Apresentação, Eduardo Bittar e Jonas Waks
 
Apresentação, Eduardo Bittar e Jonas Waks

A produção da segunda edição do material Respeitar é Preciso! Educação em Direitos Humanos reflete a legitimidade da iniciativa e de sua construção democrática e participativa no âmbito da Rede Municipal de Ensino de São Paulo. Esse passo adiante faz com que o material, apoiado pela Secretaria Municipal de Educação (SME), em especial pela Divisão de Orientação Técnico–Pedagógica da Diretoria Regional de Educação (DOT-DRE), seja adotado em escolas que não foram aquelas do projeto piloto de formulação da primeira edição. Isso amplia a disseminação do material para o âmbito das 13 DREs, levando a proposta de forma mais ampla à Cidade de São Paulo, mas também amplia o desafio na recepção e no uso pelas Unidades Escolares. A metodologia nele incorporada e as falas dos profissionais da educação nele incorporadas permitirão sua absorção sem dificuldades, na medida em que a Educação em Direitos Humanos é agora um elemento constitutivo da forma como a Educação Municipal será desenvolvida, especialmente considerando o valor simbólico do Plano Municipal de Educação (2015).

Ademais, não deve estranhar às práticas de ensino que a transformação social, os direitos, os valores, o respeito, a dignidade humana, a democracia, o reconhecimento e a valorização das diferenças estejam a permear as atividades escolares, em seus diversos âmbitos. E é por essa construção que os vários espaços de trabalho conjunto entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e a Secretaria Municipal de Educação, como o Grupo de Trabalho Intersecretarial de Educação em Direitos Humanos e o Núcleo de Educação em Direitos Humanos, vieram se empenhando.

Esta segunda edição municipal se torna não somente um passo adiante no âmbito do projeto, mas, sobretudo, o resultado da incorporação de uma série de aprimoramentos e modificações de texto que são fruto do diálogo criador e participativo com os profissionais da educação da Rede Municipal de Ensino, que não apenas aceitaram o desafio de trabalhar com o material, mas de fato abraçaram e incorporaram a Educação em Direitos Humanos como estratégia de transformação da realidade escolar, visando ao alcance de valores significativos para a escola e para a sociedade.

Temos, pois, essa iniciativa original como bem-sucedida, após longo processo de formação e elaboração, sabendo que o material veio se qualificando e construindo a sua própria história, em seu itinerário de formulação e reformulação, que ganha corpo para se expandir ao alcance de ainda mais profissionais da educação da Rede, apenas reforçando a proposta original de contribuir significativamente para a consolidação da Educação em Direitos Humanos na Cidade de São Paulo.

Eduardo Bittar e Jonas Waks
Coordenação de Educação em Direitos Humanos
da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania


Bibliografia