Tarefa 6 – Curso EDH – Andrea Rodrigues Meirelles da Silva

Data

28 de julho de 2020

Cursista

Andrea Rodrigues Meirelles da Silva

Função

Prof. Ed. Inf. e Ens. Fund I

DRE / Unidade Educacional

Penha

Escola

Emef Assad Abdala

Minha tarefa consiste em um relato de um projeto que realizei em 2018 com alunos e alunas do 5º ano da EMEF Assad Abdala, localizada na Zona Leste de São Paulo, Unidade Educacional da qual sou professora de Ensino Fundamental I.

Nosso projeto surgiu da necessidade de um debate e intervenção que tratasse do racismo estrutural presente na sociedade pois estávamos enfrentando problemas de ofensas à uma aluna por conta de sua cor de pele e de seu cabelo.

Começamos essa discussão e intervenção com as dinâmicas de Assembléias Escolares, presente em nossa unidade como uma atividade permanente, cujas ações que causam conflitos são expostos e discutidos pelos alunos e alunas, sem identificação dos envolvidos e o grupo chega a possíveis intervenções para solucionarmos os problemas apresentados.

Visto a necessidade de discutirmos o racismo, propus aos alunos e alunas algumas leituras referentes ao tema para que pudéssemos discutir o assunto com embasamento e repertório.

Esses livros foram disponibilizados em sistema de empréstimo e também fazíamos a leitura em grupo em sala de aula 2 vezes por semana.

Esse processo durou cerca de um mês e iniciamos as Assembléias Escolares, assim como havíamos planejado.

Quando começamos as discussões, vieram outras inquietações à tona que nos direcionaram à outros temas dos quais precisavam ser discutidos como preconceito migratório, discriminação por gênero, machismo, discriminação por classe social.

Então trouxe textos da Coleção Respeitar é Preciso cujos cadernos estavam disponíveis na Sala de Leitura da escola e fizemos rodas de leitura e conversas.

Alguns assuntos e temas foram bem debatidos, mas sentia que era tratado de forma fria e teórica. Não houve um envolvimento sentimental e verdadeiro do grupo. Por fim, as discussões foram esfriando e não houve uma progressão e as “brincadeiras” continuavam com a mesma intensidade.

Foi então que uma aluna sugeriu que trabalhássemos uma música da MC Sophia, chamada Menina Pretinha, que abordava o empoderamento das meninas negras e assim poderíamos mostrar a nossa colega sua importância como menina negra e fazer com que ela reagisse ao racismo que vinha sofrendo.

Disse que ia ouvir a música e pensar como poderímaos trabalhar em sala de aula.

Fui ouvir a música e pesquisar o repertório da MC Sophia e vi que ela tinha outras músicas que trabalhavam o empoderamento das meninas negras.

E então comecei a pensar como poderíamos trabalhar essas músicas, trazendo essa temática para os alunos e alunas de uma forma que eles trouxessem à tona o que estava acontecendo e trouxessem também suas experiências pessoais a cerca do racismo presente na nossa sociedade.

Comecei então a pesquisar alguns livros e textos sobre o assunto, entre eles:

Amora – Emicida

Diversidade e Discriminação – Coleção Respeitar é Preciso

Respeito e Humilhação – Coleção Respeitar é Preciso

Mediação de Conflitos – Coleção Respeitar é Preciso

O mundo no Black Power de Tayó – Kiusam de Oliveira

Princesas Negras – Ariane Celestino e Edileuza Penha

 

E então, através da experiência do livro Amora do rapper Emicida, em que ele transformou uma de suas músicas nesse livro para homenagear a sua filha, pensei em criar um projeto onde os alunos e alunas transformariam as músicas da MC Sophia em livros de histórias.

Apresentei a proposta à eles e de pronto eles adoraram a ideia de serem escritores e enfrentar o desafio de transformar uma música em um livro. E assim fizemos.

A seguir apresento o processo de criação e realização do projeto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROJETO: Ouvindo música eu faço História.

