Tarefa 6 – Curso EDH – Ana Paula Boldorini Florio

Data

4 de agosto de 2020

Cursista

Ana Paula Boldorini Florio

Função

Coordenadora

DRE / Unidade Educacional

Pirituba / Jaraguá

Escola

EMEI MORRO DOCE

Curso : EDH – Desafios do contexto atual

Cursista:  Ana Paula Boldorini Florio

 

Trabalho de final de curso

 

Sequência de atividades de Educação em Direitos Humanos

 

Justificativa

 

Como coordenadora de escola e pessoa com certa influência na formação da equipe, preparei seqüências de atividade para serem feitas com o grupo de professores pensando na sensibilização do olhar para além do diagnóstico de que a criança é homossexual e sim na perspectiva de promover ações de igualdade, valorização, sensibilização das outras crianças, acolhimento da criança e da família.

Precisamos valorizar as diferencias e a diversidade, reconhecendo a positividade em sermos semelhantes, nunca iguais.

 

Objetivos

 

– Promover uma cultura de paz através do conhecimento de que é normal ser diferente.

– Entender que não é uma questão de escolha a identidade de gênero.

– Perceber de modo empático o que o outro sente ao se ver numa situação de conflito entre seu corpo e sua identidade de gênero.

– Reconhecer biologicamente que não é uma questão de escolha, de opção e sim formação de identidade.

– Valorizar as diferentes etnias e culturas.

 

Metodologia

 

Sensibilização – Através do poema “Identidade de Gênero” de Bráulio Bessa.

link: https://www.youtube.com/watch?v=gb1hbX2s9Ho

Após assistir o vídeo do Bráulio Bressa vamos assistir o vídeo de nossa colega de trabalho Paula Beatriz de Souza Cruz, que também é professora da rede municipal de São Paulo (o vídeo foi extraídodo Curso EDH Relação família e escola onde a Paula é palestrante), ele nos fala sobre a questão do gênero para a pessoa, para o mundo do trabalho e na família.

Nosso papel enquanto professor é promover a cultura da paz, da igualdade, dos direito a ser diferente, para isso temos que entender de maneira complexa as diferencias para poder ser um defender e lutar pelo direito a ser quem você é, mas não é possível fazer isso sem pensar dessa maneira, sem acreditar, como nossa sociedade é permeada de preconceitos, cabe a escola começar o trabalho de propagar os DIREITOS HUMANOS.

Após a sensibilização abriremos para conversas dúvidas e troca de informações, onde vamos perceber a necessidade de estudos, pois o que sabemos é senso comum e com essa base não poderemos formar cidadãos nos princípios dos direitos humanos.

Estudos teóricos que serão suporte para nossas discussões e reflexões

O livro que norteará nosso estudos será:ORIENTAÇÕES SOBRE IDENTIDADE DE GÊNERO: CONCEITOS E TERMOS  – Guia técnico sobre pessoas transexuais, travestis e demais transgêneros, para formadores de opinião.Escrito por Jaqueline Gomes de Jesus.

 

O livro da Jaqueline Gomes de Jesus nos traz um grande comportamento que deve ser excluído das atividades escolares, sei que é feito de forma mecânica, sem intenção, faz assim porque sempre foi feito dessa maneira, o trecho a seguir ilustra tal prática:

 

Relembre da sua formação pessoal: desde criança você foi ensinado(a) a agir e a ter uma determinada aparência, de acordo com o seu sexo biológico. Se havia ultrassonografia, esse sexo foi determinado antes de você nascer. Se não, foi no seu parto.

Crescemos sendo ensinados que “homens são assim e mulheres são assado”, porque “é da sua natureza”, e costumamos realmente observar isso na sociedade.

 

Somos definidos por uma série de fatores, são eles a influência do meios sociais (mídias, família, escola),  os fatores biológicos/orgânicos e ainda os psicológicos. Mas ainda assim, nos comportamos como se os órgãos genitais fossem os únicos determinantes.

 

Jaqueline Gomes de Jesus nos ensina:

 

Há culturas para as quais não é o órgão genital que define o sexo. Ser masculino ou feminino, homem ou mulher, é uma questão de gênero. Logo, o conceito básico para entendermos homens e mulheres é o de gênero.

Sexo é biológico, gênero é social, construído pelas diferentes culturas. E o gênero vai além do sexo: O que importa, na definição do que é ser homem ou mulher, não são os cromossomos ou a conformação genital, mas a auto-percepção e a forma como a pessoa se expressa socialmente.

 

Nunca podemos esquecer de que a pessoa homossexual vivência outros aspectos de sua humanidade, para além dos relacionados à sua identidade de gênero.

