1. Café com respeito: começando juntos
 

Pensando em incentivar a participação de todos, é interessante apresentar o Projeto respeitar é Preciso! em forma de celebração, comunicando, pela maneira de conduzir o encontro, que esse projeto é uma construção coletiva e que todos estão convidados a participar. Por isso, a proposta de um lanche e, se possível, de uma apresentação artística curta (declamação de um poema, canto de uma música etc.) é uma boa ideia para dinamizar a apresentação do Projeto para a comunidade escolar.

Direitos Humanos é uma prática de vida, um estado de espírito. E deve ser ensinado à criança desde a primeira infância.” Margarida Genevois

Sugerimos, então, convidar a todos para um café, mas um café diferente, o café com Respeito, um encontro para apresentar o projeto à comunidade escolar e convidar todos para participar.

Providenciar
– O material do Projeto Respeitar é Preciso! – Equipamento para reprodução de vídeo – Lousa e giz ou folhas grandes de papel e canetas para registros coletivos – Lanche (se não houver verba, propor um lanche comunitário) – Fotos da escola, notícias e outras imagens interessantes e pertinentes ao tema, seleção de vídeos do Festival Entretodos (1), mais significativos para a comunidade escolar, para compor o espaço em que será servido o lanche.

Atividades 

161. O café – Iniciar o encontro com a confraternização na mesa do café. Os vídeos selecionados podem ficar “rodando” durante o café e/ou ser apresentados como abertura do encontro.

2. Cochicho – Após o café e depois de os participantes se acomodarem no espaço, fazer como forma de aquecimento uns 5 minutos de cochicho (conversa rápida e em voz baixa) com o participante ao lado sobre “as ideias que me vêm à cabeça quando ouço falar em respeito”.
Então, algumas pessoas compartilham no coletivo as ideias que tiveram e aquelas que ouviram. É bem possível haver, nessa primeira coleta de impressões, queixas e relatos de desrespeito, uma vez que o desrespeito marca mais que o respeito.

3. O que é esse projeto? – Em seguida, quem estiver coordenando o encontro fala sobre as linhas gerais do Projeto e sobre como ele funcionará. As pessoas que já conhecerem algo do Projeto Respeitar é Preciso! podem falar sobre aquilo que consideram relevante a respeito da Educação em Direitos Humanos.

4. Conhecer o material – Esse é um bom momento para que todos olhem o material, conheçam como está estruturado, verifiquem os conteúdos, as ilustrações e o que ele propõe, numa leitura transversal. Isso pode ser feito em pequenos grupos. Então, certamente surgirão questões sobre o Projeto e sobre o que a escola já pensou a respeito do tema. É importante registrar a discussão para retomá-la durante as próximas ações do Projeto.

Finalização
Compartilhar as impressões sobre o Projeto e a participação da escola e marcar os próximos encontros.
Certificar-se de que todos os segmentos estejam sabendo do Projeto e, caso necessário, definir quem se responsabiliza por disseminar a informação sobre o Projeto, convidando a participar dos próximos encontros.

Elaboração da vivência
Fazer uma rápida reflexão para que os participantes tomem consciência do que estão levando desse encontro. Assim, cada um pode citar algo que tenha sido útil para si.
A ideia é começar a pensar e concretizar o sentido do Respeitar é Preciso! e do que ele trata.


(1) Festival Entretodos Realizado pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, o Festival de Curtas-Metragens em Direitos Humanos estimula a produção de filmes como meio educativo e promotor do debate sobre os Direitos Humanos.


Bibliografia