TEMAS

  • Empoderamento das meninas negras
  • Racismo
  • Migração
  • Trabalho Infantil
  • Gênero e Sexualidade
  • Machismo

 

(ESSES TEMAS SURGIRAM QUANDO FIZEMOS A LEITURA DE ALGUNS TEXTOS DO CADERNO RESPEITO E HUMILHAÇÃO, DIVERSIDADE E DISCRIMINAÇÃO E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS,  DA COLEÇÃO RESPEITAR É PRECISO, PARA  REPERTORIAR NOSSAS ASSEMBLÉIAS ESCOLARES E DISCUTIRMOS OS DESENTENDIMENTOS E ACÕES QUE VINHAM ACONTECENDO E PODERMOS PROPOR SOLUÇÕES PARA ESSES PROBLEMAS).

 

JUSTIFICATIVA

Esse projeto foi constituído perante a necessidade de se debater temas pertinentes ao dia a dia dos alunos e alunas que vinham causando desentendimentos e constrangimentos.

Esses temas permeavam situações de racismo, humilhação, desigualdade social, discriminação e machismo.

Através do interesse de uma aluna por uma música da MC Sophia, intitulada Menina Pretinha, vimos a possibilidade de trabalharmos os temas propostos a partir de um recurso de interesse dos alunos.

Ao pesquisarmos textos e livros que falavam sobre o assunto nos deparamos com o livro Amora do rapper Emicida, que foi escrito através de uma música dele em homenagem a sua filha.

Então, surgiu o Projeto: Ouvindo Música eu faço História, que transformou 5 músicas com temáticas sobre Racismo, Trabalho Infantil, Empoderamento Feminino, Discriminação de Gênero e Migração, em livros de histórias que trouxeram os medos e conflitos reais que os alunos e alunas vivenciam na escola e na sociedade.

 

 

 

PÚBLICO-ALVO: Alunos e alunas do 5º ano (10 a 12 anos)

 

FINALIDADE:

Minha intenção com esse trabalho é de promover discussões que desconstruam o racismo estrutural, o machismo, a discriminação por gênero, a desigualdade social enraizada em nossa sociedade que sustentam as relações de poder.

Nossos adolescentes constroem sua identidade pautadas nessas estruturas sociais carregadas de preconceito e discriminação. Precisamos promover ações na escola que desconstruam essas estruturas e façam com que nossos adolescentes protagonizem ações de respeito e reconhecimento social.

 

OBJETIVOS:

Temos como objetivo trazer as experiências dos alunos e alunas acerca dos temas propostos e fazê-los refletir sobre essas discussões.

Pretendemos descontruir as relações de dominação existentes na sociedade acerca do racismo, machismo, discriminação e preconceito, fazendo com que nossos alunos e alunas construam sua identidade de sujeito de direitos pautadas em ações que protagonizem a igualdade e respeito ao próximo.

Nosso maior objetivo é tornar a escola um espaço de respeito às diferenças e valorização do protagonismo juvenil, fazendo com que nossos alunos e alunas produzam conhecimento que os levem à construção de uma sociedade mais justa e humana.

 

DURAÇÃO: 2 meses

 

DESENVOLVIMENTO:

 

 ETAPA 1: Roda de Leitura e Conversa

DURAÇÃO: 3 AULAS

Faremos a leitura dos textos da coleção Respeitar é Preciso e discutiremos os temas pertinentes ao nosso projeto.

 

TEXTO 1:

CONFLITO, VIOLÊNCIAS E ESCOLA(PÁGINA 23)

CADERNO MEDIAÇÃO DE CONFLITOS – COLEÇÃO RESPEITAR É PRECISO

 

TEXTO 2:

HUMILHAÇÃO E AUTORITARISMO, HUMILHAÇÃO E AÇÕES EDUCATIVAS (PÁGINA 14)

CADERNO RESPEITO E HUMILHAÇÃO – COLEÇÃO RESPEITAR É PRECISO

 

TEXTO 3:

EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS E DISCRIMINAÇÃO NA ESCOLA (PÁGINA 16)

CADERNO DIVERSIDADE E DISCRIMINAÇÃO – COLEÇÃO RESPEITAR É PRECISO

 

ETAPA 2:

DURAÇÃO: 2 aulas

Escolha das músicas que farão parte do nosso projeto.

Divisão dos grupos e escolha de cada tema.

 

TEMA: EMPODERAMENTO DAS MENINAS NEGRAS

Menina Pretinha  –  MC Soffia

Menina pretinha
Exótica não é linda
Você não é bonitinha
Você é uma rainha

Menina pretinha
Exótica não é linda
Você não é bonitinha
Você é uma rainha

Devolva minhas bonecas
Quero brincar com elas
Minhas bonecas pretas
O que fizeram com elas?

