade escolar, para que todos estejam preparados para atender esse público de imigrantes e refugiados.

Pensando nessa problemática surge esse projeto.

5 – Objetivo:

Esse projeto visa a conscientização das pessoas para a importância do acolhimento e reconhecimento dos direitos e garantias dos imigrantes e refugiados.

Sensibilizar e chamar a atenção da comunidade escolar, com intuito de quebra de preconceitos. Mostrar que essas pessoas possuem direitos reconhecidos por lei.

Devendo serem respeitadas por todos, dentro e fora da escola.

6 – Duração

Organizar os encontros durante dois meses, pensei em quatro encontros, sendo dois internos com professores, gestão e funcionários e outros dois abertos aos pais para apresentação do trabalho, visando sempre a conscientização da importância de respeitar os imigrantes e refugiados.

A cada encontro apresentar uma parte do trabalho.

No primeiro encontro (interno) será iniciado com uma palestra a respeito da importância de respeitar essas pessoas e será abordado os direitos dos imigrantes e refugiados, após a palestra, finalizando com uma reflexão aberta para um bate papo, com objetivo de expor situações que estão presentes no nosso dia a dia escolar.

No segundo encontro pesquisar e discutir assuntos ligados a cultura, costumes, comidas típicas, vestimenta e religião de cada país, África e Bolívia. A minha escola recebe alunos vindos da África do Sul e Bolívia.

Após essa pesquisa haverá um planejamento para a exposição desse trabalho, com oficinas de culinária típica de cada país (dos alunos da escola, nesse caso, África do Sul e Bolívia), roupas e acessórios, religião e costumes.

No terceiro encontro (aberto) abordariam a parte dos direitos dessas pessoas de forma simples para que todos entendam que os imigrantes e refugiados têm seus direitos e garantias. A importância do respeito a eles. Essa parte poderá ser feita através de palestra breve e vídeo (link anexo).

No quarto e último encontro (aberto) será a apresentação aos pais e alunos o trabalho expositivo, nesse momento serão apresentados algum tipo de alimento típico do país, de preferência com degustação, se possível. Demonstração através de fotos das roupas e acessórios e também algo ligado a religião.

Sempre após cada encontro será feito um momento de reflexão e troca de ideias entre todos da comunidade escolar.

7 – Avaliação:

Essas ações de conhecer mais sobre a cultura, direitos e garantias dos imigrantes e refugiados, ajudam na integração e acolhimento dessas pessoas por parte da comunidade escolar.

A mudança na concepção das pessoas em relação a esses estrangeiros, com a valorização dos direitos humanos.

A quebra de preconceitos aumenta por conhecermos mais sobre a origem e necessidade de cada pessoa que se refugia ou imigra num país estrangeiro.

Com a troca de ideias no final dos encontros podendo compartilhar suas historias, aflições, momentos bons e ruins.

Estreitar as relações, fazer amizades.

Respeitar as escolhas e necessidades desses povos.

Respeitar os direitos que são garantidos a eles.

Mudar a visão que muitos ainda tinham em relação ao imigrante e refugiado, dentro e fora da escola.

 

Bianca de Meneses Pereira