Responder a: Comentários da Equipe Formadora

#15540

Olá Celinha! Venho durante o percurso maravilhoso do nosso curso me perguntando muito sobre essa questão da palavra, do diálogo, diante das situações que permeiam as práticas e vivências escolares, que ao meu ver muitas vezes causam conflito no ambiente escolar. Falo isso quando penso em minha unidade escolar. Estou nessa unidade desde 2002, e tenho certeza que o meu sucesso como educador se dá através do sentimento de pertencimento, conquistado no decorrer desse tempo, partilhando as responsabilidades com a equipe gestora e comunidade escolar, no sentido de fortalecer as relações, no intuito de melhorar, mesmo que algumas vezes acabo percebendo não ser como eu pensava (não estar correta, após a tentativa), mas acredito que preciso “assumir esse risco” pois a transformação se dá através das ações, do coletivo e respeito mútuo sempre. Algumas vezes nas interações mesmo com uma direção agora que estabelece uma atuação respeitosa, democrática e que prioriza o diálogo e resoluções diante do trabalho coletivo, muitas pessoas do grupo não se colocam, nos vários momentos a palavra é dada, mas nos corredores a tal “fofoca” acontece, a minha inquietação é relacionada com este fato, todos podem falar, uma vez que está se estabelecendo uma relação de dialogo muito favorável e receptiva, mas vejo que por não querer assumir o compromisso com o coletivo se cala e depois por qualquer motivo que seja, está pessoa se exime de sua responsabilidade, pois a ideia não surgiu dela, foi “fulano”. Estou refletindo muito sobre pensar ações para fortalecer essa participação, o espírito coletivo que para alguns torna-se tão difícil, uma vez que a individualidade muitas vezes impera nas várias relações. Me pergunto muito sobre esse fato, será que por gestões anteriores terem sido mais autoritárias, ou também não veja por uma educação individualista, autoritária e até mesmo traços da personalidade individual. Como amei essas reflexões pensando sempre na educação para os diretos humanos, na perspectiva da transformação da realidade social. Espero ter tecido reflexões pertinentes. Obrigada pela oportunidade!