Vou me divertir enquanto sou pequena
Barbie é legal, mas eu prefiro a Makena africana
Como história de griô, sou negra
E tenho orgulho da minha cor

Africana
Como história de griô
Sou negra
E tenho orgulho da minha cor

Menina pretinha
Exótica não é linda
Você não é bonitinha
Você é uma rainha

O meu cabelo é chapado, sem precisar de chapinha
Canto rap por amor, essa é minha linha
Sou criança, sou negra, também sou resistência
Racismo aqui não, se não gostou, paciência

Cabelo é chapado, sem precisar de chapinha
Canto rap por amor,…

 

TEMA: IGUALDADE DE GÊNERO

Brincadeira de Menina – MC Soffia

Dizem que menina não empina pipa no sol

Quem criou a regra que ela não joga futebol?

Que negócio é esse, brincadeira de menina?

As minas fazem tudo, até mandar umas rimas

De menino, de menina… ah, vamos brincar!

Somos crianças, temos que aproveitar

 

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom pra guardar no coração

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom pra guardar no coração

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom pra guardar no coração

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom

 

Esconde-esconde, peteca, bolinha de gude e pega-pega

Menino e menina podem brincar de boneca

Hey, hey, hey, ho, ho, ho

Olha lá, a menininha fazendo um monte de gol

Quanta brincadeira, quem diria, sem preocupação

O negócio é alegria e diversão

Vamos aproveitar esse lindo momento

Depois que você cresce, não volta mais o tempo, é

Ser criança é muito bom!

 

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom pra guardar no coração

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom pra guardar no coração

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom pra guardar no coração

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom

 

TEMA: MIGRAÇÃO

Aos Olhos de Uma Criança (O Menino e o Mundo) – Emicida

Menino, mundo, mundo, menino

Menino, mundo, mundo, menino

Menino, mundo, mundo, menino

Menino, mundo, mundo, menino

 

Selva de pedra, menino microscópico

O peito gela onde o bem é utópico

É o novo tópico, meu bem

A vida nos trópicos

Não tá fácil pra ninguém

 

É o mundo nas costas e a dor nas custas

Trilhas opostas, la plata ofusca

Fumaça, buzinas e a busca

Faíscas na fogueira bem de rua, chamusca

 

Sono tipo slow blow, onde vou, vou

Leio vou, vô, e até esqueço quem sou, sou

Calçada, barracos e o bonde

A voz ecoa sós mas ninguém responde

 

Miséria soa como pilhéria

Pra quem tem a barriga cheia, piada séria

Fadiga pra nóis, pra eles férias

Morre a esperança

E tudo isso aos olhos de uma criança

 

Gente, carro, vento, arma, roupa, poste

Aos olhos de uma criança

 

Quente, barro, tempo, carma, roupa, nóis

Aos olhos de uma criança

 

Mente, sarro, alento, calma, moça, sorte

Aos olhos de uma criança

 

Sente o pigarro, atento, alma, louça, morte

Aos olhos de uma criança

 

Airgela adiv aigrene açrof

Roma zap edadrebil zov edatnov

 

É café, algodão, é teto, vendo o chão é certo

É direção afeta, é solidão, é nada (é nada)

 

É certo, é coração, é causa, é danação, é sonho, é ilusão

É mão na contra mão, é mancada

 

É jeito, é o caminho, é nóis, é eu sozinho

É feito, é desalinho, perfeito carinho, é cilada

 

É fome, é fé, é os home, é medo

É fúria, é ser da noite, é segredo, é choro de boca calada

 

Saudades de pá, pai, quanto tempo faz, a esmo

Não é que esse mundo é grande mesmo

A melodia dela, no coração, tema

Não perdi seu retrato

Tipo Adoniran em Iracema

 

São lágrimas no escuro e solidão

Quando o vazio é mais do que devia ser

Lembro da minha mão na sua mão

E os olhos enchem de água sem querer

Aos olhos de uma criança

 

Gente, carro, vento, arma, roupa, poste

Aos olhos de uma criança

 

Quente, barro, tempo, carma, roupa, nóis

Aos olhos de uma criança

 