 

Esclarecendo termos e significados

 

Gênero se refere a formas de se identificar e ser identificada como homem ou como mulher. Orientação sexual se refere à atração afetivossexual por alguém de algum/ns gênero/s. Uma dimensão não depende da outra, não há uma norma de orientação sexual em função do gênero das pessoas, assim, nem todo homem e mulher é “naturalmente” heterossexual.

 

Nem todas as pessoas trans são gays ou lésbicas, apesar de serem identificados como membros do mesmo grupo político, o de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT.

 

Homossexuais se sentem atraídos por pessoas do mesmo gênero, e bissexuais por pessoas de qualquer gênero, o que não se relaciona com sua identidade de gênero, ou seja, não se questionam quanto a sua identidade como homens ou mulheres e ao gênero que lhes foi atribuído quando nasceram, ao contrário das pessoas transexuais e travestis.

 

Termos e significados

 

Gênero Classificação pessoal e social das pessoas como homens ou mulheres. Orienta papéis e expressões de gênero. Independe do sexo.

 

Sexo –Classificação biológica das pessoas como machos ou fêmeas, baseada em características orgânicas como cromossomos, níveis hormonais, órgãos reprodutivos e genitais.

 

Expressão de gênero Forma como a pessoa se apresenta, sua aparência e seu comportamento, de acordo com expectativas sociais de aparência e comportamento de um determinado gênero. Depende da cultura em que a pessoa vive.

 

Identidade de gênero – Gênero com o qual uma pessoa se identifica, que pode ou não concordar com o gênero que lhe foi atribuído quando de seu nascimento. Diferente da sexualidade da pessoa. Identidade de gênero e orientação sexual são dimensões diferentes e que não se confundem. Pessoas transexuais podem ser heterossexuais, lésbicas, gays ou bissexuais.

 

Cisgênero– Conceito “guarda-chuva” que abrange as pessoas que se identificam com o gênero que lhes foi determinado quando de seu nascimento.

 

Transgênero Conceito “guarda-chuva” que abrange o grupo diversificado de pessoas que não se identificam, em graus diferentes, com comportamentos e/ou papéis esperados do gênero que lhes foi determinado quando de seu nascimento.

 

IntersexualPessoa cujo corpo varia do padrão de masculino ou feminino culturalmente estabelecido, no que se refere a configurações dos cromossomos, localização dos órgãos genitais (testículos que não desceram, pênis demasiado pequeno ou clitóris muito grande, final da uretra deslocado da ponta do pênis, vagina ausente), coexistência de tecidos testiculares e de ovários. A intersexualidade se refere a um conjunto amplo de variações dos corpos tidos como masculinos e femininos, que engloba, conforme a denominação médica, hermafroditas verdadeiros e pseudo-hermafroditas.

 

Orientação sexual  –Atração afetivossexual por alguém. Vivência interna relativa à sexualidade. Diferente do senso pessoal de pertencer a algum gênero.

 

Assexual –  Pessoa que não sente atração sexual por pessoas de qualquer gênero.

 

Bissexual – Pessoa que se atrai afetivo-sexualmente por pessoas de qualquer gênero.

 

Heterossexual – Pessoa que se atrai afetivo-sexualmente por pessoas de gênero diferente daquele com o qual se identifica.

 

Homossexual – Pessoa que se atrai afetivo-sexualmente por pessoas de gênero igual àquele com o qual se identifica.

 

Pessoas Transexuais – transexualidade é uma questão de identidade. Não é uma doença mental, não é uma perversão sexual, nem é uma doença debilitante ou contagiosa. Não tem nada a ver com orientação sexual, como geralmente se pensa, não é uma escolha nem é um capricho.

Cada pessoa transexual age de acordo com o que reconhece como próprio de seu gênero: mulheres transexuais adotam nome, aparência e comportamentos femininos, querem e precisam ser tratadas como quaisquer outras mulheres. Homens transexuais adotam nome, aparência e comportamentos masculinos, querem e precisam ser tratados como quaisquer outros homens.

 

Transexual – Termo genérico que caracteriza a pessoa que não se identifica com o gênero que lhe foi atribuído quando de seu nascimento.

 

Travestis – são travestis as pessoas que vivenciam papéis de gênero feminino, mas não se reconhecem como homens ou como mulheres, mas como membros de um terceiro gênero ou de um não-gênero.

 

Crossdressersvariante de travesti, para se referir a homens heterossexuais, comumente casados, que não buscam reconhecimento e tratamento de gênero (não são transexuais), mas, apesar de vivenciarem diferentes papéis de gênero, tendo prazer ao se vestirem como mulheres, sentem-se como pertencentes ao gênero que lhes foi atribuído ao nascimento.

