Tarefa 6 – Curso EDH – Ana Luiza da Silva Lagonegro

Data

6 de agosto de 2020

Cursista

Ana Luiza da Silva Lagonegro

Função

PEIF I / POA

DRE / Unidade Educacional

Freguesia do Ó / Brasilândia

Escola

EMEF Professora Joaninha Grassi Fagundes

Tema: Respeito aos lugares de fala na escola

Justificativa: Tornar o espaço da Unidade Escolar um ambiente respeitoso e aberto a trocas de experiências e acolhedor para todo o conhecimento existente, busca considerar os saberes trazidos pelos estudantes, funcionários da cozinha, da limpeza e demais setores envolvidos no cotidiano da comunidade escolar.

Faz-se cada vez mais necessário tornar a escola um espaço de educação horizontal, dando voz aos sujeitos e tornando o conhecimento atrativo e enriquecedor a todos.

Público – alvo: Toda a comunidade escolar

Finalidade: Promover rodas de conversa mediadas por professores com grupos de estudantes de diferentes idades para dialogar com gestores, funcionários da cozinha , da limpeza e inspetores de aluno visando pensar novas possibilidades e rotinas para o grupo. Os momentos também servirão para debater acontecimentos desagradáveis e desrespeitosos que ocorrerem com quaisquer indivíduos. A meta e que ao ouvir os relatos , diferentes pessoas , com características diversas falem sobre o assunto e que com visões de diferentes lugares de fala , todos passem a refletir sobre as maneiras pelas quais nos impomos para sermos ouvidos e que partindo dessa reflexão encontremos pontos para construção coletiva de uma comunidade educativa pautada no respeito a diversidade e em equidade.

Objetivos:

Dialogar sobre racismo, machismo, violências física e psicológica , discriminação a deficientes e demais minorias;;

Pensar caminhos para a criação de uma rádio na escola;

Atualizar e adequar o Projeto Político- pedagógico de modo a contemplar toda a comunidade escolar;

Pensar ações coletivas para desenvolver atividades culturais e feiras que envolvam estudantes e familiares;

Tornar a escola um espaço acolhedor e de respeito mútuo;

Proporcionar aos professores a oportunidade de mediar diálogos com diferentes sujeitos e produzir material baseado em escuta, observação e compreensão das necessidades das crianças e adolescentes envolvidos no processo educativo;

Possibilitar que a equipe gestora consiga tornar a escola democrática um projeto possível e permanente em seu território.

Duração: Um ano para ações de implementação.

Atividades:

Cine debates;

Rodas de conversa;

Feiras para trocas de brinquedos e livros;

Palestras;

Jogos teatrais;

Slam;

Sarau;

Exibição de curtas criados pelos alunos;

Escrita coletiva de regras da comunidade escolar;

Rodas de conversa com pais de alunos sobre temas variados;

Oficinas para confecção de brinquedos com material reciclável.

Oficinas sobre diferentes saberes com os funcionários da escola.

Avaliação: A avaliação será feita mensalmente durante a realização de assembleias coletivas, após cada avaliação serão readequados os aspectos que não estiverem funcionando para a maioria dos envolvidos no processo.