Mente, sarro, alento, calma, moça, sorte

Aos olhos de uma criança

 

Sente o pigarro, atento, alma, louça, morte

Aos olhos de uma criança

 

Airgela adiv aigrene açrof

Roma zap edadrebil zov edatnov

 

Menino, mundo, mundo, menino

Menino, mundo, mundo, menino

Menino, mundo, mundo, menino

Menino, mundo, mundo, menino

 

TEMA: TRABALHO INFANTIL

Miséria S.A. – O Rappa

Senhoras e senhores estamos aqui

Pedindo uma ajuda por necessidade

Pois tenho irmão doente em casa

Qualquer trocadinho é bem recebido

Vou agradecendo antes de mais nada

Aqueles que não puderem contribuir

Deixamos também o nosso muito obrigado

Pela boa vontade e atenção dispensada

Vou agradecendo antes de mais nada

 

Bom dia passageiros

É o que lhes deseja

A miséria S.A

Que acabou de chegar

 

Bom dia passageiros

É o que lhes deseja

A miséria S.A

Que acabou de falar

 

Lhes deseja , lhes deseja

Lhes deseja , lhes deseja

 

TEMA: Machismo e Representatividade

Minha Rapunzel tem Dread – Mc Soffia

Num conto de fadas a Rapunzel joga suas tranças

Na minha história, ela tem dread e é africana

Agora vou contar o meu conto para vocês

Como todas as histórias começa com era uma vez

 

Era uma vez uma princesa Rastafari que nasceu no reino de Sabá

Na minha história quem disse que a bruxa é má?

Meninas unidas pode tudo mudar

 

Aqui inimiga não vai rolar

Ah, é, não vai rolar

Aqui inimiga não vai rolar

Hum, hum, não vai rolar

Aqui inimiga não vai rolar

Hum, hum, não vai rolar

Aqui inimiga não vai rolar

Ahn, ahn, não vai rolar

 

Na minha história a Rapunzel tem dread

Ela é negra e é Rastafari

Não precisa de um príncipe pra se salvar

Ela é empoderada e pode tudo conquistar

 

O seu cabelo dread tinha força e poder

Sua beleza africana não tinha o que dizer

Essa história eu inventei porque não vi princesa assim

Só me mostraram uma, ai isso não dá pra mim

 

Princesa Etiópia, esse nome eu batizei

País que desfruta tudo que eu pesquisei

Estou muito feliz de ver a história acontecer

Crie uma princesa que pareca com você

 

Cri-Cri-Crie uma princesa que pareça com você

Crie uma princesa que pareça com você

Cri-Cri-Crie uma princesa que pareça com você

Crie uma princesa que pareça com você

Crie uma princesa que pareça com você

Crie uma princesa que pareça com você

Cri-Cri-Crie uma princesa que pareça com você

Crie uma princesa que pareça com você

 

Aqui inimiga não vai rolar

Ah, ah, não vai rolar

Aqui inimiga não vai rolar

Hum, hum, não vai rolar

Aqui inimiga não vai rolar

Não, hum, não vai rolar

Aqui inimiga não vai rolar

Hum, hum, não vai rolar

 

Na minha história a Rapunzel tem dread

Ela é negra e é Rastafari

Não precisa de um príncipe para se salvar

Ela é empoderada e pode o mundo conquistar

 

O seu cabelo dread tinha força e poder

Sua beleza africana não tinha o que dizer

Essa história eu inventei porque não vi princesa assim

Só me mostraram uma, ai isso não dá pra mim

 

Princesa Etiópia, esse nome eu batizei

País que desfruta tudo o que eu pesquisei

Estou muito feliz de ver a história acontecer

Crie uma princesa que pareça com você

Cri-Cri-Crie uma princesa que pareça com você

Crie uma princesa que pareça com você

Cri-Cri-Crie uma princesa que pareça com você

Crie uma princesa que pareça com você

 

( A DIVISÃO DOS GRUPOS E ESCOLHA DAS MÚSICAS GEROU MUITAS DISCUSSÕES. PRECISEI INTERVIR PARA QUE FOSSEM FEITOS GRUPOS COM ALUNOS E ALUNAS COM DIVERGÊNCIA DE OPINIÕES, EXATAMENTE PARA GERAR DISCUSSÕES QUE POSSIBILITASSEM DESCONSTRUIR AS ESTRUTURAS DE PENSAMENTO JÁ ENRAIZADAS E CONTRUIR INTERVENÇÕS PARA A SOLUÇÃO DOS CONFLITOS).

