Prefácio, Rogério Sottili
 
Prefácio, Rogério Sottili

Caros educadores da cidade de São Paulo,

Desde quando iniciamos o processo de preparação, produção, escrita, diálogo, escuta, debate e construção do material Respeitar é Preciso! Educação em Direitos Humanos, muitos passos foram dados. Esse processo remonta a 2013-2014, e, agora, em 2015, produzimos esta segunda edição, a ser multiplicada em escala maior Rede Municipal de Ensino de São Paulo, como material consolidado, respeitado e conhecido pelos profissionais da educação da Cidade de São Paulo. A parceria entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e o Instituto Vladimir Herzog foi de fundamental importância para este resultado. E não para por aí, pois o material vem se tornando referência em São Paulo e no Brasil, e queremos seu mais amplo alcance.

O que há de importante e de singular neste material é a sua origem, ou seja, a experiência se dá no âmbito dos quatro Centros de Educação em Direitos Humanos, criados na parceria entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e a Secretaria Municipal de Educação, visando exatamente consolidar espaços para produzir conhecimentos, disseminar temas de direitos humanos e construir iniciativas valiosas para toda a Rede. É assim que, aos poucos, viemos tornando a Educação em Direitos Humanos (EDH) uma realidade de ampla prática e, com isso, consolidando as políticas públicas de EDH projetadas, formuladas e debatidas pela Coordenação de Educação em Direitos Humanos.

A luta por direitos humanos hoje, no Brasil, não é simples e não é fácil, especialmente considerando ameaças de retrocessos e uma cultura antiprogressista, que se torna infensa à consolidação da democracia no país. Por isso, a luta de educadores e educadoras se soma à luta de militantes, movimentos e idealizadores de políticas públicas, trazendo contribuições que são muito importantes para operar uma tarefa sem igual: promover uma revolução silenciosa na consciência de todas e todas, em favor da justiça, da diversidade, dos valores humanos, da cidadania, da igualdade, do respeito e da cultura dos direitos humanos.

Muito sucesso ao material, às ideias que projetar, bem como às práticas que dele puderem surgir!

Rogério Sottili
Secretário Adjunto Municipal de Direitos Humanos e Cidadania


Bibliografia

Prefácio, Rogério Sottili

Caros educadores da cidade de São Paulo,

Desde quando iniciamos o processo de preparação, produção, escrita, diálogo, escuta, debate e construção do material Respeitar é Preciso! Educação em Direitos Humanos, muitos passos foram dados. Esse processo remonta a 2013-2014, e, agora, em 2015, produzimos esta segunda edição, a ser multiplicada em escala maior Rede Municipal de Ensino de São Paulo, como material consolidado, respeitado e conhecido pelos profissionais da educação da Cidade de São Paulo. A parceria entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e o Instituto Vladimir Herzog foi de fundamental importância para este resultado. E não para por aí, pois o material vem se tornando referência em São Paulo e no Brasil, e queremos seu mais amplo alcance.

O que há de importante e de singular neste material é a sua origem, ou seja, a experiência se dá no âmbito dos quatro Centros de Educação em Direitos Humanos, criados na parceria entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e a Secretaria Municipal de Educação, visando exatamente consolidar espaços para produzir conhecimentos, disseminar temas de direitos humanos e construir iniciativas valiosas para toda a Rede. É assim que, aos poucos, viemos tornando a Educação em Direitos Humanos (EDH) uma realidade de ampla prática e, com isso, consolidando as políticas públicas de EDH projetadas, formuladas e debatidas pela Coordenação de Educação em Direitos Humanos.

A luta por direitos humanos hoje, no Brasil, não é simples e não é fácil, especialmente considerando ameaças de retrocessos e uma cultura antiprogressista, que se torna infensa à consolidação da democracia no país. Por isso, a luta de educadores e educadoras se soma à luta de militantes, movimentos e idealizadores de políticas públicas, trazendo contribuições que são muito importantes para operar uma tarefa sem igual: promover uma revolução silenciosa na consciência de todas e todas, em favor da justiça, da diversidade, dos valores humanos, da cidadania, da igualdade, do respeito e da cultura dos direitos humanos.

Muito sucesso ao material, às ideias que projetar, bem como às práticas que dele puderem surgir!

Rogério Sottili
Secretário Adjunto Municipal de Direitos Humanos e Cidadania