 

Drag Queen/King, TransformistaArtistas que fazem uso de feminilidade estereotipada e exacerbada em apresentações são conhecidos como drag queens que são homens fantasiados como mulheres. No mesmo sentido, mulheres caracterizadas de forma caricata como homens, para fins artísticos.

 

Transfobia  – Preconceito e/ou discriminação em função da identidade de gênero de pessoas transexuais ou travestis. Não confundir com homofobia.

 

Homofobia – Medo ou ódio com relação a lésbicas, gays, bissexuais e, em alguns casos, a travestis, transexuais e intersexuais, fundamentado na percepção, correta ou não, de que alguém vivencia uma orientação sexual não heterossexual.

 

 

Primeiro entre tantos desafios

 

A Coragem de ser quem se é.

 

Pessoas que se identificam com alguma das expressões da transgeneralidade enfrentam um primeiro desafio: reconhecer a si mesmas e fazer decisões pessoais sobre se e quando irão se apresentar aos outros da forma como se identificam. Cada um(a) tem o seu tempo.

 

É preciso compreender que essa atitude não é simples de se tomar, nem fácil de pôr em prática, porém é necessária, para que elas possam ser quem são por inteiro, entre seus amigos, na família, no trabalho, na rua.

 

Resultados

 

As conversas tem mostrados diferentes pontos de vista sobre o tema e tem nos levado a pensar nossas práticas e planejar ações que garantam o respeito e a garantia de direitos.

 

Mensagem final

 

Toda mudança em favor da justiça e da igualdade começa quando entendemos melhor quem são as outras pessoas, e o que elas vivem, superando mitos e medos.

 

Nossa bandeira: 

 

Conheça, Respeite, Valorize!

 

Conclusão

 

Acredito que após estudar estes conceitos, discutirmos e refletirmos sobre tais assuntos, vão surgir por partes dos docentes curiosidades por outras saberes que nos levarão a outros estudos e discussões, pois este será meu ponta pé inicial.

 

Bibliografia

–  Curso EDH – Educação em Direitos Humanos. Instituto Vladimir Herzog.

– JESUS, Jaqueline Gomes de. Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos – Guia técnico sobre pessoas transexuais, travestis e demais transgêneros, para formadores de opinião. Brasília, 2012.

 

 

Anexos

 

 

Minhas Ações:

 

1 – Pauta da Reunião em 30/06 e 01/07 com o grupo da escola EMEI MORRO DOCE:

 

EMEI MORRO DOCE

 

PAUTA DA REUNIÃO – TELETRABALHO

 

REUNIÃO PEDAGÓGICA – 30 de junho e 01 de julho de 2020.

 

 

  • Conversa informal com o grupo.
  • Nosso espaço:

 

“Ao fim e ao cabo, somos o que fazemos para mudar o que somos.”

                                      Eduardo Galeano (Escritor uruguaio)

 

 

  • Homenagem ao Dia do Orgulho LGBTQIA+ (28/06) – Poema “Identidade de Gênero” de Bráulio Bessa.

 

 

  • Planejamento: precisamos planejar as atividades para o período de 03/08 à 04/09, são mais 25 atividades de leitura e 25 de outras linguagens.

 

  • Conversa sobre a III Jornada Pedagógica:

 

DIA 25 DE JUNHO

LIVE 10h-  A EXPERIENCIA DO RETORNO DA EDUCAÇÃO INFANTIL EM PORTUGAL (Luís Ribeiro e Sara Barros Araujo).
LINK: https://youtu.be/1ywljR7S88y

 

LIVE 14h-      INFÂNCIAS CONECTADAS   (Tona Castell).
LINK: https://youtu.be/aR1hNSHlqFw

DIA 26 DE JUNHO

LIVE 10 h-   OS FIOS DA INFÂNCIA   (Angeles Abelleira e Isabel Abelleira).
LINK: https://youtu.be/GqQf8fxznh4

LIVE 14h  –   OS PROJETOS E USOS DOS MAPAS MENTAIS (AlejandraDubovik e AlejandraCippitelli).
LINK: https://youtu.be/r0lls_UaKmg

 

  • Declaração de Bens:

IV – DECLARAÇÃO DE BENS: Os servidores devem realizar a sua declaração de bens on-line, a partir do dia 01/07/2020 até o dia 31/07/20, sob pena de não recebimento de salário no mês 08/2020. A Unidade deve comunicar a todos os servidores da obrigatoriedade desta declaração e permitir aos funcionários que tenham dificuldade de realizar o procedimento, ou mesmo não tem acesso ao computador, disponibilizar uma máquina para este fim, com todos os cuidados de higiene exigidos.