 

ETAPA 3:

DURAÇÃO: 10 AULAS

Os grupos se reunirão e discutirão o tema proposto pela música. Através das discussões, pensarão em uma história que possa narrar e ilustrar o conflito existente e a intervenção que o grupo fará para que esse conflito seja resolvido.

 

( ACOMPANHEI AS DIVERSAS DISCUSSÕES QUE FORAM FEITAS PELO GRUPO E PERCEBI QUE ELES TRAZIAM HISTÓRIAS DE TERCEIROS E DIFICILMENTE FALAVAM DE SUAS EXPERIÊNCIAS. ORGANIZEI UMA RODA DE CONVERSA E PEDI QUE ELES RESGATASSEM HISTÓRIAS QUE ACONTECERAM COM ELES REFERENTE À RACISMO, PRECONCEITO, DISCRIMINAÇÃO, ETC. ESSA EXPERIÊNCIA FOI PRODUTIVA DEMAIS POIS OS ALUNOS E ALUNAS FALARAM SOBRE SITUAÇÕES INCÔMODAS QUE PASSARAM E QUE ACHAVAM SER NORMAL, SE CHATIAVAM OU RETRUCAVAM COM VIOLÊNCIA, MAS ACEITAVAM. AO DISCUTIRMOS ESSES ACONTECIMENTOS PUDEMOS PERCEBER QUE ESSE “NORMALISMO” NÃO PODE SER ACEITÁVEL, QUE PRECISAMOS SER RESPEITADOS COMO SUJEITOS E RESPEITADOS EM NOSSAS DIFERENÇAS)

 

 

ETAPA 4:

DURAÇÃO: 5 AULAS

Início da escrita das histórias

Escolha e caracterização dos personagens

Digitação das histórias

 

ETAPA 5:

DURAÇÃO: 5 AULAS

Organização das páginas do livro

Ilustração das histórias

 

ETAPA 6:

DURAÇÃO: 5 AULAS

Confecção dos livros

 

(AS IMAGENS DAS PRODUÇÕES DAS ETAPAS 4, 5 e 6 ESTÃO ANEXADAS AO FINAL)

 

AVALIAÇÃO:

A avaliação desse projeto aconteceu no decorrer do processo.

Através do acompanhamento das discussões que surgirem na construção das histórias, proporei intervenções que levem os alunos a pensar na desconstrução do “normalismo” do racismo, discriminação, preconceito e desrespeito.

Observarei o comportamento dos alunos e alunas nas discussões que forem surgindo e o protagonismo deles na construção dos personagens, caracterização e construção do enredo das histórias.

 

PRODUTO FINAL:

Livro baseado em letra de música.

Dia de Leitura para a família ( os alunos e alunas prepararam a leitura de suas produçóes e convidaram amigos e familikares para vir ouví-los)

 

(AS FOTOS DO DIA DA LEITURA SEGUEM ANEXAS)

 

 

CONSIDERAÇÕES PÓS PROJETO

Esse projeto ocorreu no último bimestre letivo.

Ele precisaria de uma continuação para que pudéssemos discutir as construções finais dos alunos.

Percebemnos em suas produções a a sociedade racista, excludente e preconceito que estamos inseridos.

Os personagens que sofrem bullying, humilhações, preconceito, discriminação, são quase na totalidade, jovens e adolescentes negros, pobres e moradores da comunidade. Os que aparecem como os “heróis” nas narrativas, aqueles que prestam ajuda, são brancos.

Pudemos perceber também que os desfechos das histórias, em sua maioria, são regados de esperança e luta por um mundo mais justo e solidário.

Portanto, a continuidade desse projeto seria de grande valia, mas infelizmente não aconteceu devido ao término do ano letivo.

 

EU NÃO CONSEGUI ENVIAR AS FOTOS DO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO POIS SALVEI EM FORMATO PDF E AQUI NÃO HÁ COMO ENVIAR ESSE TIPO DE ARQUIVO.

FICA UMA DICA PARA O ENVIO DAS PRÓXIMAS TAREFAS, CRIAR UM ESPAÇO PARA ENVIAR ARQUIVOS EM PDF.