1. Navegar pela Escola: sensibilização
 
1. Navegar pela Escola: sensibilização

repeitar-preciso-responsabilidade-escolaAntes de realizar as atividades de mapeamento, é importante ler as orientações específicas que dizem respeito ao trabalho de Educação em Direitos Humanos em cada um dos segmentos da escolaridade, que vão ajudar no olhar mais atento para as questões próprias de cada um deles.

Providenciar

– O mapeamento do território já realizado
– O registro das situações de respeito e desrespeito coletadas em atividades anteriores
– O mapa de sonhos já realizado
– Um desenho grande da planta baixa da escola

Observação: O desenho da planta pode ser previamente preparado ou realizado na hora. A sugestão é desenhar uma planta grande para cada andar e incluir no térreo a área aberta da escola.

Atividades
repeitarepreciso-atividades-discriminacao1. À deriva – É importante “re-conhecer” a escola, olhar com outros olhos e ver o que muitas vezes não vemos por causa de um automatismo cotidiano. Vale relembrar os registros das situações de respeito e desrespeito vivenciadas e coletadas em atividades anteriores e informações disponíveis sobre o território, coladas nas paredes da sala de aula.

  • A ideia é que o grupo de educadores (e, quando for o caso, os grupos de alunos) faça uma caminhada “à deriva” pela escola para uma primeira exploração, de modo que cada participante se perceba nos diferentes espaços e identifique:
  • Quais espaços costuma frequentar mais e quais frequenta menos?
  • Como, para que e com quem utiliza esses espaços?
  • Que lembranças, sensações e sentimentos afloram em cada um desses espaços?

2. Registro – Cada participante escolhe três desses espaços e registra suas percepções:

  • as sensações agradáveis e desagradáveis;
  • o que a organização e o estado de conservação comunicam;
  • como as pessoas circulam e interagem;
  • as regras implícitas e explícitas que vigoram nesses espaços.

Quanto mais claro e rico for o registro dessas percepções, mais completo ficará o mapa coletivo do grupo, reunindo todas as impressões dos participantes para que se tenha um panorama dessas questões na escola. Os registros podem ser feitos por escrito, foto, desenho etc.

3. Um primeiro mapa coletivo – Colagem sobre a planta baixa da escola. Cada pessoa tem suas experiências, suas impressões, seus sentimentos e um olhar singular para o que acontece no dia a dia vivido nos espaços da escola. São esses espaços que compõem a escola real e que, ao serem explicitados e organizados, permitem que o grupo reflita sobre o que essa instituição comunica e sobre quais valores ela ensina na prática. Para essa reflexão, pode-se usar como apoio o desenho de uma planta baixa da escola, sobre o qual são colocados os registros feitos durante a caminhada “à deriva”. Isso dará visibilidade a esses espaços, permitindo que o grupo pense junto. Assim, os escritos, as fotos e os desenhos, colados ou reproduzidos na planta baixa, vão compor um “mapa” da escola. Além desses registros, vale a pena incluir as situações de respeito e desrespeito vivenciadas que foram coletadas nas atividades anteriores.

repeitar-preciso-familia-escola4. Roda de conversa – Com uma roda de conversa em volta do mapa, na qual sejam trocadas as lembranças e as observações feitas durante a caminhada pela escola, o grupo poderá construir uma representação coletiva, destacando as semelhanças e as diferenças, as potencialidades e os problemas sobre os quais vale refletir. Nesse momento, a comparação do que foi levantado por meio do mapa de sonhos possibilita a visualização do caminho necessário para que a escola real se torne a escola desejada pelo grupo.

Finalização

Elencar as principais questões emergentes da conversa, pontuando tanto o que foi indicado como problema quanto aquilo que já existe de positivo na escola como fato ou como potencialidade.

Observação: Nesse momento, caso isso ainda não tenha acontecido, é possível discutir se já é o momento de incluir os alunos nas atividades do Projeto e analisar como seria possível que os professores propusessem uma atividade de construção do mapa com base na mesma proposta de circulação pela escola com o registro das percepções. Essas produções também podem ser afixadas no mural.

Elaboração da vivência

Compartilhar a resposta para a seguinte pergunta: Como grupo, modificamos a visão que tínhamos da escola?

 


Bibliografia