Tarefa 6 – Curso EDH – Afranio Brandão Lima

Data

7 de agosto de 2020

Cursista

Afranio Brandão Lima

Função

Assistente de Diretor

DRE / Unidade Educacional

Jaçanã / Tremembé

Escola

EMEF Júlio Marcondes Salgado

AFRANIO BRANDÃO LIMA  –  EDH

Tema: Família e Escola

Justificativa  

A vulnerabilidade das famílias, sobretudo na pandemia tem gerado exclusões e perdas de direitos sociais, sobretudo educacionais dos alunos. Com foco no olhar para os alunos do ensino fundamental, notadamente de famílias com maior vulnerabilidade social percebe-se que a família segrega direitos, mas também os tem violados no convívio em sociedade seja pelo poder público seja pelas demais pessoas que compõe o seu relacionamento social.

Famílias que tem condições precárias de habitação, relações conflituosas acabam por impactar a construção social da criança em processo de desenvolvimento, gerando situações de violência social.

Crianças expostas a estas situações muitas vezes tem apresentado relações de conflito com os demais colegas em sala, ausências das aulas e dificuldades de aprendizagem.

Em paralelo a aproximação com o Conselho Tutelar se faz necessário para que além da escola se tenha uma retomada de direitos da família como inscrição em programas sociais, cadastro ou verificação da participação dos alunos em programas de reconstrução de vínculos como o CCA.

A quem o trabalho se destina: Alunos com vulnerabilidade social

Finalidade: Inclusão e maior acompanhamento das famílias aos educandos.

Objetivos:

Ampliar o envolvimento Escola – comunidade

Fortalecer os vínculos familiares quanto a Educação dos filhos e tutorados

Parceria com o Conselho Tutelar e Rede de proteção social

Diminuição de conflitos na unidade educacional entre os alunos

Retomada dos processos de alfabetização

Duração:  10 meses

Atividades:

1) Pesquisa do público: Levantamento de dados sobre os alunos e alunas em situação de vulnerabilidade, desempenho escolar e histórico familiar com a Unidade Educacional.

2) Reunião da Gestão com a equipe docente, sobretudo Professor de Apoio Pedagógico e o quadro de apoio para levantamento de dados do dia a dia dos alunos listados no levantamento inicial e verificação de outros possíveis alunos para o alvo do projeto

3) Contato com o Conselho Tutelar da Região para buscar parceria na realização dos trabalhos e aproximação com o CCA e outros equipamentos de Cultura e proteção social do território.

4) Construção da proposta de trabalho: De posse dos dados fazer um cruzamento de informações para definir estratégias de ação.

5) Acompanhamento das aprendizagens dos alunos e encaixe nas turmas de recuperação paralela.

6) Chamada das famílias para verificação das relações com seus filhos e mobilização para que sejam estabelecidos elos educacionais entre escola e família com vistas a retomada da aprendizagem dos alunos.

7) Acompanhamento das aprendizagens com atividades de recuperações contínuas e paralela.

8) Reuniões do Conselho Tutelar junto com equipes da Assistência Social e Saúde visando ampliar a conscientização social e encaminhamentos a acompanhamentos regulares na UBS local da família visando retomada de direitos sociais, bem como a fidelização das parcerias no território.

Avaliação

Acompanhamento das atividades e do fluxo da mediação de conflitos da Unidade Educacional bem como os resultados de retomada das aprendizagens sendo satisfatórios sobretudo diante do quadro anterior; revisão das estratégias e ações com vistas ao objetivo de integração família – escola; retomada de direitos sociais e educacionais dos estudantes. Percepção das escutas significativas a medida que os conflitos sejam encaminhados e as soluções apontadas, ou seja, notadas.